Viajando com bebês

Escrevi esse post respondendo algumas dúvidas sobre viajar com bebês para Montevidéu, contei as marcas de leite, fraldas e papinhas que encontramos na cidade, aonde ir em casos de emergência, citei lojas especializadas em artigos infantis, etc.

Mas as mensagens de mães preocupadas com a viagem continuam chegando e pensei em escrever um novo post para compartilhar ideias que podem facilitar esses dias fora de casa.

O que vou contar são coisas que funcionam com a minha família, como nós encaramos as viagens com a pequena Gabi. 

viajar bebês uruguai

A primeira coisa que aprendi foi reduzir as expectativas, se há 2 anos atrás eu planejava uma viagem pensando em otimizar o tempo passando todas as horas na rua emendando uma coisa na outra, agora descobri que menos é mais, no roteiro do dia entram bem menos atividades.

Paciência de bebê é um troço que acaba rápido e forçar a barra é stress garantido para todo mundo, não dá para achar que vai visitar um museu ou fazer um city tour por 4h seguidas com o pequeno feliz no carrinho.  

Precisamos respeitar os tempos deles, parar na hora do almoço, lanche, deixar fazer as sonecas, brincar, conhecer os limites dos nossos bebês.

A primeira viagem de Gabi sem ser para a casa das avós foi a Carmelo quando ela tinha 4 meses, ela só tomava leite e dormia bem, mas na dúvida achamos melhor investir num hotel que oferecia uma estrutura boa e solicitar o quarto mais afastado, se ela estranhasse e chorasse pelo menos não teríamos vizinhos incomodados.

viajar bebê montevideu

Nessa época ela ficava enjoadinha a noite antes de dormir. Por mais que eu quisesse sair para jantar fora, sabia que para ela não seria legal nesse período do dia estar num ambiente com gente, música e um mundo de coisas chamando a atenção. Optamos não sair nas noites, pedimos comida no quarto e fomos todos felizes rs.

A viagem seguinte foi para Colonia del Sacramento quando ela tinha 6 meses, dormia a noite inteira 10h seguidas (bons tempos que não voltam mais rs!), o que nos deixou bem tranquilos para escolher um quarto com vizinhos por perto. 

Estavamos no começo da IA, mas ela só comia frutas, foi a viagem mais fácil até hoje. Frutas encontramos em qualquer lugar, é sentar, amassar uma banana num pratinho e voilà. 

viajar com bebê montevideu

Eu usava uma garrafa térmica com água morna que durava horas (uma comum e barata dessas que usam para o levar a água quente do chimarrão mesmo, comprei no mercado). Quando tinha que dar leite, era só colocar a água na mamadeira e adicionar o pó. Não precisava ir na cozinha do hotel no meio da noite pedir para esquentar nem nada. 

Além da garrafa térmica, nas viagens mais longas levava frutas e um kit que me ajudava a preparar um lanche na estrada: o bowl smash & serve da Nuk era um parceirão, colher de silicone, descascador, ralador de maçã e uma mini faca para cortar as frutas. 

Viajar com bebê Montevideu

No dia a dia quando saio de casa, tento sair com Gabi já alimentada ou com a papinha pronta na bolsa para ser oferecida em seguida, poucas vezes pedi comida para ela em restaurantes. Das vezes que precisei pedir, sempre atenderam de bom grado.

Facilito e peço gentilmente coisas que têm em qualquer cozinha: uma porção de arroz branco e alguma verdura cozida (batata, abóbora, batata doce, cenoura, ou dou o brocolis da salada, ela ama hehe).

Só complica mesmo se a pessoa fizer exigências: que a papinha seja de verdura orgânica, cozida a vapor, temperada com ervas finas e frescas, etc.

Não tenham medo de viajar por causa da comida ou de não conseguir aproveitar os passeios, fazer menos coisas pode ser bem divertido também, ter que parar mais vezes nos permite observar melhor o que está a nossa volta e desfrutar com tranquilidade.

Muita gente me pede dicas de atividades para entreter os pequenos e eu acho que bebês não precisam necessariamente de um parquinho e brinquedos tradicionais para se divertirem, eu consigo entreter minha filha na mesa do restaurante com migalhas de pão ou com pedrinhas no banco de uma praça, apontando um pássaro voando ou um cachorro do outro lado da rua, jogando meu corpo para um lado e para o outro fazendo algum som bobo.

viajar com bebê uruguai

Agora atividades para os pais que os bebês possam acompanhar com conforto é outra coisa e deixo algumas sugestões: conhecer as atrações do bairro do Prado que ficam lindas agora na primavera; passear no Parque Rodó, uma área verde enorme com feirinha aos domingos, fotogaleria a céu aberto, brinquedos e a orla em frente para passear.

