Noche buena, o Natal no Uruguai!

Ah, o Natal... época do ano em que todo mundo enlouquece um pouco e desfruta da companhia de pessoas queridas! ;)


Os festejos natalinos na vida de expatriado não é uma tarefa tão fácil, a distância e mil outros fatores nem sempre permitem que passemos as festas no nosso lugar de origem. 

Aqui em casa tratamos de equilibrar os momentos com ambas famílias, ano passado por exemplo passamos o natal lá na Bahia, já esse ano passamos em território charrua, e tem funcionado.

Sendo assim, chegamos das férias em Salvador e logo no dia seguinte pegamos novamente a estrada com destino a Salto, cidade onde vive a família do meu namorado.

Foi meu primeiro natal no Uruguay e a dinâmica da festa é bem similar ao que vivia no Brasil: família reunida, "causos" do passado, presentes e muita comida com frutas secas, colorida e com toque agridoce fazendo a alegria da ceia.

Não, não tem farofa nem rabanada na ceia, mas as comidas são bem gostosas e parecidas com as nossas. Tradicionalmente o prato principal mais festejado é o leitão com salada russa.

Mas na mesa também há lugar para o peru, frango assado ou cordeiro, a escolha vai depender do costume de cada família.

Para citar alguns dos quitutes que encontrei e gostei: vitel thoné e pionono! ;)

O vitel toné tem origem italiana e é composto por pedaços finos de carne cobertos com um molho de atum, creme de leite, mostarda e alcaparras. Já o que eles chamam de pionono é uma massa tipo de rocambole e pode ter o recheio doce ou salgado.


Deixando as comidas de lado rs, o período que antecede a festa é aquela mesma correria de shoppings cheios, descontos, decoração natalina nas casas, ruas e comércio, reuniões de despedidas do pessoal do trabalho/academia/faculdade/etc. Até amigo oculto rolou lá na empresa.

Não sei como é o Natal em Montevideo, mas no interior as famílias se reúnem para a ceia e a meia noite tem queima de fogos como se fosse réveillon! Foi o que achei mais diferente na celebração.

Desde que chegamos em Salto, percebi que haviam várias barraquinhas de fogos de artificio, quase em toda esquina encontramos alguém vendendo (como ocorre na época de São João no nordeste), mas eu achava que era só para o ano novo. 

Daí que a meia noite eles começaram a queimar muitos fogos, todo mundo se abraçando e desejando feliz natal! ;)

Nessa hora as comidas desaparecem da mesa e entram os pães doces (se soubesse antes teria comido mais haha), é tradição comer os doces à meia noite. 

Além do panetone, o turrón - um doce feito com caramelo, clara de ovo e amendoim - tem destaque na mesa, é um item que não pode faltar. Não existe ceia sem turrón



O brinde é feito também com cidra ou espumante e em seguida tem a troca de presentes.

Outro ponto que me chamou a atenção foi que depois da ceia com a família todos os jovens saíram para as festas que estavam acontecendo em todas as boates da cidade.

Lá pelas 2h/3h da manhã começaram os bailes, era pura festa na área onde ficam os bares em frente ao rio, quase uma micareta natalina rs!

Muitos carros, muita música, chicas e chicos produzidos para balada e a festa como de costume virando o dia (termina por volta das 6h/7h, mas as pessoas seguem pela rambla até 9h: haja disposição!).

Nunca tinha ido para uma festa depois da ceia. Festa depois da comilança pra mim era só no ano novo! :P

Vou ficar devendo fotos porque não levei máquina nem celular para registrar a ceia, os fogos e a festa.

Abraço! 

9

Meus votos!

Então é natal... e ano novo também, já dizia a canção! :P

E eu quero aproveitar esse momento para desejar um feliz ano novo e muita alegria, saúde e prosperidade, que essa passagem simbólica para o "novo" sirva para que possamos recarregar as energias positivas e esperanças, e dar aquela força para seguirmos trabalhando nos nossos projetos ainda pendentes e na construção de novas metas.

