Curiosidade: Eleições presidenciais no Uruguai

Engraçado como o tempo vai deixando a gente menos sensível as diferenças do cotidiano, talvez porque os novos costumes se misturam tanto com aqueles que trazemos na bagagem que chega um momento que vira tudo um corpo só, deixando as referências do que é normal e diferente quase num mesmo plano.

Pode ser exagero, preguiça ou rotina, mas fato é que já não é tão fácil identificar as novidades.

E andava assim sem muita inspiração até que chegaram as eleições presidenciais e eu mergulhei novamente nesse mundo das diferenças e teorias de mesa de bar cheias de divagações sobre o sistema, comportamento, política, etc e tal. 

Confesso que fiquei receosa de trazer esse tema ao blog porque não queria fazer um artigo jurídico sobre o sistema eleitoral (não estudei nenhuma lei, são observações que vivi no dia a dia) e também não queria ficar naquele maniqueísmo eterno de direita X esquerda ou comparações do tipo melhor X pior.

Queria só dividir o que achei bacana no processo eleitoral no paisito e começo pelo que chamou mais minha atenção: as 'elecciones internas' que ocorreram ontem. 

Nessas eleições o voto é facultativo e as pessoas decidem qual candidato irá concorrer as eleições em outubro. Eu achei isso fantástico!

Basicamente são três partidos no Uruguai: Nacional, Colorado e Frente Amplio (há um partido independente também - e outros ainda menores, mas tem pouca representatividade e lançam apenas um candidato). 

Dentro de cada partido existem especies de sub-grupos, ou seja, no partido de esquerda ou direita há a banda mais conservadora, radical, etc, e essas 'correntes' escolhem um nome para disputar as 'elecciones internas', fazendo com que cada partido indique dois candidatos para o povo escolher. 

Imaginem se tivessemos o poder de escolher quem seria o candidato do partido X? Para ficar mais didático, é pensar que iriamos as urnas previamente decidir se o candidato a presidência seria Serra ou Neves, Lula ou Dilma. 

É bem verdade que o partido define os dois nomes que vão a disputa, mas é o povo quem declaradamente bate o martelo final de quem irá disputar o cargo mais importante da nação. Um pequeno e belo detalhe.

O mais curioso era ver a campanha correndo solta com mais de um candidato representando o mesmo partido. Era muito confuso para minha cabeça porque a principio não conseguia associar ideias a determinado grupo, não conseguia ligar um partido a uma identidade.

Via duas pessoas levantando as cores e bandeiras iguais, mas não necessariamente defendendo a mesma linha política, alguns inclusive propondo projetos opostos um do outro. Era coisa de fulano do partido X ser a favor da legalização da maconha, por exemplo, e ciclano do mesmo partido X ser contra. E em muitas oportunidades há trocas de farpas, grandes alfinetadas entre eles. 

Acho que de certa forma esse modelo abre a dinâmica interna dos partidos, tenho a ilusão que o poder saí - ainda que temporariamente - daquele lobby político de poderosos que financiam as campanhas com interesses duvidosos e pula para as mãos do povo.

As principais figuras não posam de amiguinhos nesse momento, é cada um querendo mostrar para quem importa - o eleitorado - quem é o melhor no jogo. Depois eles podem até fazer as pazes rs, mas é interessante acompanhar os movimentos que se criam.

Nesse ano muito se comentou sobre o baixo número de participação dos uruguaios, o menor número de votos desde que se instalou esse sistema, especialistas discutiram as razões da falta de interesse e a possibilidade de tornar o voto obrigatório ou realizar alterações no processo eleitoral. No total apenas 37% da população foi as urnas.

Sobre as diferenças na abordagem dos candidatos aos eleitores ainda tem muita água para rolar. 

Nessa campanha prévia se eu for comparar com o que vivia no Brasil, posso dizer que ouvi menos gritos e músicas irritantes rs, mas recebi muito papel no trânsito, na rua, na chuva, na fazenda... 

Tinha gente entregando panfleto em todos os lugares da cidade, haviam pessoas que não só entregavam papel como também buscavam persuadir os eleitores indecisos, falando sobre os candidatos e planos de governo. E vi bastante sujeirinha com os nomes, números e caras dos candidatos estampada nos muros.

Na tv passava muita propaganda dos candidatos, basicamente todas mantinham o mesmo padrão ou roteiro: candidato - povo - discurso - musiquinha da vitória.  

Outra curiosidade é que não se conhece quem será o candidato a vice-presidente, é apenas após a apuração dos votos e definição dos candidatos que os partidos se reúnem para escolher e anunciar a pessoa que irá juntar-se à campanha eleitoral.

E o resultado dessas eleições foi o seguinte:

Eleições presidenciais no Uruguai

Logo, a próxima eleição presidencial no Uruguai será disputada por Tabaré Vázquez (que já foi presidente anteriormente), Luis Lacalle Pou (filho de um ex presidente), Pedro Bordaberry e Pablo Mieres.

Você deve estar se perguntando cadê o Pepe Mujica nesse baile todo? O queridíssimo Pepe não disputará as eleições, como já tinha comentado no post sobre o Palácio Legislativo, o mandato parlamentar é de 5 anos e não se admite a reeleição imediata para o cargo de presidente da república.

E as pessoas estão arrasadas por perderem o presidente mais admirado dos últimos tempos no mundo? Err... não exatamente! 

