Onde comer em Montevidéu: 3 restaurantes imperdíveis

Texto e fotos Luisa Zuffo:

Depois de um longo hiato, eis que finalmente me organizei para escrever mais um texto pro Viver Uruguay!

E como não poderia ser diferente, o tema do post é comida. Por isso fiz essa seleção de três lugares muito bacanas que podem fazer sua estadia em Montevidéu ainda mais agradável!

Dicas onde comer em Montevideu
9

Roteiro Personalizado Uruguai

Terminando o ano com uma super novidade: serviço de roteiro personalizado no Uruguai.

Um serviço que foi acontecendo naturalmente com um pedido aqui, outro acolá nas trocas de mensagens com leitores. 

E eu fui tomando gosto pela coisa, não podia ser diferente juntando duas paixões: o Uruguai e viagens.

Falar do paisito já deu para perceber que eu gosto, olha o blog com mais de 200 textos publicados! 

E viajar lá se vão 25 países carimbados no passaporte, todos visitados de maneira independente com a ajuda de guias, blogs e fóruns. 

Roteiro Personalizado Uruguai
0

Natal e Ano Novo 2016 em Montevidéu

O post mais pedido de dezembro! Aquele que eu chamo de mais difícil do ano hehe, a noção de tempo do uruguaio precisa ser estudada, gente! Uma semana para o Natal e ainda é uma complicação danada ter acesso ao menu e preço da maioria dos restaurantes.


Natal e Ano Novo 2016 em Montevideu

Mas vamos lá seguir com o que pude averiguar até agora (é provável que edite o texto durante toda a semana, então fiquem de olho).
16

Desafio 7on7: Lojas

Quem lembra do Desafio 7on7 que apareceu aqui no blog? Bom, eu lembro e morro de vergonha toda vez que a memória dá pinta dizendo que não terminei o bendito.

Para quem não lembra, vou contar como funciona, na verdade a tag já é famosinha na internet, mas explico rapidamente a brincadeira: um grupo de 7 blogueiras se reunem para falar sobre um tema específico ilustrando com 7 fotografias e publicando todo dia 7 durante 7 meses.

Eu sei, é muito 7 numa frase só, mas é legal, vai! :)
5

Roteiro em Montevidéu: Tour de Comidas Locais

Há uns meses estive em Cartagena e fiquei empolgada com um tour bem comum que ofereciam por lá: o street food tour.

Tratava-se de um passeio pelas ruas da cidade acompanhado de um guia local que ia apresentando as iguarias típicas, aquelas comidinhas simples de todo dia mesmo, nada de raio gourmetizador dando pinta, a graça da proposta era provar produtos do cotidiano deles que são vendidos sem muita cerimônia nas ruas, basicamente nos tabuleiros, carrinhos e postos de vendedores ambulantes, como frutas, sucos, pães, frituras, doces, etc. 

Achei genial a ideia, pois acredito que a comida diz muito sobre os lugares.

Ok Jamile, bonita história, mas o que isso tem a ver com o Uruguai? Tem que eu comecei a pensar porque não rolava algo parecido no paisito e fiquei imaginando quais petiscos entrariam se houvesse uma versão charrúa da coisa.


E aí, amigos, da escolha imaginária das comidas já passei a criar um circuito turístico bem guloso e gostoso em Montevidéu. 

Um street food tour adaptado à realidade uruguaia que não pulula com tabuleiros e vendedores ambulantes nas esquinas, vale dizer, mas tem lá seus sabores corriqueiros e tradicionais que encontramos vez ou outra nas ruas e mais frequentemente nas padarias, pizzarias e parrillas de bairro.
18

Dicas para economizar em Montevidéu

Um post especial para quem está buscando algumas ideias para economizar na viagem a Montevidéu.

Vem ver como gastar menos nessa cidade linda! :)

27

A legalização da maconha no Uruguai

A legalização da maconha no Uruguai: post polêmico, mas um assunto frequente.

Nas minhas idas ao Brasil chegava a ser engraçado o tom curioso que sempre me perguntavam 'é verdade mesmo que é liberado?' e até pouco tempo atrás a quantidade de e-mails que recebia com uma interpretação totalmente equivocada da lei era enorme. 