Quero agradecer ainda a todos que visitaram o blog esse ano e a gentileza dos comentários que sempre pintam por aqui, entre a correria do fim de ano, trabalho e viagem, sei que ando em falta nas respostas, mas aos poucos vou atualizando! 

Boas festas, queridos! ;)



Abraços!
6

Academia ao ar livre

Já declarei meu amor pela rambla de Montevideo, fazer nada sentada em frente ao Rio de la Plata é uma das coisas mais legais da cidade!
Muita gente vai além do "fazer nada" e aproveita o visual e o clima aprazível para se exercitar, sempre tem gente caminhando, correndo, andando de bicicleta e patins!
E há pouco tempo a prefeitura disponibilizou aparelhos de ginástica por toda a rambla e em algumas praças do centro também.
                                            Foto: MunicipioCh

 Acho um convite irrecusável para mover o corpo! Quando consigo ir caminhar, sempre dou uma paradinha e brinco faço um pouco de exercicio!
Prefiro ir a noite, ainda mais nessa época que se aproxima de calor, outro motivo é que nesse horário é mais fácil usar os equipamentos, uma vez que durante o dia, em especial nos finais de semanas, a criançada acha que é parquinho e é comum vê-los brincando nos equipamentos.
Que tal colocar o tênis e roupa esportiva na mala e se jogar na ginástica?


                                                           Fotos:www.soydeportista.com.uy

Abaixo o link de uma matéria de um jornal local com a inauguração dos "espaços saudáveis":
Aproveitemos! Abraços! ;)
12

Curiosidades do cotidiano 2...

Dei uma sumidinha aqui do blog outra vez! :/
Correria enorme de fim de ano misturada com os preparativos das minhas férias: e agora já desacelerada, escrevo esse post direto da minha Salvador querida.

Como o coração a esta altura é dividido, cá estou pensando também em Montevideo rs!
Gostei de escrever o post com as pequenas curiosidades do cotidiano e resolvi listar mais 3 hábitos que chamam/chamavam minha atenção:

1- Palmas e criança perdida

A primeira vez que vi isso fiquei sem entender nada, uma confusão na feira do Parque Rodo: criança chorando, gente caminhando rápido e todo mundo batendo palmas!

Pensei que era assalto ou briga, logo depois fiquei sabendo que era porque uma criança de uns 3 ou 4 anos tinha se perdido da mãe, então as pessoas em volta batiam palmas para sinalizar onde a criança estava!

A criança, obviamente assustada, chorava bastante e quando a mãe a encontrou de novo, desmaiou e foi outro momento tenso.
No final deu tudo certo e encontrei a familia almoçando feliz na pizzaria do parque rs!

2 - Barraquinhas de acampar na praia

Não me canso de observar as diferenças do "ir a praia" entre os uruguaios e baianos rs!

Já comentei sobre a escassez de vendedores ambulantes nas areias, da paz com a falta de música alta, do kit praia que todo mundo tem que levar (cadeira, sombreiro e caixa térmica), das meninas que basicamente vão a praia fritar debaixo do sol e do inseparável mate mesmo no maior calorão de meu Deus!

E outra coisa que também chamou minha atenção foi ver muitas cabaninhas na praia, sempre tem pequenas barracas de camping na areia para proteger os bebês do forte sol do verão!
3 - Garrafa de água e carro a venda

Essa não é tão comum, na verdade a primeira vez que vi foi nessa última viagem a La Paloma.

Passamos por um lugar que tinha muitos carros com garrafas de água no teto, e sei lá, aqui na Bahia o povo coloca garrafa de água para afastar as moscas rs, e fiquei sem entender o porquê das garrafas nos tetos dos carros, daí me explicaram que é para as pessoas que passam pela estrada saberem que esses carros estão à venda!

Não entendi a lógica, mas ok, cumpre a funçao de chamar atenção, né?

Ah, lembrei também de uma "curiosidade" bem inútil: nosso pássaro conhecido como bem-te-vi, no Uruguay é conhecido como bicho-feo (pronuncia bitcho feo) e vou contar que ou o passarinho uruguaio canta diferente ou eu fiquei maluca porque agora não há forma de escutá-lo cantando "bem-te-vi", mas só de birra digo aos uruguaios que é muito mais perceptivel o som de bem-te-vi, é claro rs!
  

