O 'mate' nosso de cada dia...

A relação do uruguayo com o mate é no minimo curiosa.

É mais que comum encontrá-los com o mate na mão e a garrafa térmica embaixo do braço.

Eu sou do mate, é uma bebida integradora, que carrega junto uma ideia de compartilhar, dificilmente você verá na mesma roda ou grupo de amigos mais de um mate, cada um toma o equivalente a um copo e passa para a pessoa ao lado, em meu trabalho por exemplo somos 6 na equipe e pelo menos 3 levam mate, porém quando começamos a tomar, utilizamos apenas 1 que vai passando em determinada ordem de mão em mão! E é acessível a todas as classes sociais, do mais pobre ao mais rico aqui consome essa bebida que está arraigada na cultura do país.

Parece que qualquer hora, lugar e época do ano é apropriada para tomar mate.


A principio achava uma mania super estranha, ia no shopping e lá estavam eles passeando com o inseparável mate, muitos inclusive carregando uma matera (essa bolsa como a da foto acima) para transportar melhor o kit termo, mate e yerba, e assim vão ao trabalho, cinema, mercado, praia  mesmo fazendo 40 graus, dirigem, estão na praça, na rua na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê ! ;P

É uma bebida familiar, caseira, você não vai encontrar num bar ou restaurante a opção de ser servido um mate, o que sim há para comprar é agua caliente para repor a térmica, inclusive há máquinas self service, geralmente em postos de gasolina, onde se coloca uma moedinha e sai 1litro de água quente, como essa abaixo:


São varias marcas de ervas, a maioria produzida no Brasil, e costuma-se dizer que você tem que encontrar a sua erva, a que te faz sentir bem, dizem que algumas são muito fortes, concentradas e cada pessoa se adapta melhor a determinado tipo, questão de gosto também, né!

                                           Como são vendidos os pacotes de yerba.

E obvio que existe todo um 'ritual' a seguir para preparar o mate, nesse ponto cada um tem o procedimento que lhe parece o mais adequado, vou tentar passar aqui como eu faço depois desse 1 ano e pouco de vida no Uruguay rs, deixando claro que os comentários e inclusive divergências são bem-vindos sempre, sei que tem uruguayos lendo o blog rs...

Primeiro vamos dar 'nomes aos bois', o mate é composto pelo mate que na verdade é o recipiente onde se armazena a bebida, a erva que dispensa apresentações rs e a bombilla que é por onde se bebe, como um canudo!


Para prepará-lo primeiro tem que colocar a erva no mate, em relação a quantidade há controvérsias, tem gente que diz que o ideal é encher a metade do copo, outros dizem 3/4, ou ainda 2/3, enfim, eu coloco até um pouco mais da metade.

Depois de colocar a erva, tapo a 'boca' do copo com a mão e sacudo, em seguida inclino um pouco o mate, fazendo uma ladeirinha. Aí antes de colocar a água quente, coloca-se um pouco de água fria para não 'queimar' a erva. Com a água fria a erva se incha e 'chupa' a água, daí colocamos a bombilla na parte de baixo mais funda da ladeirinha e adiciona a água quente - isso é importante, é água quente e não fervendo.

Ok, explicando assim fica complicado de entender. Em breve coloco fotos minhas, é que não queria copiar mais fotos da net além das já copiadas.

Dizem que o primeiro mate, é o próprio mate quem toma, porque a folha absorve a água. Acho interessante essa afirmação porque o mate é realmente visto como uma companhia, um amigo. 

O segundo mate - de acordo o raciocínio acima - tem o gosto mais forte, para quem está provando pela primeira vez, não é o melhor. Na verdade conheço poucos estrangeiros que gostaram do mate já nas primeiras vezes que provaram, eu confesso que gosto mais pelo hábito e essa integração que comentei no inicio do texto, do que pelo gosto em si. 

Minha maior dificuldade ao principio era não mexer na bombilla, mania quase de criança de mover tudo, e não fazer do mate uma sopa na hora de colocar água, tem que deixar a erva um pouco seca na parte de cima, claro que depois de repetir o processo várias vezes, a erva se molha toda - pelo menos comigo, mas o importante é não deixá-la 'nadando'. 

