Hoje é 29...

Dia de comer nhoques no Uruguay! 


                                                                               Foto internet

aí uma tradição gostosa de seguir! Nos primeiros meses aqui não entendia todo o alvoroço na seção de massas dos supermercados, os cartazes nas casas de massas artesanais anunciando a estrela do dia, muito menos os menus dos restaurantes com destaque para o nhoque nos dias 29 de cada mês.

Achava até meio bobo comer nhoque porque era dia 29 rs, aquela coisa bem comercial como "dia dos pais/mães/namorados/avós/cachorros e papagaios", mas eu que sou boa de garfo, não pude resistir muito tempo a essa corrente suculenta de comer noques nos dias 29, e se consigo lembrar o dia, enfrento feliz a fila para garantir nosso 1/2 kg de nhoque no supermercado porque mal não faz e é bom além da conta! ;)

Daí que além de comer, resolvi dar uma 'googleada' na tradição e descobri que existem várias versões e lendas explicando a origem...

A mais difundida remonta ao século VIII quando um jovem médico de nome Pantaleón convertido ao cristianismo peregrinou pelo norte da Itália realizando muitos milagres, diz a lenda que sua profecia de um bom ano de pesca e colheita se cumpriu num dia 29 e em razão disso se comemora o dia com uma comida simples representada pelos nhoques. 

Outra versão diz que pessoas simples do campo dividiram seus pratos de nhoques com Pantaleón, o que lhes assegurou fartura no próximo ano.

Outra história mais real diz que imigrantes italianos se reuniam todo 29 de junho para celebrar os santos São Paulo e São Pedro e a comilança era a base de nhoques, dentre outros contos.

Nunca vi essa parte, mas segundo os textos que li,  a tradição está completa quando estão todos à mesa com os pratos cheios e antes de comer colocam dinheiro embaixo de cada prato para que haja abundância durante todo o mês seguinte, e terminado o almoço ou a janta, o dinheiro volta a carteira, rá! 

Também pode ser doado à pessoa mais necessitada da mesa, ou complementar a velha vaquinha para cobrir os gastos do anfitrião com a comida da galera. 

E você? Topa comer nhoques próximo dia 29? Ou amanhã, depois e depois? ;)

Quem estiver por aqui e quiser comprar boas massas artesanais e preparar em casa/hostel/hotel, recomendo a casa La Adriatica (Rua 26 de marzo, número 1231) ou a seção de massas da rede de supermercado Disco (tem no Shopping Punta Carretas, por exemplo) que vende os produtos da La Spezzia

Nesses lugares vendem ainda distintos molhos artesanais, como pesto, pomarola, caruso, etc. E os nhoques podem ser os tradicionais de batatas - em espanhol papas, ou ainda de pimentão - morrón, ou manjericão - albahaca

Sou fã das massas verdes de manjericão, geralmente compramos metade de batata e metade de manjericão, aí é festa aqui em casa rs.

Abraço! ;)

4

Milanesa - Restaurante Milamores

Arriscaria dizer que a milanesa depois do asado é o prato mais queridinho aqui!


Claro que não tenho um estudo sobre as comidas preferidas dos uruguaios rs, é puro palpitometro mesmo! Coisas do cotidiano, de ver o povo no trabalho comendo milanesa com batata frita ou purê de batata toda a semana ou de ver no cardápio de qualquer lugar a opção de milanesa al plato ou al pan.

Daí que alguém muito esperto resolveu dar um toque mais sofisticado a boa e velha milanesa de todo dia e foi muito feliz criando um restaurante só de milanesa com um toque gourmet, ou uma coisa assim mais moderna.

Estou falando do Restaurante Milamores, um restaurante bem aconchegante em Punta Carretas que além de servir as clássicas milanesas com batata frita ou purê que encontramos em to-da Montevideo, tem opções mais tentadoras como a milanesa da casa que vem com queijo brie, pedacinhos crocantes de jamón serrano, rúcula e um molho especial; ou a milanesa com cebola caramelizada, pedacinhos crocantes de bacon e queijo cheddar; ou que tal ainda uma versão mais fashion da napolitana com queijo provolone, presunto, tomate cherry e orégano?
                                      
                                                 Milanesa Milamores:

Milanesa La Suárez:

Como sempre o acompanhamento é purê de batatas, batata frita ou uma saladinha de alface, tomate, cebola e cenoura!  

O prato individual é enorme como vocês podem ver nas fotos! E o preço? O preço é pra sair ainda mais satisfeito, entre 20 e 29 reais cada prato...


Endereço:

Restaurante Milamores - Calle José Scosería 2549, esquina Enrique Muñoz
Tel.: 2712 6611

Sabem a rua 21 de Setiembre que comentei dos cafés? Fica nessa mesma zona da cidade! O restaurante está numa rua paralela a 21 de Setiembre em Punta Carretas, com um mapa ou até perguntando pela rua, não é muito difícil de encontrar.

Bom domingo, minha gente! ;)
18

Feirinha do Parque Rodó

Dediquei um post só para a feirinha porque é uma atração a parte dentro da área do Parque Rodó.