P.S.: o bichinho também é conhecido como bienteveo/benteveo.

Abraços! :)
12

Patinando ou quase isso!

Preciso dividir esse momento! :P 

Não sei o motivo, mas ultimamente há uma febre de patins aqui em Montevideo, basta caminhar pela rambla para ver várias pessoas praticando essa atividade!

Assim que me mudei pra cá fiquei sabendo da pista de patinação próxima ao Parque Rodo, onde é possível  inclusive alugar patins por hora nos sábados e domingos, mas nunca tinha me animado a ir, na verdade via mais crianças brincando e achava que ia pagar mico no meio delas!

Não que isso seja necessariamente um problema, as vezes gosto de me misturar com os guris lá no parque comendo churros, algodão doce e descendo o morro de papelão, mas com os patins rolava um certo constrangimento rs!

                                                           Ok, podem rir da minha cara! ;)

Agora talvez influenciada por todo esse povo grande pagando mico coletivo na orla da cidade, resolvi comprar um par de patins para chamar de meu, só não esperava que fosse tããããoo difícil: 15 anos atrás era muito mais fácil, gente! 

Só me faz suspirar um "ah, a idade..." rs! 

Sendo uma pessoa com certo juízo, resolvi comprar também o kit proteção (joelheira, cotoveleira e munhequeira), e a julgar pela primeira tentativa de ficar parada em cima desse treco, arriscaria dizer que foi a decisão mais coerente da minha vida rs!

Estranho mesmo é me sentir muito tartaruga ninja com todo esse equipamento, quando essa coisa de patinação/verão tem um clima mais S.O.S Malibu, né? 

E vamos nessa, em breve volto para contar como estou indo! #oremos! 


13

Destino: La Pedrera

Seguindo a programação do feriadão, no dia seguinte fomos a La Pedrera: simples e linda!


Ainda não conhecia, só ouvia falar do famoso carnaval de lá! Tem até um documentário bem interessante falando sobre a origem da festa e a proporção que tomou nos dias de hoje: atualmente nos 2 dias de carnaval o vilarejo recebe mais de 40 mil pessoas num espaço de 5 quadras de ruas estreitas!

O documentário chama-se "O último carnaval" e vale a pena ser visto, o roteiro é bem guiado com imagens e depoimentos de moradores contando a história da festa. 

Eu como baiana que já curtiu alguns carnavais e atualmente se sente constrangida com o apelo da tal "maior festa popular do planeta", me identifiquei com vários pontos expostos.

Não, o carnaval de La Pedrera ainda não é privilégio da burguesia como na capital soteropolitana, mas a banalização da curtição carnavalesca e o consequente afastamento da essência da festa é um sentimento comum em ambos eventos, com as devidas proporções, é claro.

Fica a dica do documentário! Agora volto ao passeio! ;)

Achei La Pedrera uma graça, um clima mais roots, mais chill out! Já cruzando a vila em direção à praia somos surpreendidos com o fim da pista e uma vista maravilhosa para o mar, bem assim:


A praia é linda, tem ondas e surfistas, e te dá vontade de ficar aí pra sempre nesse climão desacelerado.


Já comentei que o pessoal aqui leva o kit praia: cadeira, sombreiro e caixa térmica. Não é comum ver pessoas vendendo comidas ou bebidas nas praias, daí a utilidade de levar a conservadora, tampouco é comum alugarem cadeiras e sombreiros.

Ainda não temos o kit praia, o verão primavera chegou de surpresa, estava frio e de repente fez calor, e eu demoro a me acostumar com essas mudanças, sabem? Fico confusa de verdade rs!

Então o jeito foi passar o dia debaixo do sol, o que também é bem normal para as uruguaias, há uma ideia de "hacer playa" que consiste basicamente em tostar as carnes no sol! :P

O ponto positivo de ir a praia nos balneários daqui é a paz e tranquilidade, dá pra ler um livro e até tirar uma soneca, sem barracas ou carros com músicas de gosto duvidoso na maior altura incomodando.

