O 'mate' nosso de cada dia...

A relação do uruguayo com o mate é no minimo curiosa.

É mais que comum encontrá-los com o mate na mão e a garrafa térmica embaixo do braço.

Eu sou do mate, é uma bebida integradora, que carrega junto uma ideia de compartilhar, dificilmente você verá na mesma roda ou grupo de amigos mais de um mate, cada um toma o equivalente a um copo e passa para a pessoa ao lado, em meu trabalho por exemplo somos 6 na equipe e pelo menos 3 levam mate, porém quando começamos a tomar, utilizamos apenas 1 que vai passando em determinada ordem de mão em mão! E é acessível a todas as classes sociais, do mais pobre ao mais rico aqui consome essa bebida que está arraigada na cultura do país.

Parece que qualquer hora, lugar e época do ano é apropriada para tomar mate.


A principio achava uma mania super estranha, ia no shopping e lá estavam eles passeando com o inseparável mate, muitos inclusive carregando uma matera (essa bolsa como a da foto acima) para transportar melhor o kit termo, mate e yerba, e assim vão ao trabalho, cinema, mercado, praia  mesmo fazendo 40 graus, dirigem, estão na praça, na rua na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê ! ;P

É uma bebida familiar, caseira, você não vai encontrar num bar ou restaurante a opção de ser servido um mate, o que sim há para comprar é agua caliente para repor a térmica, inclusive há máquinas self service, geralmente em postos de gasolina, onde se coloca uma moedinha e sai 1litro de água quente, como essa abaixo:


São varias marcas de ervas, a maioria produzida no Brasil, e costuma-se dizer que você tem que encontrar a sua erva, a que te faz sentir bem, dizem que algumas são muito fortes, concentradas e cada pessoa se adapta melhor a determinado tipo, questão de gosto também, né!

                                           Como são vendidos os pacotes de yerba.

E obvio que existe todo um 'ritual' a seguir para preparar o mate, nesse ponto cada um tem o procedimento que lhe parece o mais adequado, vou tentar passar aqui como eu faço depois desse 1 ano e pouco de vida no Uruguay rs, deixando claro que os comentários e inclusive divergências são bem-vindos sempre, sei que tem uruguayos lendo o blog rs...

Primeiro vamos dar 'nomes aos bois', o mate é composto pelo mate que na verdade é o recipiente onde se armazena a bebida, a erva que dispensa apresentações rs e a bombilla que é por onde se bebe, como um canudo!


Para prepará-lo primeiro tem que colocar a erva no mate, em relação a quantidade há controvérsias, tem gente que diz que o ideal é encher a metade do copo, outros dizem 3/4, ou ainda 2/3, enfim, eu coloco até um pouco mais da metade.

Depois de colocar a erva, tapo a 'boca' do copo com a mão e sacudo, em seguida inclino um pouco o mate, fazendo uma ladeirinha. Aí antes de colocar a água quente, coloca-se um pouco de água fria para não 'queimar' a erva. Com a água fria a erva se incha e 'chupa' a água, daí colocamos a bombilla na parte de baixo mais funda da ladeirinha e adiciona a água quente - isso é importante, é água quente e não fervendo.

Ok, explicando assim fica complicado de entender. Em breve coloco fotos minhas, é que não queria copiar mais fotos da net além das já copiadas.

Dizem que o primeiro mate, é o próprio mate quem toma, porque a folha absorve a água. Acho interessante essa afirmação porque o mate é realmente visto como uma companhia, um amigo. 

O segundo mate - de acordo o raciocínio acima - tem o gosto mais forte, para quem está provando pela primeira vez, não é o melhor. Na verdade conheço poucos estrangeiros que gostaram do mate já nas primeiras vezes que provaram, eu confesso que gosto mais pelo hábito e essa integração que comentei no inicio do texto, do que pelo gosto em si. 

Minha maior dificuldade ao principio era não mexer na bombilla, mania quase de criança de mover tudo, e não fazer do mate uma sopa na hora de colocar água, tem que deixar a erva um pouco seca na parte de cima, claro que depois de repetir o processo várias vezes, a erva se molha toda - pelo menos comigo, mas o importante é não deixá-la 'nadando'. 

E quando começa a ficar insosso, é sinal que a erva está 'lavando' e é hora de trocá-la, mudar a posição da bombilla, tirar metade e completar com erva 'nova', nesse caso assim como a respeito da quantidade, depende do gosto do freguês, ou seja, cada um com sua técnica!

O mate também é super consumido na Argentina, uma das diferenças que notei é que lá tomam diretamente da chaleira, aqui já transferem a água da chaleira para a garrafa térmica e levam para todo lado, também nunca vi beberem com açúcar aqui, sempre vejo tomarem amargo.

Busquei um vídeo no youtube com a preparação, queria de um mate uruguayo, claro, mas encontrei muitos vídeos longos, coloco o link desse que apesar da qualidade questionável rs, dá pra ver o processo! 

