Uma noite no museu: tango e comidas típicas uruguaias

Uma noite mágica, foi com esse pensamento que voltei para casa depois de jantar no Primuseum

Reservamos uma mesa para às 21h e com alguns minutinhos de atraso chegamos na porta do restaurante, museu e casa de show (um lugar 3 em 1 só pode ser sinal de coisa boa, né? ) que fica na Ciudad Vieja.


Já na entrada os itens que compōem a coleção do museu chamam a atenção: são muitos Primus  - como ficaram conhecidos por aqui aqueles fogareiros a querosene utilizados para cozinhar, na verdade Primus era o nome da marca que patenteou e desenvolveu esses aparatos em 1891 - que estão cuidadosamente espalhados pelo belo casarão e também outros objetos que eram usados antigamente nas casas e armazéns, como placas e cartazes, garrafas e faróis, utensílios e eletrodomésticos de cozinha.



Essas peças são colecionadas por Aldo Mazzoni há mais de 30 anos, atualmente são cerca de 3000 peças em exposição, sendo cerca de 300 primus. Faz pouco tempo a família decidiu compartilhar esse acervo numa proposta aliada a outros clássicos uruguaios: tango, vinho tannat e culinária criolla

O casarão do século XIX ganha vida com boa música, boa comida e boas histórias sobre os pequenos tesouros que o próprio Aldo ou seus filhos, Florencia e Santiago, se animam a contar aos curiosos visitantes.


A proposta gastronômica do Primuseum é diferente, o menu é fixo, não dá para chegar e escolher diferentes pratos, funciona como uma degustação de comidas típicas servidas em seis passos. Seis, gente. É abundante e gostoso.

Tudo começa com uma tábua de frios e embutidos, em seguida vem bruschettas, depois mini chorizos e morcillas, logo matambre a la pizza, o prato principal que pode ser rack de cordeiro ou baby beef e a sobremesa pudim de doce de leite e torta de maçã.

Primuseum Tango Montevideu



Na parte de bebidas o que nos surpreendeu positivamente foi a qualidade do vinho da casa, engarrafado e etiquetado exclusivamente para o restaurante, elaborado artesanalmente por uma pequena vinícola de Colonia.

É servido também água, chás/café e limoncello.


Tudo isso ao som do mais puro tango (que acho importante frisar tem também raízes uruguaias).

E o que falar da banda simpaticíssima que tocou na noite? Fiquei com vontade de abraçar o senhor do piano quando o show acabou. Achei lindo, me emociono com tango, acho um negócio dramático, apaixonado e ao mesmo tempo orgulhoso. 


Tudo ornando para deixar a noite mágica! ;)

É uma experiência que vale tanto para turistas como moradores, apesar da maioria dos presentes serem estrangeiros, não achei um lugar pegadinha para turista, sabe? 

Tenho um pouco de aflição do que se diz cena-show porque geralmente você compra uma apresentação as vezes até legal, bonita e tal, mas a comida deixa a desejar, é levada como algo secundário, e né? Eu gosto de comer, a comida jamais será um fator menos importante rs. 

Então encontrar um lugar que acredita no conjunto da obra apresentando um show típico de qualidade e igualmente se preocupando com o que vai à mesa é um achadinho daqueles que a gente conta empolgada aos amigos.  

Me perguntaram no Instagram se custava caro (segue a gente @viver_uruguay e acompanhe as novidades antes de virarem posts no blog) e sinceramente achei que o valor cobrado pode ser cobrado por todo o conjunto que oferece: 65 dólares por pessoa que inclui o show, o menu com as comidas e bebidas (o vinho é servido a garrafa, por exemplo) e o ambiente que é algo único. 

Não é exatamente barato, mas vale a pena, pra gente foi uma noite especial e super agradável! Terminamos sendo convidados pela casa (me falaram que era uma cortesia quando pedi a conta, olha que alegria rs!), antes disso já estava certa que queria voltar e celebrar um bocadinho mais a vida com comida farta e música boa.

O Primuseum fica bem pertinho do Mercado do Porto e abre de quinta-feira a domingo a partir das 20:30 (não abre para almoço). 

Recomendo fazer reserva (tel 099 217645 / info@primuseum.com) e ir de táxi, não é legal se perder pela Ciudad Vieja caminhando a noite.

Divirtam-se! Abraço!

11

Desafio 7on7: Placas

O tema do mês de abril do desafio 7on7 foi placas. 

É curioso como as placas podem dizer sobre os lugares que visitamos, são pequenas mensagens que muitas vezes mostram tradições e detalhes do cotidiano. 