Todo mundo aparecia com planos e mais planos de negócios espetaculares com a erva no Uruguai, pouca gente se dava o trabalho de ler a lei, mas já queria saber quanto custava um ponto na capital e o passo a passo - detalhado - de toda a burocracia para abrir um coffee shop. 

A ideia que pairava era basicamente: vamos vender crazy cake, uns cigarrinhos, fazer uma grana e ser feliz num lugar livre e pra frentex! E né? Não é desse jeito que a banda toca. 

Esperei a poeira baixar para poder tocar nesse tema aqui no blog. Primeiro porque de verdade nada mudou na minha rotina de moradora. Nada. Depois porque estava com preguiça da língua afiada da turma que se sente ofendida pela legalização. 

Fato é que o Uruguai ganhou as manchetes de todo o mundo com a implementação da lei número 19.172 (e posteriormente do decreto 120/014), o país ousou na iniciativa de regular todo o processo produtivo da cannabis, dispondo sobre o plantio, cultivo, distribuição, venda e consumo.

Foto Marcelo Bonjour / El Pais Uruguay
17

Degusto WTC: feirinha gastronômica em Montevidéu

*Texto Luisa Zuffo - 

Depois de um inverno longo e gelado, os uruguaios já estão ansiosos pela primavera! E para receber esses dias lindos de céu azul e temperaturas agradáveis, só queremos (me incluindo no pacote dos que já cansaram do inverno) programas ao ar livre!

Um programa legal pra quem estiver em Montevidéu nos dias 29 e 30 de setembro é a nova edição da Feira Gastronômica Degusto Montevidéu, que vai acontecer no estacionamento do World Trade Center no bairro Pocitos. 

Degusto feira gastronomica Montevideu
0

Visitando El Aguila: a parada mais inusitada do Leste

Já falei sobre Atlántida algumas vezes aqui no blog, um balneário bem gracinha que raramente aparece no roteiro dos viajantes. Ele fica ali do ladinho de Montevidéu, perfeito para um bate e volta rápido, barato e cheio de interessância. Também fica no caminho de Punta, uma parada estratégica para quem viaja de carro.

Para despertar a atenção do visitante seria suficiente dizer que Atlántida era o refúgio de Pablo Neruda, tem construções belíssimas, uma orla simpática com espaços para assistir um por do sol fantástico (sim, sou das miçangas de humanas e pisciana, mas acredite, o por do sol no Uruguai é mágico e conta como atração) e restaurantes com os preços mais camaradas da costa.

Em meio a tudo isso existe El Aguila, um lugar rodeado de mistérios e lendas, é impossível ficar indiferente à casinha em forma de águia olhando o horizonte do Rio de la Plata: quem inventou isso? Desde quando? Por quê esse desenho? Nossa, parece uma águia gigante mesmo, só que de pedra! Ih, fico meio claustrofóbica aqui dentro, mas que vista sensacional! Que viagem, hein? Foto! Outra mais! 

El Aguila em Atlantida no Uruguai
4

4 passeios diferentões em Punta e arredores

Todo ano quando as temperaturas começam a cair a caixa de e-mails começa a subir com dúvidas sobre Punta del Este: afinal, tem o que fazer quando o verão acaba ou não?

Dicas Punta del Este no inverno

Entendo que é difícil pensar na logística do roteiro quando a imagem que se vende é um balneário com atividades praieiras, corpos bronzeados e festinhas glamourosas no after beach, aí quando o inverno chega e a praia não pode ser mais a protagonista é comum ficar um espaço em branco nas ideias. 

Quem só conhece Punta no verão não consegue visualizar como a cidade se transforma no inverno, e vice-versa. São cidades totalmente diferentes, mas uma coisa é certa, dá para ser feliz e aproveitar muito a viagem em qualquer estação.

E hoje - com esse título apelativo hehe - quero trazer algumas propostas bacanas que fogem do conceito praia e dos clássicos pontos turísticos (aka Los Dedos, Igreja La Candelaria, Casa Pueblo, Conrad que também devem estar no seu roteiro) e pegam bem o ano inteiro para vocês não terem mais dúvidas se dá para aproveitar a cidade sem o pé na areia! :)

Vamos lá conhecer os passeios diferentões escolhidos?
11

Colonia do Sacramento: pernoite ou bate e volta?

Uma das perguntas mais frequentes aqui no blog: vale a pena dormir em Colonia ou com um dia de bate e volta é suficiente para ver tudo?