No Uruguai o Mujica não é visto como esse herói que o resto do mundo exalta, tem muita gente que questiona duramente as políticas de governo dele, o caráter e humildade é algo obviamente ressaltado pela maioria, não é que as pessoas discutam se ele é honesto ou desonesto, as pessoas discutem as ações de governo que foram equivocadas ou não, e no saldo dos 5 anos a aprovação não beira a unanimidade como é de praxe imaginar quando se vive fora daqui. 

Eu faço parte do time que se sente representado pelo Mujica, não escondo uma ponta de orgulho quando vejo os discursos dele, acho digno, coerente, emocionante e ainda é estranho pensar que logo mais será outro nessa posição. Mas eu ainda não voto e para falar a verdade não estaria preparada para votar agora.

O Uruguai ganhou notoriedade pela coragem de tratar temas difíceis e estabelecer uma política que vai contra a hipocrisia moderna, será no mínimo interessante acompanhar os novos caminhos que serão traçados no país. 

E já foi dada a largada!


Abraço! :)

18 comentários

  1. Então era para isso as propagandas todas que eu via nas ruas quando estive no final de abril. Bem que achei estranho aparecerem 2 candidatos do mesmo partido....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, devia ser isso mesmo... Diferente, né? :)

      Excluir
  2. Verdade, uma pena chegar aí e não ser representada pelo Pepito! Por que não vota, Mile? O motivo tem a ver com o tipo de visto? Bjoca. Até breve :) Rê

    ResponderExcluir
  3. Olá Mila, sou brasileira, moro no Rio Grande do Norte, região nordeste. Gostaria de pegar algumas informações c vc sobre Montevidéo. É possível vc me enviar seu email?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lú, caso venha visitar o país e precisar de serviços ou informações entre em contato através do nosso email uruguias@gmail.com. Obrigada!

      Excluir
    2. Oi Lu!

      O e-mail do blog é contato@viveruruguay.com e temos perfil no facebook (Viver Uruguay) e instagram (@viver_uruguay).

      Abraço!

      Excluir
  4. Pepe Mujica para Presidente do Brasil! Que pena que o querido Mujica não comandará o Uruguai nos próximos anos, mas é corretíssimo o fato de não ter reeleição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há possibilidade de reeleição, porém não imediata! Igual não creio que ele seja novamente candidato daqui a 5 anos! :)

      Excluir
  5. Ana Maria Martins.13 de julho de 2014 23:35

    Muito boa matéria. O presidente Mujica virou ídolo de muitos brasileiros. Figura admirável.
    Boa sorte para o Uruguai

    ResponderExcluir
  6. Só brasileiros mesmo para achar que o Mujica possa ser uma espécie de "herói" .
    Qualquer povo minimamente civilizado e politizado sabe que o ex-guerrilho Tupamaro não é lá essas coisas para conduzir um país. Ele não passa de um populista, e por isso boa parte dos uruguaios o desprezam. Na verdade a sua eleição foi mais uma peça que o destino pregou no país, ao conduzir alguém tão caricato ao cargo mais importante deste belo país .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade só sendo o tipico brasileiro coxinha para pensar que é mais 'civilizado e politizado' que os demais, para se convencer que somente suas verdades e seus lideres representam o caminho e a salvação (fenômeno mais curioso brasileiro que por uma condição ou outra se enxerga como o suprassumo da especie, apenas ele - e aqueles que ele dá o status de semelhante - são bons o suficiente para dizer o que está certo ou errado), para ler títulos de reportagens rasas e sair reproduzindo achando-se o máximo entendido da conjuntura sócio-econômica mundial...

      Não fui muito feliz no texto usando o termo 'herói' em referência a essa grande admiração que o Mujica provoca no mundo inteiro - no mundo, não apenas na cabeça dos brasileiros.
      Quis mostrar também que aqui não existe uma aprovação cega e que existem reacionários, mas não sei qual foi a fonte que você pesquisou que aponta que as pessoas o desprezam - risos.

      O Mujica é muito mais que um guerrilheiro e uma figura populista. Mas sei lá, tem gente que acha que filhotes da ditadura são representantes mais dignos e competentes, por exemplo, vai entender...

      Excluir
  7. Mile!!
    A nossa ex-guerrilheira comandou o Brasil com mão firme nos últimos 4 anos, nosso país conquistou respeito, realizamos obras gigantes de infraestrutura, isso incomoda! Aqui os coxinhas brotam como gremlins...coitados, a grande maioria são boçais..inclusive, entre eles tem os que pedem pela volta da ditadura! E viva a democracia!! Vou acompanhar teu blog! Amo o uruguai e temos planos para morar ai..caso a Marina Silva se torne presidente!! hahaha
    Abraço!
    Sandra Maia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu jurei fazer cara de paisagem quando por um motivo ou outro falasse de política no blog, mas né? Nunca vou entender esse discurso 'ex-guerrilheiro-inimigo da nação'.

      Obrigada pela visita! Se a condição para a mudança for essa, espero que você viva no Brasil por muito tempo rs!

      Abraço!

      Excluir
  8. Oi, Mile! Adoro seu blog, acho seus comentários fantásticos! Desde a primeira vez que fomos ao Uruguai, meu marido e eu temos vontade de ir morar aí. Só conhecemos Montevideu e Punta, mas já foi o suficiente pra nos apaixonarmos. Já programo as minhas férias de acordo com o verão daí. Rsrs. Então, agora estou pesquisando sobre questões práticas, como política, economia, estilo de vida, empregos... E os teus posts tem me ajudado bastante!! Obrigada!

    ResponderExcluir