                                            Leitura uruguaya do fim de semana!

P.S.: estou com o livro do Galeano que eu queria tanto ler em espanhol! Presente especial! ;)

La Paloma e La Pedrera ficam distante apenas 10km uma da outra, estão situadas no departamento de Rocha que fica aproximadamente a 240 km da capital uruguaia.

Há ônibus com saídas diárias - a passagem custa R$32 - e opções de hospedagem para todos os bolsos e gostos: campings, hotéis e hostels.

Para quem quiser ir dirigindo, a rodovia possui 3 pedágios - cada um custa R$5,50 - e a estrada está em ótimo estado. Triste mesmo só o litro da gasolina a R$3,70.

Consultar horários dos ônibus aqui. Post sobre aluguel de carro em Montevideo aqui.

Abraços!

9

Destino: La Paloma

Imaginem a alegria na tarde de uma quarta-feira quando recebi um e-mail totalmente inesperado da minha gerente comunicando que estaria liberada no feriado da sexta-feira.

Só pensava em viajar e aproveitar meus três dias de sol sem trabalho.

                                        Já na estrada, passando por um dos pedágios.

Queria viajar, mas pra onde? 
A primeira opção que escolhemos foi Villa Serrana que nessa altura já estava com as opções de hospedagem esgotadas. 

A segunda opção foi usar a folga de tempo para ir nas praias lá pelas bandas do departamento de Rocha.
                                      
E assim fomos passar o feriado em La Paloma.


Procurando hospedagem de última hora, encontramos um hotel em frente a praia com um precinho bem camarada.

A cota de vergonha alheia do dia ficou com a chica da recepção, liguei para reservar o quarto e ela disparou um pouco reticente: "mirá, tenemos un grupo de brasileros este finde, te cuento por si querés descansar... eehh viste como son, no? Va haber mucho ruido, entonces te aviso por las dudas!", daí respondi "si, claro...soy brasilera!". Cri cri cri na linha rs.

Quando me falaram de um grupo grande de brasileiros imaginei uma excursão de tiozão, aquela coisa mais família, sabem? A surpresa ao chegar no hotel foi encontrar um grupo de 70 jovens de 25/30 anos naquele clima de primeira semana de BBB com direito a abraços e gritinhos de "A-ha U-hu La Paloma é nossa!" e um festão até raiar o dia com um equipamento de som super potente.

Encaramos com bom humor e decidimos ficar lá mesmo no Hotel Portobello a primeira noite, imediatamente fomos convidados para participar da festa. Já era tarde e valia mais curtir o dia na praia do que sair e buscar outro lugar para ficar.

A vantagem desse hotel definitivamente é a localização, dentro da praia praticamente, você sai e já pisa na areia.

E o que dizer da vista? Sensacional acordar e dar de cara com esse mar, ou então ver o entardecer da janela do quarto!



De manhãzinha...

De tarde (área externa do hotel)...

E o show do fim de tarde! ;) 

Não é um hotel novo e isso se faz notar em alguns detalhes, não tem ar condicionado e o café da manhã é muito simples, mas no final cumpriu com o que esperavamos: um lugar para passar a noite perto da praia.

Os balneários estão começando a se preparar para a temporada, muita coisa ainda está sendo preparada, os estabelecimentos estão em reforma e nem tudo estava aberto, apesar do movimento de pessoas já nas praias.

No primeiro dia aproveitamos o  tempo na praia, caminhamos e sentimos a água congelada fria do mar. Mesmo fazendo calor, dessa vez não me animei a entrar! Ficamos na areia tomando sol e lendo, vocês devem imaginar a felicidade de estar assim fazendo nada na praia depois de meses de frio.

Coragem só para molhar os pés rs!

Saindo da praia fomos ao centrinho tomar sorvete, esses programas me levam de volta aos veraneios na Ilha de Itaparica quando criança, uma delicia só! 