Ou ainda ir aos museus, nesse post tem uma lista grande, a maioria permite visitas proveitosas em 40 minutos; ver a cidade do alto no mirante da prefeitura; conhecer o mercado agrícola; almoçar na Ciudad Vieja e passar na bela livraria Más Puro Verso; tirar foto no letreiro com o nome da cidade e ir tomar um chá ou café na Madame Brûlée; assistir o por do sol e mais um mundo de possibilidades.

Falando em conforto, acho o carrinho indispensável, parece um trambolho para levar junto com as malas, mas garante as sonecas em qualquer lugar e não paga nada extra na cia aérea para trazer (o mesmo para a cadeirinha do carro, tem locadora que oferece, mas nunca é barato).

Outro acessório super útil é o sling/canguru, é maravilhoso para passeios como feiras ou nas ruas de paralelepípedos de Colonia, onde circular com o carrinho acaba sendo uma missão.

Para o banho sempre levo nossa banheira dobrável, a inflável ocupa menos espaço, mas as viagens por aqui foram todas curtas, deu tranquilo na mala e acho mais prático que ficar assoprando/enchendo a outra.
Viajar criança Uruguai
Tento levar algo familiar que usamos em casa, ela nunca pegou naninha nem bichinho para dormir, acabo levando o tapete de atividades, a Sophie e algum brinquedinho que ela esteja curtindo no momento.

Para a viagem de avião busco levar alguma novidade tanto para o voo da ida como o da volta, e tomo cuidado para não ser brinquedos que façam barulhos (coisa mais irritante viajar com musiquinha de brinquedo, gente rs).

O elemento novo acaba chamando bastante a atenção, pode ser uma caixa vazia ou uma garrafa pet, um livro, mordedor ou ursinho, as vezes resolve, outras só o peito salva e na pior das hipóteses a gente faz reza forte para chegar logo, mas desistir de viajar, jamais rs.

Quando me dizem que viajar com bebê dá trabalho e é melhor esperar crescer, só dou uma risada sem graça e mentalizo nossa rotina: trabalho nós temos em casa também cuidando da cria sem babá, diarista nem avós por perto e aí? Viajamos, sim!

Espero que estejam animados e que aproveitem muito as férias em família! :)


9

Conhecendo o Palácio Salvo

As visitas guiadas no Palácio Salvo começaram há pouco mais de um ano, na época até escrevi esse post contando a novidade.

Mas entre trabalhos, gravidez e nascimento da bebê, só agora consegui fazer a visita e já digo que amei a experiência, foi incrível a sensação de estar no topo do edifício, ver a cidade lá de cima e conhecer novas histórias e personagens.

Tinha ido no Centro resolver umas coisas, terminei tudo ainda cedo e aproveitei que era dia de visita no Salvo para turistar.

Visita guiada no Palacio Salvo

Fui sozinha mesmo, cheguei na recepção do prédio, paguei os 200 pesos do passeio e fiquei esperando o grupo se formar segurando minhas sacolas e lamentando a falta da câmera, o dia estava especialmente lindo, mas né? Ninguém vai pagar contas e comprar bugingangas coloridas para aniversário de criança com uma câmera na bolsa rs (as fotos desse post foram todas feitas com o celular).

O guia se apresentou às 16h e começamos o tour, éramos umas 16 pessoas, apenas 3 não eram brasileiros. 

Não sabia se contava detalhes, mas achei que valia uns spoilers porque percebi que muita gente não entendia o que o guia falava em espanhol, o que gerava uma certa impaciência em alguns participantes que só queriam tirar fotos no mirante. Uma senhora interrompeu o guia 3 vezes para alertá-lo que quando chegássemos no terraço já estaria escuro.

Vá preparado para 2h de visita (ainda que vendam como 90 minutos, dura um pouco mais) e controle a ansiedade, chega-se no mirante apenas no final do passeio, nos últimos 30 minutos. 

O que acontece nos outros 60-90 minutos é uma viagem no tempo, começamos com um breve relato sobre a família Salvo, imigrantes italianos da região da Liguria que chegaram em Montevidéu e fizeram uma verdadeira fortuna inicialmente trabalhando no ramo de confecções.