Dicas Colonia do Sacramento

Colonia é sentimento, gente! Eu sei, ficou cafona, mas é isso.
11

3 destinos para curtir o inverno no Uruguai

Inverno-no-Uruguai

A natureza foi bem generosa com o Uruguai, é o que a gente constata feliz depois de cruzar o país de uma ponta a outra.

O território pequenino a primeira vista nem de longe revela a variedade de destinos e atrações que encontramos pelo caminho. 

Somado a isso, as estações são bem definidas, o que torna cada viagem diferente dependendo do mês de chegada e partida, não é a mesma coisa chegar em janeiro ou julho e o mais lindo é que cada época tem seu encanto próprio.

Agora é tempo de inverno que já chegou trazendo muito frio e novas possibilidades de passeios.

Eu teimo em associar o frio com romantismo, vinho e comida abundante, talvez por ser de uma terra tropical, o inverno ainda guarda um quê de magia e beleza, ainda fico embasbacada como num dia está tudo verde, quente, cheio de energia e meses depois a paisagem nos abraça com muito cinza e quietude.

Mas deixo de divagar por aqui, e ampliando minha percepção do inverno hehe, trago três destinos que combinam lindamente com essa estação para quem vem curtir as férias nos próximos meses.
10

O domingo em Montevidéu

Roteiro Montevideu no Domingo

O domingo em Montevidéu é uma polêmica antiga na blogosfera viajante, basicamente corre o boato que é um dia perdido sem muito o que fazer na cidade.

Eu já comentei em outras oportunidades que discordo dessa ideia, não por ser algo totalmente equivocado, de fato o domingo em Montevidéu tem poucas atrações abertas e restaurantes badalados funcionando, mas eu não acho que isso implica em falta do que fazer.

Pra mim domingo é quando Montevideo mais se veste de Montevideo, o dia da semana mais autêntico do jeitão uruguaio de ser.
23

Da distância e o blog

Abril passou e não teve nenhum post no blog, acredito que foi a primeira vez que um mês inteirinho correu sem que houvesse atualização por aqui.

Quem me acompanha nas redes sociais já sabe os motivos do sumiço: março foi intenso, trintei, casei no civil, tive despedidas e mudança. Daí abril foi tempo de acomodar as ideias e começar uma vida nova, de novo.

Dicas Montevideu

Nos mudamos de apartamento, de cidade, de país. Sim, de país. Não estamos mais no Uruguai e no momento não sabemos quando voltamos.

A mudança foi por trabalho, Pablo recebeu uma proposta de transferência e viajantes que somos recebemos a oportunidade de braços abertos.

Um final de semana de pesquisas foi suficiente para apostarmos no sim e em pouco mais de um mês já estavamos no aeroporto de Carrasco voando com destino a Medellín.

Nenhum dos três conheciam a Colômbia e no próximo dia 08 completamos um mês nessa aventura. 

Está sendo uma experiência interessante e desafiadora, não é fácil sair da zona de conforto, sobretudo quando há um bebê no meio, mas estamos bem, aprendendo e amando.

Quanto ao blog, muita gente tem perguntado o que vou fazer, se vai acabar, dar uma pausa, continuar: eu não penso em deixar de escrever, enquanto for divertido e eu tiver o que falar, compartilhar, estarei presente. 

Não é a primeira vez que saio do Uruguai, passamos o ano de 2013 na Irlanda e o blog permaneceu atualizado, e olha que na época tinha menos textos no rascunho do que tenho hoje. 

Não conseguiria me desconectar do paisito nem se quisesse, marido é uruguaio, filha é uruguaia e meu coração também tem sua parte uruguaia. Montevidéu é meu lugar no mundo, um lugar que está longe de ser perfeito, a gente bate cabeça direto, se desentende e reinventa.

Não sei até que ponto é amor ou teimosia, só sei que eu vou, mas volto.

E nesse tempo o Viver Uruguay vai continuar trazendo conteúdo original em todas as redes: blog, facebook e instagram. 

Logo a rotina fica firme - ainda estamos naquela fase de procurar apartamento, turistar, etc e tal - e os posts novos começam a sair! :)

Para quem perguntou se vai ter blog da Colômbia, vai sim. Foi escrevendo que muitas vezes encontrei a calma para encarar os perrengues de viver em outros cantos. 