O sorvete nem é tão gostoso, mas é um dos programas mais legais em La Paloma ir no fim do dia na sorveteria, faz até fila.


A noite não tinha muita opção, compramos um calzone numa pizzaria/lanchonete do centro e passamos no supermercado para comprar vinho e mais quitutes e armamos um mini piquenique noturno, já tinha até esquecido como é lindo ver o céu cheio de estrelas nesses lugares! Coisas que não temos nas cidades grandes!

Voltando para o hotel, cheguei a passar na festa dos brasileiros e comprar uma cerveja, não tenho mais disposição para balada e por sorte depois do vinho e da cerveja dormi sem dar a menor bola ao barulho. 

No último dia em La Paloma fizemos o check out e fomos visitar o farol, dá para subir e admirar a vista lá do alto, eu dispensei a subida dessa vez e fiquei fotografando e catando conchinha na praia rs! 




Abraços! ;)
16

Onde comer em Piriápolis

Vira e mexe estou falando de comida aqui no blog, não tem jeito!

É que comer bem me deixa numa alegria danada e eu sinto quase uma obrigação gordinha de dividir com todo mundo esses achados.

O restaurante de hoje fica lá em Piriápolis e se chama Trattoria da Piero: tem uma pinta praieira bacana,  fica em frente a praia - vizinho ao Apart Hotel Terrazas de San Francisco - e parece mais caro do que de fato é.

O nome me faz lembrar a Itália e massas, e quando estou na praia preciso comer peixe. Um dia deixei essa história do nome de lado e nos animamos a entrar: o cardápio tem de tudo um pouco.

Como não podia deixar de ser, escolhi peixe, claro.

Meu prato foi "brotola a las finas hierbas" e estava excelente -  brotola é um peixe muito comum na costa uruguaia.

O filé do peixe vem em volta de um purê de batata gratinado e tem um creme de ervas e queijo parmesão:


A escolha do meu namorado foi "pesca del día con salsa salmoriglio y vegetales", o peixe do dia era o linguado. 


Não tinha ideia do que era "salmoriglio" rs, mas é uma delicia, é um condimento da cozinha siciliana - olha a culinária italiana aí também - feito com azeite de oliva, limão e outros ingredientes. 

Os pratos até parecem pequenos, mas não são. E o preço é bom, custa entre 300 e 330 pesos uruguaios ( entre R$30 e R$33). 

No centrinho de Piriápolis tem muito restaurante que oferece o menú turistico por 290 que inclui  um refrigerante ou água,  prato principal e alguma sobremesa simples. 

Lá na Trattoria da Piero há um menú assim também que custa 370 pesos uruguaios. 

E hoje voltando de outra viagem - tema dos próximos posts - decidimos parar em Piriápolis para almoçar, e voltamos na Trattoria de Piero. Pedimos peixe de novo rs e estava igualmente delicioso!


Pedi "brotola com crema de camarones", um prato bem parecido ao que já tinha provado: o filé em volta do purê de batata gratinado, a diferença ficava no creme usado e nos camarões dando o ar da graça.


Meu namorado pediu de novo o peixe do dia com a diferença que o peixe de hoje era a brotola.


Para acompanhar pedimos um vinho chardonnay... e depois fomos tirar uma sonequinha no parque sob a sombra das arvores.

Fica a dica para quem passar pelo simpático balneário! ;)

Abraço!

13

Hospedagem em Piriápolis

Fim de semana passado fomos a Piriápolis e voltei mais encantada com o lugar, definitivamente é minha cidadezinha preferida aqui no Uruguay.

Não sei dizer exatamente o motivo, só sei que é uma paz enorme que sinto lá que me dá a sensação de estar em casa.

Piriápolis nessa época do ano não tem agito nem badalação, não tem os edifícios nem as lojas de luxo da vizinha Punta del Este para encher os olhos dos visitantes, não há uma lista interminável de atividades, e cá entre nós a graça está justamente nessa despretensiosa falta do que fazer.

A ideia do fim de semana era descansar, namorar e aproveitar a tranquilidade. Procurando hotéis encontrei muitas opções a bons preços - bendita seja a baixa estação!