Os negócios da família se diversificaram e surgiu o projeto do Palácio Salvo, a ideia original era construir o primeiro arranha céu da cidade, um ícone arquitetônico para ficar na história e ser um símbolo de agradecimento ao lugar que os acolheu e tantas oportunidades lhes ofereceram, e pelo lado econômico funcionaria como um hotel.

A realidade foi que apenas uma mínima parte do prédio funcionou como hotel, os demais espaços tiveram outros fins.

Para a construção foi aberto um concurso onde vários arquitetos se apresentaram, o mais bacana é ver imagens dos 18 projetos selecionados. O concurso não teve um vencedor declarado, mas tempos depois os Salvo chamaram o jovem arquiteto Mario Palanti, também italiano que vivia em Buenos Aires e já tinha desenhado o Palacio Barolo, para assinar o projeto da família.

Mario Palanti é outro personagem das histórias rio platenses,  construiu dois edifícios emblemáticos que retratam a época do apogeu da economia e sociedade uruguaia e argentina, os prédios são chamados de irmãos gêmeos, ambos tinham faróis que no imaginário do arquiteto se 'comunicariam', ele esperava que as luzes cruzassem todo o rio que separa as capitais e se encontrassem, pela curvatura da terra essa comunicação resultou inviável.

O farol do Barolo segue lá, já o do Salvo desapareceu, conta-se que não teve autorização para funcionar, pois confundiria os navios do porto. 

O Barolo foi inspirado na Divina Comedia de Dante e atualmente se mantém melhor conservado, no Salvo existe uma realidade bem diferente, há uma grande mescla de tudo, de salas comerciais e apartamentos, no interior do edifício funciona a tradicional rádio nacional, um clube de bilhar (achei total cena de filme na hora que abriram uma portinha e vi várias mesas de sinuca com senhores jogando às 17h da tarde de uma terça-feira), há uma gama de vizinhos impossível de unificar ou definir.

Onde hoje funciona um estacionamento, já foi um teatro importante da cidade. Onde existiu o café La Giralda, local onde foi tocado pela primeira vez La Cumparsita, talvez a canção de tango mais conhecida do mundo, é hoje uma loja da Movistar.

O que fazer em Montevideu

Acho complexo fazer uma leitura do que é o Salvo hoje, mas sinto que guarda algo de esplendor dos tempos áureos, mas há também uma atmosfera decadente, vemos roupas penduradas em varais simples contrapondo com vitrais históricos e imponentes.

Lá no Palácio vemos ainda vários elementos esotéricos, místicos e da maçonaria expostos nos detalhes. 

Do lado de fora sob os arcos que dão para a Plaza Independencia encontramos formas marinhas, na passagem que liga a rua Andes e a praça há figuras no piso que supostamente marcam um campo magnético e faz muita gente parar no centro para receber boas vibrações, no hall de cada piso vemos figuras com o número 8 e flor de lis.

Visita guiada no Palacio Salvo

Visita guiada no Palacio Salvo

Visita guiada no Palacio Salvo

Outra história curiosa é a do fantasma do sétimo andar, muitas pessoas juram terem visto em várias oportunidades um senhor bem vestido de preto, ao que parece é um fantasminha camarada que já salvou os vizinhos de assaltos.

Acreditam que seria o fantasma do José Salvo, um dos três irmãos Salvo que inclusive nunca moraram no edifício. 

Ele teve uma morte trágica, tinha uma filha com necessidades especiais que se apaixonou/foi seduzida pelo galã interesseiro do bairro, um boêmio que só queria saber de gastar a fortuna da família, conta-se que deu de presente um fino chalé a Carlos Gardel de quem era admirador, não contente com a gastança do dinheiro alheio, encomendou o assassinato do sogro, que morreu atropelado.

Há muitas lendas que circulam pelos corredores estreitos do enorme prédio, alguns parecem labirintos e contribuem para alimentar esses contos.

Depois de conhecer várias curiosidades chegamos no terraço, é a coisa mais linda ver a cidade com as cores do entardecer, a perspectiva da Plaza Independencia, do Rio de la Plata, porto e Avenida 18 de Julio lá de cima é simplesmente sensacional.

Visita guiada no Palacio Salvo

Visita guiada no Palacio Salvo


E em seguida subimos para o mirante do vigésimo quarto andar que fica na cúpula direita da torre (de quem olha no sentido da praça para a 18 de Julio) e assim terminamos a visita com chave de ouro: um passeio imperdível de verdade!