Num primeiro momento não tive muita ideia de placas interessantes para comentar, mas logo comecei a lembrar de várias que mereciam o registro, como as placas nas estradas uruguaias que indicam que a cidade é um balneário, tem sempre desenhado 3 símbolos: uma onda, um guarda-sol e uma bola, acho fofo, me dá nostalgia das férias em família, quando era criança durante a viagem ia pensando exatamente nesses três elementos.

Depois lembrei da mais clássica que encontrei: a placa do Chuí na fronteira do Uruguai, fiquei empolgadíssima e com aquela frase do Oiapoque ao Chuí gritando na cabeça, sempre tive como o ponto final, mas a placa me dizia o contrário, ali começava o Brasil, porque tudo na vida é mesmo uma questão de perspectiva, né?

Placa Chuí

Por fim, pensei em mostrar também as placas que fazem parte do dia a dia e fui dar uma volta no bairro para ver o que encontrava e o resultado foi o seguinte:

Placa 1 - 5 de Oro

O 5 de Oro é a loteria deles, sempre me dá um nó na cabeça tentando entender quanto dinheiro será sorteado, é muito zero, gente! Na propaganda na tv dizem tantos milhões de pesos uruguaios e em seguida falam mais ou menos tantos mil dolares, e aí sinto que estão falando comigo rs. 

Dá para fazer uma fezinha em postos como nossas lotéricas ou em armazéns, mercadinhos de rua. Vou contar que de vez em quando jogo, ja acertei 2 números, quem sabe um dia acerto os 5? Comparada com a mega sena a grana é pouca, quase nunca passa de 3 milhões de reais, mas né, tô aceitando mesmo assim rs.

Placas uruguaias


Placa 2 - Plan Ceibal

No Uruguai há um projeto muito bacana de inclusão social e digital chamado Plan Ceibal, cada criança matriculada em escolas da rede pública (e professores) recebe um computador portátil que possui conexão wifi na escola e em espaços públicos como praças.

Placas uruguaias

Há críticas a efetividade do projeto no desenvolvimento educacional dos alunos, particularmente eu acredito que há objetivos e funções a serem corrigidas, mas a ideia como um todo é algo genial, garante acesso a informação e ferramentas de comunicação a milhares de estudantes.

Placa 3 - Nomes das ruas

Em Montevidéu essas são as placas que indicam os nomes das ruas (algumas são de cor verde, nesse mesmo formato e apenas com o nome da rua, não tem a publicidade).

Placas em Montevidéu

Eu sou péssima com mapas, me perco até com GPS, mas aqui acho super fácil encontrar os lugares, as placas estão em todas as esquinas.

Placa 4 - Parada de ônibus

A placa pode ser bem discreta e difícil de enxergar (há paradas com teto e banco também, outras tem só essa placa presa no poste e a pessoa espera em pé na calçada). 

Não é todo ônibus que pára em todo ponto, há paradas específicas para cada linha (na placa tem também os números dos ônibus que param ali). 

Placas em Montevidéu

Até onde lembro em Salvador se pegasse o ônibus X, ele ia parando em cada ponto, aqui os ônibus vão saltando algumas paradas, no início me confundia bastante porque nunca sabia onde esperar, mas hoje já tiro de letra.

Placa 5 - Cuidemos nossos espaços públicos

Frente e verso da placa que ajuda a lembrar que a caquinha do cachorro é responsabilidade dos humanos. 

A resolução da prefeitura prevê multa para quem esquecer de recolher, mas a realidade é que eu nunca vi ninguém controlando e já vi muita gente esquecida na pracinha.

Placas em Montevidéu

Para terminar o desafio, deixo meu bairro e trago a última foto com uma colagem das casas com nomes. 

Já escrevi um post contando essa curiosidade dos uruguaios batizarem as casas e colocarem placas na entrada, é uma tradição que acho super divertida, não vemos com frequência na capital, mas é só chegar nos balnearios  para encontrarmos muitas placas e nomes diferentes.

Placas casas Uruguai


***

Estou adorando participar e trazer temas mais comuns para o blog. Logo mais espero publicar as fotos do tema do mês de maio: street art em Montevidéu, tem muuuita coisa linda nessa cidade! :)

Abaixo os links das meninas que participam da blogagem coletiva:

Bárbara do Barbaridades (Irlanda)
Carol do Ideias Sortidas (Holanda)
Bia do Um Fabuloso Destino (Brasil)
Ana do This German Life (Alemanha)

Abraço!


4