Achei  muito hotel arrumadinho disponível na média de 70 dólares, mas eu não queria um quarto de hotel equipado, queria algo mais rústico com cara de casa de praia, com uma varandinha onde pudesse ver o mar, e isso não foi tão fácil de achar.

Daí lembrei de um hotel que reunia essas características e  entrei em contato, quando me disseram que tinha uma rede na varanda, conquistaram meu coração rs!


O hotel é o Apart Hotel Terrazas de San Francisco e recomendo muito.


O apartamento é ótimo, fica em frente a praia, e na varanda além da rede, tem uma mesinha e cadeiras que fazem o café da manhã a coisa mais linda para começar o dia.

Como é um apart-hotel, tem também uma mini cozinha com fogão, geladeira, mesa, cafeteira e todos os utensílios como pratos, panelas, etc. 

O quarto tem ar, armário, tv de plasma, cama confortável. E o banheiro tem um chuveiro que cai água de verdade - detesto chuveiro com água fraca.

Ah, e da varanda ainda dá para escutar o barulhinho do mar: muita alegria no meu coração rs! :P

A diária custou 1.790 pesos uruguaios, mais ou menos R$179, os quartos menores custam R$159.



P.S.: o café da manhã não está incluído na diária, compramos coisinhas no super e tudo ok!

P.S2.: não tenho fotos do quarto, quem quiser ver mais, dá uma olhada no site do hotel.

Abraço! ;)

6

Curiosidades do cotidiano...

Uma das coisas que  mais gosto de viver fora é notar as pequenas "diferenças" do dia a dia comum mesmo... pequeno hábitos definitivamente chamam minha atenção!

Acho que já comentei que os uruguaios têm muitas curiosidades bacanas de observar: seja o jeito em geral mais pacato de ser, o apego ao mate, a forma que as pessoas se relacionam, etc. 
O que quero comentar hoje são três coisas simples do cotidiano que quando cheguei me pareciam hábitos um tanto quanto diferentes:

1- Os homens se cumprimentam com um beijinho no rosto

Ok, muita gente sabe que no Uruguay e Argentina os homens também dão beijinhos no rosto, mas a princípio ver isso todo dia era bem curioso.

É normal todo mundo se cumprimentar com um beijo no rosto: mulher com homem, mulher com mulher e homem com homem. 

Independente da idade não é nada difícil encontrar as pessoas se cumprimentando dessa forma nas ruas. Não rola essa bobagem das pessoas acharem que homem não pode beijar homem. Acho digno e fofo esse desprendimento! ;)

Ainda sobre esse tema de beijos e cumprimentos, paguei muito mico para acostumar a dar só um beijinho, sempre ficava "no ar" porque lá em Salvador cumprimentamos com dois beijos! E agora é ao contrário, já acostumei e toda vez que volto lá deixo meus amigos beijando o vento! :P

2- Buen provecho!

Está comendo? Certeza que alguém irá passar e dizer "buen provecho"! É um costume muito forte dizer isso, ninguém levanta da mesa sem falar essa frase!

Onde trabalho, por exemplo, somos umas 200 pessoas e todos os dias quando estou almoçando sempre que entra alguém na cozinha - para ir almoçar, beber água, pegar algo na geladeira, etc - deseja o famoso "buen provecho".

Confesso que as vezes me dá coisa parar a cada duas garfadas  para dizer "gracias" - muitas vezes de boca cheia porque mais deselegante que falar de boca cheia é não retribuir essa gentileza rs!

Outra coisa diferente na hora de comer é a tal cestinha de pães! É comum comer - principalmente comidas que tem caldo - acompanhando com pães. 

3- Farda dos estudantes

Não entendia quando via os guris com um tipo de jaleco saindo da escola, a princípio achava que era roupa para fazer aulas de artes ou algum evento na escolinha tipo "dia de alguma coisa", até perceber que os chiquelines usavam a túnica branca com um laço azul todos os dias!

Não há uniforme para os estudantes da escola pública, todos usam a túnica branca para ir estudar! Os pequeninos do pré-escolar usam a túnica xadrez.