É uma feira grande, na verdade não é tão grande no tamanho, e sim na quantidade de stands.

Não chega a ser uma feira de Tristán Narvaja lá do centro da cidade, onde reza a lenda que é possível encontrar absolutamente de tudo, mas na feirinha do Parque Rodó há muita variedade de produtos vendidos, que vão desde roupas a sapatos, bolsas, mates, luminárias e quadros.

Olha, tem muita coisa boa e com bom preço.

Claro que tem que filtrar bastante porque também há muita porcaria, mas os achados compensam a procura. Agora no inverno tem muita roupa de lã e botas, e no verão muita camiseta e vestidinhos.

Para os meninos há pouca opção como sempre, então a probabilidade dos respectivos ficarem com cara de tédio é alta rs, já as meninas que não tem muita frescura, quase certo que vão se divertir.

Fotos da feira:








6

Parque Rodó em Montevidéu

Um dos lugares que mais gosto na cidade! ;)

O Parque Rodó fica em frente a Playa Ramirez - aquela praia onde acontece a festa de Iemanjá uruguaia, lembram? - e tem parque de diversões, feirinha (já faço um post só dela), pizzaria, lago com pedalinho, espaço verde para relaxar e aproveitar o dia. 



Acho sempre uma opção de passeio, em especial aos domingos. 

É um lugar que está sempre cheio no fim de semana, seja inverno ou verão. Muitas famílias aproveitam para levar os pequenos que se divertem bastante com os brinquedos, doces e colorido do parque. Sempre tem artistas de rua fazendo desenhos e teatrinho com as crianças.

Uma parte do parque - que está pela Bl. Artigas - é direcionada aos pequeninos de até 6 anos mais ou menos, é muitaaa fofura passar por aí, dá vontade de apertar um monte!



O outro lado do parque que é para a orla tem brinquedos para crianças e outros para adultos, tem um resto pub e a pizzaria Rodelu, onde sempre paramos para comer uma pizza ou um chivito com uma cervejinha antes de voltar pra casa.


Ah, nessa parte também estão as casas de churros, não sei porque mas é algo bem tipico do parque! E definitivamente não dá para ir aí e não comer pelo menos 1 churros! Se eu já gostava de churros no Brasil, imagina aqui que o doce de leite é uma perdição.


Nunca andei nos brinquedos, sempre vamos na feira, rodamos tudo, comemos, ficamos na grama, na rambla, vemos o por do sol, etc, mas brincar mesmo, nada.

Tá aí, próxima vez dou uma volta nem que seja no bate-bate. Também nunca andei no pedalinho, estão meio velhinhos, e confesso que me dá um certo pânico cair no lago!  hahaha! :P
                                                    
                                                           Pedalinho                                    

Por aí está também o restaurante La Carola de comida espanhola que comentei em outro post.

O Parque é vizinho do Teatro Verano, que nas noites de verão e durante o carnaval  abre suas portas para vários espetáculos musicais, desde apresentações de murgas a shows de bandas uruguaias e outros artistas estrangeiros, foi aí que eu vi o show de Martinho da Vila e Daniela Mercury que trouxe um pouquinho da minha Bahia para cá.


Ó, recomendo muito a visita! ;)

Abraços!
4

Vou de táxi!

"Cê sabe, tava morrendo de saudade"! :P

Uma das coisas mais esquisitas pra mim aqui em Montevideo é o táxi!


Há uma barreira de "proteção" que divide o carro no meio limitando o contato do motorista com o passageiro que muitas vezes provoca o constrangimento de te fazer gritar o endereço do lugar que deseja ir ou se você é uma pessoa grande ou desastrada como eu, pode bater o joelho algumas vezes na portinha destinada a colocar o dinheiro da corrida.

Coloco "proteção" assim entre aspas primeiro porque esse medida de segurança no meu ponto de vista tem uma efetividade bem questionável, e depois porque sempre me pareceu exagerada demais em uma cidade como Montevideo, claro que sempre comparava os índices de violência daqui com nossas capitais brasileiras.

Parando para pensar na realidade uruguaia, Montevideo é sim a cidade menos segura do país, e hoje em dia prefiro pensar que se tomaram essa precaução é porque tem fundamentos, e o "muro" não foi erguido nos carros só para incomodar os passageiros buena onda como nós!

Ah, e o taxímetro não expressa o valor da corrida! Eles trabalham com fichas, cada ficha corresponde a um valor e em todo táxi tem uma tabela suja diurna e noturna para o cliente conferir o valor. 
Por exemplo se sua corrida marcar 84 fichas durante o dia, o valor a pagar será 163 pesos uruguaios.


P.S apenas os táxis exclusivos do aeroporto que são chiques e caros não tem essa barreira!

P.S 2 Noticia feliz: os táxis comuns têm preços bem em conta, as corridas são mais baratas que no Brasil, até hoje a mais cara que paguei aqui foi R$21 - de Pocitos ao Mercado do Porto dia de domingo! ;)

20