Visita guiada no Palacio Salvo
Visita guiada no Palacio Salvo

As visitas acontecem toda terça e quinta-feira às 16h. E também em sábados aleatórios de cada mês, não tem datas fixas, tem que entrar na página do grupo que organiza as visitas para conferir a programação.

Para anotar no roteiro de viagem! ;)

Abraço!

8

3 vinhos tintos uruguaios por menos de 25 reais

Escrevi esse post no feriado de 25 de agosto depois de garimpar uns vinhos no supermercado e acabei não publicando, foi um feriado no meio da semana e com visita da Bahia em casa, a deixa perfeita para um almoço demorado regado a vinho.

Vinho daqui da terra, é claro. Bato sempre nessa tecla de consumir produtos locais durante as viagens, na minha cabeça não faz muito sentido ir num restaurante em Montevidéu e pedir marcas estrangeiras que encontramos com facilidade em qualquer prateleira de supermercado no Brasil, a surpresa de provar algo diferente é tão mais gostoso, né?

Sei que a escolha do vinho é muito pessoal, mas também sei que muita gente fica perdido na hora de escolher o que levar quando se vê entre tantas opções, então pensei que poderia dividir meus vinhos uruguaios preferidos e começo com rótulos que custam menos de 200 pesos, provando que dá para beber bem gastando pouco.

O primeiro da lista é um tannat, a cepa de origem francesa que se adaptou perfeitamente em terras uruguaias, é o vinho que se pensa quando falamos do Uruguai.

1- Tannat Brisas de Garzón 2012 - Bodega Garzón - Preço: 179 pesos uruguaios.

vinhos uruguaios tannat garzon

E seguindo com outras opções porque não só de tannat vive a viticultura do paisito.

2- Syrah Reserva Familiar 2015 - Bodega Montes Toscanini - Preço: 149 pesos uruguaios

Seleção vinhos uruguaios 2015

3- Merlot Reserve 2011 - Bodega De Lucca - Preço: 178 pesos uruguaios

vinhos uruguaios merlot de lucca


***

Lembrando que esses valores são para compra em supermercados ou vinotecas, em restaurantes as garrafas acabam custando o dobro ou triplo do valor original.

Algumas dicas de locais para comprar vinhos em Montevidéu: Las Croabas um armazém de vinhos na Avenida Rivera com longa trajetória no ramo, na loja Los Dominguez (tem no Montevideo Shopping e é bom para comprar azeites  de oliva também),  na redes Iberpark (encontramos várias no Centro e Mercado Agrícola) e na Esencia Uruguay que além de lojinha, oferece degustações de vinhos nacionais.

O free shop do aeroporto Carrasco costuma ter boas promoções - geralmente do tipo compre 2, leve 3 - sempre compramos quando voltamos de viagem porque realmente compensa.

Os próximos posts serão com sugestões de vinhos até 500 pesos e outro até mil pesos. E mais um sobre os brancos e espumantes. Me empolguei e já estou pensando num post similar para as cervejas artesanais.

Bons drinks, bons vinhos, saúde! :)

8

Bate e volta em El Pinar: Almoço no Burdeos

Quem acompanha o Instagram do blog viu que na semana passada pegamos a estrada para almoçar em El Pinar, um bairro bem conhecido da Ciudad de la Costa que fica aqui pertinho de Montevidéu.

Ainda não conhecia o Burdeos Restaurant e apesar de ter sido super bem recomendado por amigos, foi uma das melhores surpresas dos últimos tempos: sabe quando o lugar supera as expectativas e você fica encantada querendo repetir o passeio antes mesmo de terminar?

Encontramos um ambiente super rústico e aconchegante nas margens do Arroyo Pando, cercado de dunas branquinhas sob um céu azul irretocável, das alegrias de um inverno ensolarado.

Burdeos Resto El Pinar
Burdeos Resto El Pinar




Curiosamente por um bom tempo fomos as únicas clientes do dia, toda aquela belezura só pra gente, o clima era como se estivéssemos na varanda da casa de praia boho-chic que eu não tenho rs!

Burdeos Resto El Pinar

Burdeos Resto Pub El Pinar



Pedimos clericot para brindar e veio com guacamole e pães caseiros, em seguida chegou a picada de mar e aí o restaurante terminou de me conquistar: poucas vezes comi frutos do mar tão bem preparados no Uruguai, estava tudo delicioso de verdade.

A picada são 9 pratos pequenos com diferentes comidas: polvo, camarões gigantes, camarões ao alho e molho de tomate, calamares, mexilhões, bolinho de peixe frito e buñuelo (um bolinho feito com alga marinha).