                                       Niños saindo de uma escola com suas túnicas

Um dos fundamentos mais utilizados para o uso da túnica até os dias de hoje é interessante:

" El uso de la túnica oculta las deficiencias de las ropas en los niños procedentes de los hogares menos afortunados...

Dizem que o uso da túnica não iguala, mas esconde ou tapa as diferenças... um tema que rende boas reflexões e discussões, não?!


Bom finalzinho de domingo! ;)

Abraço!

26

Dia do Patrimônio

Nesse fim de semana acontece o "Día del Patrimonio", uma iniciativa que acho muito bacana e busca promover os valores e histórias do país.  


Todo ano, geralmente no mês de outubro, se celebra o dia do patrimônio nacional, nesse período todos os edifícios governamentais, museus, instituições educacionais, igrejas e até casas particulares que têm interesse histórico ou arquitetônico ficam abertos gratuitamente ao público.

O conceito de patrimônio é bem amplo e inclui bens materiais e imateriais, dessa forma desde os monumentos históricos até aspectos culturais como as formas de expressão e os ritmos musicais uruguaios, por exemplo, são celebrados.

Cada ano há um tema principal em discussão, já foram temas as tradições rurais, o teatro no Uruguay, a liberdade e a união de povos, cultura afro-uruguaia, etc. Nesta edição o tema central é a linguagem dos uruguaios, corroborando com a publicação de um dicionário espanhol do Uruguai.

Para acompanhar a programação de visitas e eventos, acessem o site: http://mec.gub.uy/innovaportal/file/25803/1/dia_del_patrimonio_-_guia_de_actividades_2012_web.pdf

Há atividades em todo o território uruguaio.

Abraço! ;)

7

Casa Pueblo

Sim, faz tempo que não apareço, ou melhor, não escrevo! :(

Daí que volto cheia de poesia, falando de um dos lugares mais legais que já conheci nesse mundão de meu Deus: a Casa Pueblo!


E não dá para falar da casa sem antes falar brevemente do criador, o artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró, uma das figuras que mais admiro por aqui. 

Grande parte da sua obra está dedicada ao candombe e a cultura negra, já fascinado e imerso nesta cultura e havendo realizado diversos quadros, muros e instrumentos musicais sob esta temática, Carlos Páez partiu do Uruguay a viajar por diversos países de marcada origem negra em busca de mais inspiração, conhecimento e experiência. 


Nessa viagem passou por vários países como Senegal, Haiti, Republica Dominicana e Brasil, ficando um tempo em minha querida Bahia, onde fez amizades com outros artistas da época, em especial com Jorge Amado a quem dedicou posteriormente um espaço na incrível Casa Pueblo.

O Museo-Taller de Casa Pueblo fica em Punta Ballena, apenas 15 minutos da badalada Punta Del Este. O lugar inclui o museu, galeria de arte, um hotel e uma vista deslumbrante. 
Lá há muitas obras a venda e souvenir a preços razoáveis. 



Carlos Páez não é arquiteto, mas construiu a casa inspirado no homem do campo e no hornero, nosso conhecido pássaro João de Barro, numa "luta" aberta contra as linhas retas tradicionais. 
Para as pessoas mais observadoras ou sensíveis talvez, em vários pontos da casa dá a impressão de sentir a casa moldada pelas mãos do homem que dá forma em perfeita harmonia com a natureza ao redor.

A casa também tem um forte toque mediterrâneo, lembra muito as construções da Grécia. 

A casa por si só já vale - e muito - uma visita, mas para a experiência ficar ainda melhor, recomendo que visitem no final da tarde: o por do sol na Casa Pueblo é inesquecível, de verdade!


Há um café e uma varandinha onde podemos desfrutar o belo fim de tarde com a poesia de Carlos Páez Vilaró de fundo que vai te deixar mais leve, agradecido e feliz.

