Casas com nomes

Viajando pelos balneários (acho tão phyna essa palavra rs) uma coisa sempre chamava minha atenção: as plaquinhas com os nomes das casas!



Já me falaram que no passado era um hábito mais forte entre os uruguaios e eu fico imaginando o momento que as famílias escolhiam as casas e discutiam como iriam chamá-la! Com o passar dos anos deve render boas histórias lembrar desses momentos, né?

Acho mais divertido as casas serem conhecidas pelo nome e não pelo número! ;)

Algumas pessoas usam a criatividade e as ruas ganham um toque de personalidade. 


Outra ponto curioso é que a estrutura de muitas casas de praia me faz lembrar uma oca de índio, por mais bonitinha que seja a casa! 
Ainda estou acostumando com esses telhados tão comuns por aqui.



Observo que quanto mais turística a cidadezinha litorânea, como Punta del Este por exemplo, menos "casas com nomes" ela tem.

Claro que viajei também na ideia e pensei em alguns nomes para uma futura casa... descobri que sou péssima nisso rs. 

E você, como chamaria seu cantinho de lazer? #curiosa!






Abraço!
11

Feirinha da Villa Biarritz

Até a semana passada tinha certeza que já havia um post sobre a Feirinha da Villa Biarritz no blog, fui procurar o link para deixar numa resposta e cadê? Ainda não tinha nada!

Pouco justo, porque é um lugar que gostava bastante de ir dar aquela olhadinha

É, sou dessas pessoas que gostam de olhar e lá é ótimo para essa atividade: primeiro porque está num bairro muito agradável, você pode só dar uma volta, olhar o movimento e se jogar numa praça comendo algum chivito ou choripan dos carrinhos que estão por aí. Depois porque tem muita coisa diferente na feira, de artesanatos e roupas a frutas e moveis  rústicos.

A feira da Villa Biarritz é muito parecida com a feira do Parque Rodo, uma acontece aos sábados e a outra aos domingos, a maioria dos expositores trabalham em ambas, porém achava mais fácil encontrar coisas bacanas lá na Villa Biarritz! 

Ir a uma feira e sair com comprinhas legais é questão de sorte, pois nem sempre a qualidade ou design dos produtos agradam, né? Já fui e voltei de mãos vazias, já fui e voltei cheia de mimos baratinhos! 

O mais comum de encontrar com aquele preço camarada são produtos como cachecol, blusas de lã ou vestidinhos básicos dependendo da estação, objetos para a casa (como quadros ou molduras, luminárias, puffs, etc) e botas de couro (essas já não são baratas, mas tem bastante opção).

Talvez a feira do Parque Rodo seja mais atraente por ser um passeio bem família aos domingos, os pequenos estão brincando em todas as partes, casais ou grupos de amigos estão espalhados pela grama mateando e há ainda artistas de rua, eu como turista iria preferir conhecer algo onde tivesse mais contato com a vida local, sem contar que a vista da Playa Ramirez no fim da tarde é fantástica e o churros com doce de leite uruguaio é tentador demais rs. 

A feira da Villa Biarritz é mais interessante para quem já vive na cidade ou está viajando com tempo disponível e é chegado numa feira, claro que aí também é possível ter contato com os montevideanos, mas já não há aquele climão família que comentei acima. 

Saindo da feira é possível conferir vários cafés que estão pela rua 21 de Septiembre ou ir almoçar uma rica milanesa no restaurante Milamores, por exemplo! ;)

P.S.: a feira acontece também na terça-feira, mas nunca fui dia de semana para confirmar se funciona igualzinha ao sábado. O horário é das 9h às 15h.

Endereço: José Ellauri y José Vázquez Ledesma (fica perto também do Punta Carretas Shopping).










Abraço!

8

Restaurante em Montevidéu - La Casa Violeta

Quando lembro do restaurante La Casa Violeta, uma coisa me vem à cabeça: o lugar tinha um ar de celebração, parecia que todo mundo em todas as mesas estava comemorando algo, talvez tenha sido só efeito do vinho ou uma alegria de viver que as vezes me deixa em estado de euforia.

Fato é que o restaurante tem seu encanto: a vista é maravilhosa, a comida é ótima e a atenção é cordial.



Não é um restaurante baratinho, a conta para duas pessoas custa em torno de 2 mil pesos, mas arrisco dizer que o investimento vale a pena.

A especialidade da casa é a famosa carne uruguaia, eles são conhecidos por servir cortes de carne premium

Uma curiosidade é que o restaurante foi fundado em 1993 após uma viagem do proprietário a Porto Alegre, chegando na cidade ele ficou impressionado com a quantidade de churrascarias funcionando exitosamente e decidiu importar esse conceito  de restaurante a Montevideo. 

No menú há inclusive coração de frango, presente em qualquer churrascaria brasileira, mas que ainda é motivo de espanto em outros países rs. Tem também um buffet de saladas similar ao que estamos acostumados no Brasil.

Você pode escolher entre esse modelo - que aqui chamaram de degustação de carnes - ou pedir os pratos do cardápio.

Apesar de toda recomendação para provar as carnes, escolhemos um prato de massa (raviolones de tomate, muzzarella e manjericão) e risotto (risotto negro de hongos chilenos e champignones ao vinho tannat) que em sabor não ficaram devendo nada às apetitosas carnes que passavam a nossa volta.

Há muitas opções de entradas, pedimos uma que vinha com jamón crudo italiano enrolados em palmitos e salsa golf. Acompanha aquela cestinha de pães deliciosa comum dos restaurantes daqui.

A carta de vinhos é outro ponto que merece destaque, o restaurante conta com uma bela cava e há  uma boa variedade de rótulos. 


Aproveite que está no Uruguay e prove os bons vinhos locais, não é muito fácil encontrá-los no Brasil! Nossa escolha foi o Mburucuya da vinícola Antigua Bodega Stagnari.




Boas férias! Abraços! ;)

P.S.: as primeiras fotos foram copiadas do site do restaurante, dá para perceber que as minhas não ficaram muito boas olhando essa que apareço no vidro quando tentava tirar foto só da vista hehe. 
16