A mesa ficou parecendo um banquete e serviu muito bem 3 pessoas pelo preço de 1300 pesos mais as bebidas.





O Burdeos funciona de quinta-feira a domingo para almoço e jantar e nos finais de semana tem que reservar, inclusive na baixa temporada.

Fomos com indicações soltas e terminamos pedindo ajuda no meio da viagem: quando acabar o asfalto pegue a estradinha de terra à direita.

No final da rua vimos um lugar que 'parecia' o restaurante, descemos e tchãram: era lá mesmo! Não tinha nenhuma placa chamando atenção para o estabelecimento, o que reforçava a ideia de ser um achadinho, além disso não tem quase informação na internet, o que é bem raro hoje em dia.

Olhando agora no mapa não parece tão difícil, mas de novo cadê placas com os nomes da rua? A dica é ativar o GPS ou encontrar a Avenida General Artigas e seguir até o final em direção ao Arroyo Pando.

Nosso passeio foi um bate e volta desde Montevidéu (distante uns 30-40 minutos), mas pode ser uma ótima opção para quem está viajando rumo ao leste, muita gente aluga carro e acho que é uma parada que vale a pena fazer: El Pinar fica justo no caminho da interbalneária, a estrada que leva a Punta e outros destinos.

Eu tive a companhia queridíssima da Carine e Luísa. As duas estudam gastronomia aqui e a Lu escreve um blog com receitas maravilhosas e várias dicas do Uruguai (vejam o link para também acompanhar).

Burdeos Resto El Pinar
Burdeos Resto El Pinar

Espero que a tarde de vocês seja igualmente divertida e prazerosa! :)

Abraço!


9

O que fazer em Montevidéu? Agenda de Setembro!

O post mais pedido da história do blog foi esse com a agenda de setembro.

Queria muito ter conseguido publicar antes do feriadão, mas setembro é um mês muito particular pra mim, por aqui tem bebê fazendo aniversário, festinha de um aninho chegando, visita da Bahia em casa, projeto novo - e ainda surpresa - do blog em fase de ajustes, ou seja, uma pessoa que é pura ansiedade e que fica toda atrapalhada na vida rs.

Pensei que não tinha mais graça fazer a agenda depois que todo mundo já tinha ido embora, mas para minha surpresa os pedidos continuaram chegando, então vamos lá falar dos eventos que estão pintando.

Começando com essa imagem linda, colorida e feliz.

O que fazer em Montevideu em setembro


Setembro é o mês da diversidade, o letreiro com o nome Montevideo que já virou um dos símbolos mais marcantes da cidade ganhou as cores do movimento LGBT no último sábado, se a foto nesse ponto já era imperdível, agora com essa mensagem de tolerância e respeito ficou mais especial.

E quem estiver na cidade no fim do mês (25/09), poderá participar também da caminhada pela diversidade.



Para os amantes do vinho a noite dessa quarta-feira 09/09 será perfeita para degustar vinhos das principais vinícolas uruguaias no evento Salón del Vino no elegante Club de Golf da capital.

Outra opção é assistir o show da murga Los Patos Cabreros a partir das 21h no Teatro El Galpón que fica na Avenida 18 de Julio. Ingressos a venda nos postos Abitab.

Se o vinho ou a murga não te apeteceu, a noite ainda reserva um show de tango com Ricardo Olivera, considerado a voz do ritmo uruguaio. A apresentação será no Sodre. Mais informação nesse link.

No dia 12/09 chega a Montevidéu o show lindo de viver de Gil e Caetano. Eles se apresentam no Velódromo Municipal. Mais info aqui.

O Teatro Solís está com um projeto super bacana com entrada franca acontecendo toda sexta-feira e sábado de setembro, chama Tangos al mediodía e são apresentações de destacados casais de bailarinos dançando tango.

A dica de sempre para curtir uma experiência diferente no Solís é assistir um espetáculo na sala principal do teatro, é inesquecível, acredite. 

Nos dias 18, 20 e 22 segue a Temporada de Ópera e não vale dizer 'ahhhh Jamile, mas eu nem curto ópera, nunca fui, não sei se vou gostar' porque eu vou dizer para você se aventurar, acho de verdade que viajar é uma oportunidade única de experimentar e descobrir novos gostos, prazeres, habilidades. 

Dê uma chance de ver o teatro com vida numa produção caprichada. Se a ópera for demais, invista no Tangombe, um festival novo que tem início no dia 24/09 e une dois ritmos que representam o Uruguai: tango e candombe.