E quando começa a ficar insosso, é sinal que a erva está 'lavando' e é hora de trocá-la, mudar a posição da bombilla, tirar metade e completar com erva 'nova', nesse caso assim como a respeito da quantidade, depende do gosto do freguês, ou seja, cada um com sua técnica!

O mate também é super consumido na Argentina, uma das diferenças que notei é que lá tomam diretamente da chaleira, aqui já transferem a água da chaleira para a garrafa térmica e levam para todo lado, também nunca vi beberem com açúcar aqui, sempre vejo tomarem amargo.

Busquei um vídeo no youtube com a preparação, queria de um mate uruguayo, claro, mas encontrei muitos vídeos longos, coloco o link desse que apesar da qualidade questionável rs, dá pra ver o processo! 

Ah, quase esqueço de mencionar minha teoria, juro que acredito que a falta de gordurinhas das chicas aqui é causa direta do consumo excessivo de mate, porque as gurias definitivamente não são ratas de academia e com tanta oferta de doce de leite, masitas, alfajores em cada esquina, ter visto esse povo bombando nas areias das praias no verão como eu vi, só pode ser obra divina, cirúrgica ou benefícios do mate, é claro! :P 

Quem se animar a provar e quiser comprar um mate para chamar de seu - me refiro ao recipiente, vende absolutamente em todos os lugares da cidade: mercados, shopping, nas ruas com vendedores ambulantes e nas feirinhas de domingo, nesses dois últimos acho os melhores lugares para comprar! ;)

12

Cervejas Uruguaias

Alô amigos cervejeiros! Nesse post apresento as cervejas da terra! :)

O Uruguai tem ótimas cervejas, sempre gostei mais das cervejas daqui, acho que têm mais corpo, me agradam mais.

Em Salvador sempre via a Norteña e pensava que era a cerveja uruguaia top, era super cara lá e nunca me animei a comprar, hoje vivendo aqui no paisito, percebo que não é a preferida do povo nem é a mais fácil de achar nos cardápios dos bares e restaurantes. 

Curiosamente aqui ela é a cerveja mais barata.


Na primeira visita ao país caí de amores pela Patricia, com direito a tirar fotinha feliz com a garrafa de fundo e tudo mais rs.


E já morando em Montevidéu, conheci e definitivamente virei fã da Zillertal, a melhor na minha opinião.


Atualmente a Patricia lançou a cerveja de trigo Weisse que também sou fã declarada, é muito boa! 

Por fim tem a Pilsen que é a que menos gosto, é a mais leve.


Ainda há as cervejas artesanais uruguaias - Mastra e Davok - que vendem nos bares e pubs, aqui chamam chopp directo ou de barril. 

Lembram do Pub Burlesque e The Shannon que já comentei aqui? Eles vendem a Davok, por exemplo.

Bebam com moderação! ;)

7

Sobremesa 'Chajá'

Falou em doce, falou comigo! Hoje vou apresentar uma sobremesa tipicamente uruguaia! ;)


O postre chajá é originário da região de Paysandu - norte do país - e tem esse nome como uma anedota relacionando o bolo e o pássaro chajá: segundo os criadores da receita a plumagem do bicho lembraria a estrutura do bolo, juro que até hoje não peguei a subjetividade da coisa, só vejo parecida a cor amarela dos filhotinhos.

A receita é um sucesso nas bandas de cá, já fui a várias reuniões onde o bolo estrela da noite, aquele que todo mundo fica com água na boca esperando para cortarem logo, era o famoso chajá ou uma variação dele.

Foto da net de um pequeno chajá

Essa sobremesa é uma bomba delicinha e é composta pelo bizcochuelo (o bolo em si), merengue, o creme chajá que é o chantily e os pêssegos em conserva, algumas receitas são com morango, e algumas pessoas ainda colocam o amado doce de leite no meio também.

Vou deixar uma receita que encontrei para quem se animar a fazer:

Ingredientes do Bizcochuelo:

6 ovos
200 g de açúcar
1 colher de chá de essência de baunilha
200g de farinha de trigo
2 colheres de fermento

Bater bastante os ovos com o açucar na batedeira.