Deixo um vídeo que encontrei no Youtube para os que ainda não foram possam curtir esse momento também! E um trecho da poesia para todos aqueles que também se sentem "milionários em sóis": 


Chau Sol…! Te quiero mucho…
Cuando era niño quería alcanzarte con mi barrilete. Ahora que soy viejo, sólo me resigno a saludarte mientras la tarde bosteza por tu boca de mimbre.
Chau Sol…! Gracias por provocarnos una lágrima, al pensar que iluminaste también la vida de nuestros abuelos, de nuestros padres y la de todos los seres queridos que ya no están junto a nosotros, pero que te siguen disfrutando desde otra altura.
Adiós Sol…! Mañana te espero otra vez. Casapueblo es tu casa, por eso todos la llaman la casa del sol. El sol de mi vida de artista. El sol de mi soledad. Es que me siento millonario en soles, que guardo en la alcancía del horizonte.





Abraço! ;)


15

Fogata de San Juan: a festa junina no Uruguai

Ok, já passou junho, julho, agosto e setembro está no finalzinho, mas queria falar sobre a festa junina daqui! :P

Como boa nordestina, amo a festa de São João, para mim é a melhor festa que existe: adoro o climão de interior, dançar um forrozinho animado e não preciso dizer que as comidas deixam a festa ainda mais interessante, né?

Daí que nessa época fico bem saudosa do meu Brasil, do meu nordeste.

Ano passado ouvir falar sobre a "Fogata de San Juan" - fogueira de São João, mas confesso que nem me animei para entender melhor. 

Me animei mesmo para ir na festa de São João de uma escola de português, cuja a dona é uma paraibana e faz questão de fazer a festa o mais tradicional possível, com direito a música, comidinhas, decoração tipica e brincadeiras. Aproveitei que meu namorado havia estudado lá e na maior cara de pau entrei em contato pedindo para ir a festa também rs, mas acabamos não indo porque tivemos outro compromisso na mesma data.

Esse ano resolvemos ir numa festa junina a la uruguaia, totalmente diferente do que conhecemos, e a noite foi bem divertida! 

fogata de San Juan em realidade é para comemorar o solstício de verão no hemisfério norte e aqui em Montevideo ganha força com a comunidade catalã, a festa em praça pública tem danças, comidas e bebidas tipicas dessa região da Espanha e claro, uma grande fogueira.

Segue o link de uma matéria sobre a festa do jornal El Pais.

Há também eventos privados, fomos no realizado pela Bodega Spignoglio: já na chegada com o frio da noite de inverno nos posicionamos convenientemente em volta da fogueira,  que é a estrela da celebração.

O evento era numa vinícola e tinha toda a chiqueza de vinho quente - posicionaram as garrafas próximo à fogueira e a cada tanto iam abrindo e servindo as pessoas - e fondue de queijos, bem como uma mesa com queijos, pães e azeitonas ao ar gélido livre!


Em determinado momento começaram a distribuir papéis e cada pessoa preenchia com coisas que haviam passado na vida e que não desejavam que voltassem a ocorrer, e aí todos jogavam esse papel na fogueira.


Não sei se foi o vinho ou minha empolgação com a comida fogueira e todo o movimento - foi um evento bem família, todo mundo conversava com todo mundo e eu com minha cara de turista sempre desperto a curiosidade das pessoas - mas fato é que não entendi direito essa parte que tinha que queimar as coisas negativas.

Um tempo depois entendi a brincadeira rs e a situação foi a seguinte: não conseguia pensar em nada muito relevante que não queria que se repetisse em minha vida a ponto de ocupar o querido São João e aí veio uma sensação de "o mundo é bão Sebastião" e vou contar que isso já valia a noite!

Comida vai, bebida vem, chegou a hora de todo mundo jogar na fogueira 3 pedidos lindos a San Juan! Fui na fé e escrevi 3 coisas boas que já não lembro mais...


Após nos entretermos com a fogueira, tivemos o jantar com entradinha, primeiro e segundo prato harmonizados com diferentes vinhos e para fechar com chave de ouro um maestro chocolatero fazendo chocolates artesanais divinos ao vivo.

Alguém dúvida que ano que vem quero conferir todas essas festas de novo?  ;)


Abraços!


9