E voltando para o mundo dos vinhos, no dia 19/09 a Bodega Filgueira promoverá um evento para os vegetarianos, achei sensacional a ideia do menu diferente porque sempre vemos a harmonização de vinhos com carnes, né? 


O pub irlandês Gallagher's segue com o happy hour de terça-feira dedicado as meninas, o Ladies Night garante promo 2x1 de drinks para as mesas com grupos de chicas.

O The Shanoon Irish Pub é uma opção para anotar na agenda, tem cerveja boa e bandas ao vivo se apresentando todos os dias, vai de música celta, jazz, blues a covers de bandas gringas clássicas dos anos 80 e 90. Veja a programação aqui.

Tinha esquecido de colocar a Expo Prado na nossa agenda e recebi mensagem de dois uruguaios (obrigada!) comentando sobre a importância do evento: é a maior feira rural do país e acontece há mais de 100 anos.

Dentro da feira encontramos mil possibilidades: barraquinhas de comidas, degustações de vinhos, competições equinas, exposições de animais, shows, palestras, vendas de equipamentos rurais, etc.

A entrada custa 170 pesos, já começou nessa quarta-feira e vai até o dia 20/09.

Essas são algumas ideias para o mês, lembrando de outras, atualizo o post! Boa viagem! :)


13

Chá da tarde em Pocitos: Madame Brûlée

A Madame Brûlée já apareceu em dicas soltas aqui no blog e no perfil do Instagram, mas faltava dedicar um post todinho para a casa de chá mais charmosa do bairro Pocitos.

Casa de cha em Montevidéu

Inconscientemente ia adiando porque sempre que tentava escrever vinha tanta coisa na cabeça que não sabia por onde começar, sabe?

É que o lugar tem um borogodó diferente, uma energia especial que deixa a gente mais feliz quando passa lá e eu ficava pensando como transmitir isso em palavras.

A casa de chá é um projeto de três brasileiros queridíssimos inaugurada há pouquíssimo tempo em Montevidéu, mas que já é sucesso absoluto nessas tardes frias de inverno.

É inevitável não cair de amores por tudo que vemos e comemos na Madame Brûlée, dá para sentir que cada detalhe foi pensado com muito carinho, desde a decor que é uma graça (olha essa bicicleta fofa com flores na entrada), passando pelas louças belas e delicadas, até chegar nos doces maravilhosos: encontramos, por exemplo, nosso tradicional brigadeiro, quindim e pão de mel e também delícias tipicamente uruguaias como o doce de leite e torta alfajor, ou seja, o melhor dos dois mundos rs!

Casa de cha em Montevideu

Onde comer em Montevideu

Dicas de Montevideu

Para acompanhar os doces, tem cafezinho servido na mesa com um mini coador para passar na hora e sentir aquele cheirinho bom de café fresco e a linha de chá artesanal que além do sabor incrível, tem propriedades terapêuticas e vou falar que funciona mesmo, viu? Tem chá para ajudar a controlar as emoções, medos, melhorar a auto estima, afrodisíaco, etc.

E para terminar, não poderia deixar de contar sobre a corrente do bem que eu já vi em ação e achei um gesto tão bonito (e ao mesmo tempo tão a cara da Paula, Ethiene e Nicolas, pessoas iluminadas e generosas): todos os dias eles escolhem uma mesa aleatória do salão que será a convidada da casa, na hora X a pessoa ou grupo que sentar ali, ao invés de receber a conta, ganha uma cartinha contando a gentileza.

As vezes andamos tão apressados que um pequeno gesto de carinho muda completamente o dia, é lindo ver como as pessoas se emocionam. Chorona que sou, rolou aquele cisco básico no olho vendo a cara de surpresa dos outros! 

E posso falar o orgulhinho? Os uruguaios não cansam de dizer que essa amabilidade só poderia ser coisa de brasileiros! Diga se não é para passar nessa Madame e dar um abraço apertado nesses três lindos?

Fica na rua Guayaquí, esquina Chucarro, número 3363, a poucos passos da orla de Pocitos. Quem sabe nos encontramos também, sempre que posso dou um pulinho lá! :)

Aberto de terça a sábado das 11h às 20h e segunda-feira das 16h às 20h.

Abraço!

Update: No mês de outubro houveram mudanças na Madame Brûlée e a casa agora está sob nova direção. Sentirei saudades do aconchego brasileiro e torcendo para que a energia e gostosuras do lugar sigam em alto nível.

6