Com uma colher ou espátula incorporar a essência de baunilha; depois com o auxilio de uma peneira colocar aos poucos a farinha e fermento.
Untar uma forma e colocar a massa. Levar a forno pre-aquecido (180 graus) por aproximadamente 30 minutos.

Para o recheio:

Merengues picados - aqui vende pronto em qualquer padaria ou mercado, não sei a receita, sorry!

1 lata de pêssego em calda
250ml de creme de leite fresco
1/2 xícara de açúcar
3 claras
3 colheres de sopa de açúcar

Bater o creme de leite até começar a engrossar, agregar a meia xícara de açúcar. Reservar.
Bater a clara em neve com 1 colher de açúcar, quando estiver firme colocar as outras 2 colheres de açúcar.
Misturar esses dois cremes. Reserve metade.

Escorrer os pêssegos e reservar 2 metades para decorar a parte superior do bolo, cortar o restante.
Misturar os pêssegos cortados com uma parte do creme.

Cortar o bizcochuelo na metade ou em 3 partes. Colocar o creme/recheio, uma capa de bolo, o recheio, etc.
Na parte superior do bolo colocar o creme reservado sem o pêssego, cobrir com o merengue picado e decorar com o pêssego.

Algumas pessoas molham um pouco o bizcochuelo com a calda do pêssego, e antes de colocar o creme, passam uma camada de doce de leite. Dá para usar a imaginação!


Eu a-m-o pêssego e acho que combina bem com sobremesas! 

Quem não quiser arriscar a receita tradicional do chajá, pode fazer um bolo simples, aquele mesmo tradicional do nosso café da tarde, e usar o creme com pêssego e doce de leite, fica uma delicia também!

Abraço! ;)

8

Entre livros, poesias, histórias e verdades!

Acabei de ver este vídeo de um programa espanhol gravado no ano passado com o escritor Eduardo Galeano,  são 40 minutos carregados de lucidez, sensibilidade e franqueza que aclaram as ideias da vida, inspiram e faz um bem danado. 

Imediatamente pensei que tinha que dividir essa referência aqui no blog, e coincidentemente recebi um comentário com um pedido justo sobre referencias da literatura uruguaia.

Não sei se é uma torpeza só minha, mas quase sempre conheço alguma coisa ou alguém, e desconheço que tem a origem uruguaia! Passa com comidas, artistas e escritores. Antes de viver aqui eu não tinha muito claro que Eduardo Galeano é uruguaio, por exemplo! :S

Então resolvi dedicar esse post a dois grandes escritores do 'paisito': Eduardo Galeano e Mario Benedetti.

Eduardo Galeano é autor de mais de 40 livros que já foram traduzidos a mais de 20 idiomas, tem um estilo inclassificável, e conforme vocês podem ver no video, essa falta de definição o faz feliz. 

Segundo o wikipedia 12 das suas obras foram traduzidas ao português. O livro mais conhecido é A Veia Aberta da America Latina publicado em 1971, e esse quero muito ler na versão original em espanhol! Entre outros títulos como Memoria do Fogo, O futebol ao sol e a sombra e um dos mais recentes Espelhos, uma quase história universal.

Quem quiser conhecer um pouco mais sobre o autor e entende algo de espanhol, recomendo a leitura desse site que tem todo material sobre as publicações do Eduardo Galeano, artigos, videos, entrevistas, etc.

Mario Benedetti é outro grande nome da literatura uruguaia, escreveu mais de 80 livros de poesias, contos, romances e ensaios que foram traduzidos a mais de 25 idiomas.
Também foi humorista e escreveu diversas cronicas utilizando o pseudônimo Damocles, escreveu ainda letras de várias canções que foram incorporadas ao repertorio de muitos cantores e estão reunidas no disco Canciones del Más Acá.

O poemário Testigo de Uno Mismo foi a ultima obra do autor publicada no ano de 2008, ele faleceu logo depois em agosto de 2009. 

Recomendo outro site - também em espanhol, vou buscar paginas em português depois e coloco o link - para quem se interessar em conhecer mais a obra desse talentoso uruguaio.

