Fogata de San Juan: a festa junina no Uruguai

Ok, já passou junho, julho, agosto e setembro está no finalzinho, mas queria falar sobre a festa junina daqui! :P

Como boa nordestina, amo a festa de São João, para mim é a melhor festa que existe: adoro o climão de interior, dançar um forrozinho animado e não preciso dizer que as comidas deixam a festa ainda mais interessante, né?

Daí que nessa época fico bem saudosa do meu Brasil, do meu nordeste.

Ano passado ouvir falar sobre a "Fogata de San Juan" - fogueira de São João, mas confesso que nem me animei para entender melhor. 

Me animei mesmo para ir na festa de São João de uma escola de português, cuja a dona é uma paraibana e faz questão de fazer a festa o mais tradicional possível, com direito a música, comidinhas, decoração tipica e brincadeiras. Aproveitei que meu namorado havia estudado lá e na maior cara de pau entrei em contato pedindo para ir a festa também rs, mas acabamos não indo porque tivemos outro compromisso na mesma data.

Esse ano resolvemos ir numa festa junina a la uruguaia, totalmente diferente do que conhecemos, e a noite foi bem divertida! 

fogata de San Juan em realidade é para comemorar o solstício de verão no hemisfério norte e aqui em Montevideo ganha força com a comunidade catalã, a festa em praça pública tem danças, comidas e bebidas tipicas dessa região da Espanha e claro, uma grande fogueira.

Segue o link de uma matéria sobre a festa do jornal El Pais.

Há também eventos privados, fomos no realizado pela Bodega Spignoglio: já na chegada com o frio da noite de inverno nos posicionamos convenientemente em volta da fogueira,  que é a estrela da celebração.

O evento era numa vinícola e tinha toda a chiqueza de vinho quente - posicionaram as garrafas próximo à fogueira e a cada tanto iam abrindo e servindo as pessoas - e fondue de queijos, bem como uma mesa com queijos, pães e azeitonas ao ar gélido livre!


Em determinado momento começaram a distribuir papéis e cada pessoa preenchia com coisas que haviam passado na vida e que não desejavam que voltassem a ocorrer, e aí todos jogavam esse papel na fogueira.


Não sei se foi o vinho ou minha empolgação com a comida fogueira e todo o movimento - foi um evento bem família, todo mundo conversava com todo mundo e eu com minha cara de turista sempre desperto a curiosidade das pessoas - mas fato é que não entendi direito essa parte que tinha que queimar as coisas negativas.

Um tempo depois entendi a brincadeira rs e a situação foi a seguinte: não conseguia pensar em nada muito relevante que não queria que se repetisse em minha vida a ponto de ocupar o querido São João e aí veio uma sensação de "o mundo é bão Sebastião" e vou contar que isso já valia a noite!

Comida vai, bebida vem, chegou a hora de todo mundo jogar na fogueira 3 pedidos lindos a San Juan! Fui na fé e escrevi 3 coisas boas que já não lembro mais...


Após nos entretermos com a fogueira, tivemos o jantar com entradinha, primeiro e segundo prato harmonizados com diferentes vinhos e para fechar com chave de ouro um maestro chocolatero fazendo chocolates artesanais divinos ao vivo.

Alguém dúvida que ano que vem quero conferir todas essas festas de novo?  ;)


Abraços!


9

La Estacada - Farol de Punta Carretas

Fazia tempo queria comentar sobre o restaurante La Estacada aqui no blog, colocaria na lista dos meus "achados" nessa cidade.


O clima no fim de semana passado estava divino, parecia que a primavera tinha chegado de vez: céu celeste, sol brilhando e flores no caminho colorindo o dia, um convite para sair de casa e ficar jogado na grama da rambla!


Antes de ficarmos lagarteando na orla precisavamos almoçar e não pensamos duas vezes ao escolher o La Estacada, é bem verdade que não eligimos pela comida, e sim pelo lugar. 
Chegando lá todos os cartazes se referem a "um lugar com magia", e poderia até dizer que concordo porque sempre me sinto bem a vontade!

Esse restaurante é o que mais se assemelha aos restaurantes pé na areia que costumava ir em Salvador nos finais de semana com minhas amigas: ambiente simples, familiar, perto da orla e com frutos do mar no cardápio.

A variedade do cardápio lá não é grande, e a maioria das pessoas pedem carne - a parrillada é o que mais sai. 

Pedimos calamares e isca de peixe, tudo frito e crocante pra deixar minha alma de gordinha mais feliz. E uma cervejinha gelada porque o dia merecia!





Para quem curte fotografia nessa área do restaurante dá para tirar ótimas fotos de Montevideo! É bem fácil de chegar, basta ir guiando-se pelo Farol de Punta Carretas, o La Estacada fica ao lado.

Já alimentados, fomos para a rambla e lá ficamos vendo o movimento dos casais, velhinhos, cachorros e crianças saltitantes até o por do sol! 

Em frente ao Clube de Golf de Punta Carretas há um ponto bem legal com muito espaço livre para ficar de bobeira na rambla: saindo do restaurante e seguindo no sentido do Parque Rodo, um pouco depois do único posto de gasolina desse trecho da orla. 

É também outro lugar bacana para tirar fotos, divido com vocês algumas que meu namorado tirou nesse dia:






La Estacada Punta Carretas
Endereço: Faro de Punta Carretas
Telefone: 2712-1566

Segue um mapinha para facilitar:



Bom final de semana! ;)

11

Comida de rua no Uruguai

O blog não é culinário, mas comida é um tema recorrente aqui! :P

Ainda não tinha comentado sobre as comidas de rua, dessas que tem uma tia com um tabuleiro ou carrinho vendendo nas esquinas das cidades, sabem?

Em Salvador temos nossa querida baiana de acarajé - ê saudade! - que deixa aquele cheiro de dendê característico por toda a cidade, em outros lugares do Brasil temos os vendedores de tapioca, mingau, pastel e como sempre o onipresente carrinho de cachorro-quente.

Tá aí uma das coisas simples que achava estranha no Uruguay: o cachorro-quente, ou pancho como chamam aqui! 

Já começa que o carrinho modesto da tia do cachorro-quente por aqui é um trailer todo equipado que divide espaço com outros quitutes, como por exemplo hamburguer e choripan (pão com chouriça). 



Depois está o fator preço, não que seja caro, mas o cachorro-quente não é tão baratinho como costumava pagar no Brasil, aqui custa entre 26 e 30 pesos, mais ou menos R$2,50 e R$3.

Mas a diferença mesmo é que o cachorro-quente é servido num pão bem pequeno com uma salsicha - frankfurter - maior que ele que sai para os lados, as pessoas geralmente colocam um pouco de mostarda, e só! 

Você pode pedir ainda uma fatia de muzarela derretida em cima da salsicha, e só de novo rs! Não tem molho, não tem batata palha, não tem milho, ervilha, carne moída, purê, nada disso.

Daí que a primeira vez que comprei, pedi com molho e a mocinha que atendia me olhava com cara de "que molho, filha?".

Nas ruas do país tem também as clássicas tortas fritas! Parece um grande pastel de vento com literalmente nada dentro, e eu não entendo como pode fazer tanto sucesso.


Outra comida de rua é a garrapiñada que é o amendoim tostado com açúcar e que assim como o acarajé, deixa um certo cheirinho pelas ruas e faz a alegria em especial das crianças.



Quem se anima a provar? ;)

23