Ah, quase esqueço de mencionar minha teoria, juro que acredito que a falta de gordurinhas das chicas aqui é causa direta do consumo excessivo de mate, porque as gurias definitivamente não são ratas de academia e com tanta oferta de doce de leite, masitas, alfajores em cada esquina, ter visto esse povo bombando nas areias das praias no verão como eu vi, só pode ser obra divina, cirúrgica ou benefícios do mate, é claro! :P 

Quem se animar a provar e quiser comprar um mate para chamar de seu - me refiro ao recipiente, vende absolutamente em todos os lugares da cidade: mercados, shopping, nas ruas com vendedores ambulantes e nas feirinhas de domingo, nesses dois últimos acho os melhores lugares para comprar! ;)

12 comentários

  1. Adorei a máquina de água quente... Fantástica! Algumas vezes eu tomava mate aqui em Sampa (no Rei do Mate, na Avenida São João – não lembro o número). Se um dia vier aqui, não deixe de passar por lá para experimentar CHÁ COM LEITE. É tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É super prática essa máquina!
      O mate que tomam aqui é está mais para o chimarrão do Sul do Brasil do que para o chá mate.
      Em Salvador tem a franquia do Rei do Mate também, gosto muito da rede! Abraço ;)

      Excluir
  2. Oi, Mile.
    Parabéns belo blog!
    Se Deus quiser irei ao Uruguai dia 26 de julho. Será a minha primeira viagem internacional. A primeira de muitas - com certeza. Amo viajar e conhecer novas culturas e meu sonho é conhecer o maior número de cidades do mundo que eu puder.
    Me hospedarei na cidade de Atlantida, 40 minutos de Montevidéo. Você a conhece?
    Fiquei muito feliz em saber que o mate é uma bebida típica dos uruguaios: eu amo mate. Me delicio no "Rei do Mate" aqui de São Paulo. rs Acredito que me sentirei em casa. rs
    Se puder me adiciona nas redes sociais, Mile: Facebook, Orkut, MSN, Hotmail... Em todas meu contato é: fernandojesus2012@hotmail.com
    Beijos. ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nando! Muito obrigada!
      Que legal, espero que dê tudo certo em sua viagem e que seja sim a primeira de muitas!

      Conheço Atlantida, estive lá no verão. Algum motivo especial para ficar lá, tem algum conhecido que vive aí?

      Ah, como disse no comentário acima, o mate daqui é como o chimarrão, é amargo, se nunca provou, experimenta!
      E recomendo trazer roupas abrigadas porque o frio começou!

      Abraço! ;)

      Excluir
  3. Obrigado, Mile.

    Legal que você conhece Atlantida. Como é a cidade?

    Eu irei com amigos. Um deles é professor de línguas, e um dos países que ele já visitou foi o Uruguai.

    Ah, sim, já tomei chimarrão, Mile! No começo estranhei, mas depois acostumei e gostei. rs

    Obrigado pela dica das roupas. Esse meu amigo tinha me dito que nessa época é muito frio mesmo.

    Abraço. ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, Nando! Espero que tenha aproveitado bastante!

      Abraço!

      Excluir
  4. Oi!
    Esse mate que tu falou é igual ao nosso chimarrão! Só que o que tu chamou de mate a gente chama de cuia (onde vai a erva mate), mas de resto, tudo igual. E eu super não gosto do primeiro chimas, deixo sempre para alguém tomar! :D Gostei bastante do teu blog. Estou pensando em ir para Montevideu nas férias, então está sendo bem útil! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina!

      Sim, é igual ao chimarrão!
      Pense na baiana andando com termo e cuia! hahaha ;)

      Que bom que gostou do blog! E vem mesmo passear!

      Abraço!

      Excluir
    2. Depois de conviver com uma amiga gaúcha e tomar o mate uruguaio e brasileiro quase todos os dias, percebi que na verdade a erva é um pouco diferente e o gosto do mate uruguaio é um tantinho mais forte ou amargo, mas no final é quase igual mesmo! :)

      Excluir
  5. Parabéns por falar um pouco do meu pais e a integração que tem esse copo de "porongo" que nos familiariza tanto. Sem lugar a duvidas que o mate gaúcho tem notas uruguaias por isso que somos tão irmãos com eles, nos identificamos muito com o RS. O Mate (chimarrão) ou até mesmo aquela costela feita no chão que tanto nos aproxima dos amigos e familiares coisas difícil de se encontrar no século em que vivemos são uma das coisas lindas dos nossos povos. Outra vez Parabéns e espero que seja tratada tão bem pelo meus conterrâneos como eu sou tratado aqui pelos teus em Santa Catarina. Vamo arriba!

    ResponderExcluir
  6. ola mile,
    parabens por seu post, fomos ai e ficamos realmente encantados, esposa,sogra e meu filho, e muito bonito os lugares, sem falar na seguranca, tranquilidade, simpatia e atencao de todos desta cidade maravilhosa. amamos muito e pretendemos voltar, foi uma semana de encantamentos, pegamos 2 dias do carnaval. Recomendo.

    ResponderExcluir
  7. Pelas datas dos comentários cheguei um pouco atrasada rsrs sou gaúcha e fui pela primeira vez ao Uruguai. Fiquei muuuito curiosa para saber se era igual ao chimarrão. Comprei a erva e é diferente da vendida aqui no RS. Tem mais folhas. A nossa é mais caule e pó. Ainda não preparei para saber o gosto. Amei as cuias pequeninhas deles, gastam menos erva.
    Parabéns pelo blog! Tirei muitas dúvidas aqui :*

    ResponderExcluir