Para quem está com viagem marcada a Montevideo vale a pena garimpar esses - e outros - livros em sebos, sai com um precinho ótimo e é garantia de bom investimento! 
No Centro pela Avenida 18 de Julio tem alguns estabelecimentos, e em algumas feiras de domingo, como a de Tristán Narvaja ou Parque Rodo, também é possível encontrar livros.

Boa leitura! ;)

12

Baladas em Montevidéu


Daí que você já passou pelos pubs irlandeses e agora está querendo ir a uma baladinha em Montevidéu.

Aqui vão duas opções para curtir a noite: El Pony Pisador e El Club.

Esses boliches - boates para dançar costumam começar tarde, a noite começa a bombar por volta das 2h da manhã. 

Eu que já ando velha para essas coisas e cada vez saio menos, ou saio de casa num horário 'normal' e fico no 'esquente' em algum barzinho ou durmo mesmo, não tem jeito, não acostumo a esse horário de sair para balada.

O Pony Pisador é um clássico, tem bandas ao vivo e a maioria dos turistas vão aí, está no coração da Ciudad Vieja.


Funciona de segunda a sexta a partir das 17h, é comum rolar o after office dia de semana já que essa área tem muitos locais comerciais e escritórios, e sábado e domingo abre a partir das 20h.


O El Club fica no Parque Rodo e é bem interessante porque reúne três boates num só lugar, aí você pode escolher qual se encaixa melhor no seu perfil, cada andar funciona uma boate independente e diferente: El Club, W Lounge, Up.


Outra opção para a noite é ir para o bairro de Pocitos onde existe uma área que concentra bares e restaurantes, são umas 3 quadras na Avenida Luis Alberto de Herrera, próximo ao Montevideo Shopping. 

Por aí está o Burlesque que comentei no post dos pubs irlandeses, o bar Barba Roja, o resto pub descoladinho Circus e a boate top Lotus. 

Endereços:

Pony Pisador Ciudad Vieja - Rua Bartolomé Mitre 1325, entre Sarandí e Buenos Aires.

El Club - Rambla Pte. Wilson, Parque Rodo.


Boa diversão! ;)

15

Comerciais uruguaios

A tv uruguaia tem a particularidade de passar grande parte da programação da tv argentina, e não acho isso  legal rs, é muitooo programa bobo estilo Tv Fama com uma pitada de Ana Maria Braga ou Rodrigo Faro, sabem?

Entre programas de auditório e calouros, novelas e jornais, estão os comerciais, eu adoro ver as propagandas! Acho que o comercial é o que mais expressa os personagens comuns de cada lugar, são passagens tão curtas, mas tão carregadas de linguagem local, nos primeiros meses aqui, demorava um pouco para entender o duplo sentido ou a graça da coisa, seja do comercial, da piada ou de alguma música de estilo duvidoso rs. 

Encontrei alguns comerciais que lembrei gostei para postar!

Primeiro esse que acho fofíssimo de uma rede de lojas de eletrodomésticos comemorando seus 80 anos de mercado, eles partiram de uma frase atribuída a Einstein que seria mais ou menos "você não entendeu realmente algo se não é capaz de explicá-lo a sua avópara mostrar o constante avanço tecnológico, as diferenças entre gerações... e o que mais sua imaginação permita interpretar dessa relação linda de avós e netos! ;)


Depois essa de uma cervejaria, bom, as propagandas de cerveja não fogem daquela coisa amigos, festa, uma gostosa passando e blábláblá... mas achei bem original essa de "se beber, não dirija, volte de táxi"! ;)


Lembram que falei do refrigerante de pomelo? Pois, me divirto com essa propaganda do "cortááá con tanta dulzura", realmente o doce não mata a sede, nem o refri Paso de los Toros, mas vale assistir o vídeo! ;)


E pra terminar com "aquela musiquinha que vai ficar o dia inteiro em sua cabeça", uma propaganda de um supermercado com aquelas coisas que todo mundo já fez um dia, como esquecer a comida no forno e queimar, enviar um e-mail ou mensagem para a pessoa errada, etc, no final entra um senhor com compras supostamente de outro supermercado mais caro e a ideia "algum dia vai ser esperto"! :P


Essa é uma expressão bem comum aqui quando alguém faz uma bobagem: "algún día te vas avivar eh". E se você também ficou com a música na cabeça, desculpa rs! :P

3