É um exercício que além de me mostrar que tenho mais motivos para agradecer do que reclamar,  ao longo dos anos trouxe tanta gente linda e querida que é impossível não querer compartilhar mais e mais.

Já temos perfil lá no Instagram (@vivermundo) desde o ano passado quando a Colômbia nem existia nas nossas vidas e eu já queria retomar os textos de viagens sacudindo a poeira do meu primeiro blog que existe desde 2009.

Vou adorar a visita de vocês nas duas casas: Viver Mundo e Viver Uruguay.

Muito obrigada pela paciência e companhia! Seguimos em contato! :)


20

Programas televisivos uruguaios

Há pouco mais de 2 anos decidimos abandonar a televisão de casa, ainda temos o aparelho pendurado na sala, mas não temos antena e a imagem que aparece na tv aberta é tão chuviscada que nem com muita boa vontade dá para ver alguma coisa.

O título desse post pode soar contraditório, eu sei. Mas é que abri mão da tv de todo dia, daquela enxurrada de negatividade diária que os telejornais jogam em cima da gente. 

Queria poder dizer que com a tv desligada ganhei tempo extra e passei a ler mais ou até mesmo dormir mais, o que não seria nada mal para quem tem um bebê de 18 meses que ainda acorda a noite.

Continuo gastando tempo vendo notícias e bobagens, só que escolhendo as fontes e a hora.

Se fosse definir a tv aberta uruguaia em uma palavra seria sofrível, os programas matinais são de chorar, nunca tive paciência. Acho tudo uma mistura esquisita de Ana Maria Braga, Sônia Abrão e Eliana. Muita coisa exibida durante o dia inteiro é produção argentina e olha, não é legal haha. 

A estrutura dos jornais é parecida ao que via no Brasil, talvez a apresentação aqui seja um tiquinho mais leve no sentido das formalidades. Os comentaristas esportivos quando tratam de futebol acho bem exagerados e apaixonados, mas né? Uruguaio falando de futebol.

E novelas nunca acompanhei nenhuma em todos esses anos, praticamente não tem produção uruguaia, geralmente é novela colombiana ou argentina (me pergunto como os hermanos do outro lado do rio fazem filmes incríveis e novelas tão caidinhas em produção e elenco, nao vou nem entrar no mérito do enredo).

Tem um tempo está na moda novelas turcas e sempre passam as brasileiras, costumam fazer sucesso, apesar da dublagem e diferenças culturais.

E no meio dessa loucura toda há 3 programas que eu ainda paro para ver e eles mostram o Uruguai sob o olhar dos uruguaios. 

Dá para assistir online e além de conhecer o país com outras abordagens, é ótimo para treinar o espanhol.

Então pega a pipoca e vem ver! :)


1- Camara Testigo

Preciso confessar que tinha uma aflição com o olhar 43 do apresentador em todas as chamadas, mas foi só conhecer o trabalho dele para abrir mão da birra. Acho o programa muito interessante e com conteúdo rico.

Eles trazem várias problemáticas sociais onde os personagens das comunidades são protagonistas. Tinha tudo para ser sensacionalista e tendencioso, mas não é. Conta-se casos reais, fortes, outros curiosos e mais leves, sem a necessidade de apelar ou romantizar cada história. 

Uma amostra do programa com esse especial sobre o carnaval uruguaio que ficou lindo! Link para mais vídeos aqui



2- Súbete a mi moto

É um programa local que parece não ter um roteiro, as coisas parecem improvisadas e a graça está nisso. Ok que muitas vezes é bem bobo e rolam uns jabás péssimos, mas em outras mostram os uruguaios sendo uruguaios de um jeito bem honesto e fiel.

O apresentador é muito querido e onde chega as pessoas querem interagir, são muitas imagens que passam desde festivais no interiorzão do país com seus costumes, músicas e comidas típicas até as festas com o pessoal xovem na capital e praias badaladas nas férias de verão.


Link com mais vídeos aqui.


3- Tiranos Temblad

Esse na verdade é um canal no Youtube que tem tanta popularidade como um programa da tv aberta.

Já faz alguns anos o Tiranos Temblad apareceu causando o maior furor no Uruguai, todo mundo comentava, ria e compartilhava os vídeos. 

Eu demorei um pouco para entender o humor e a proposta, a princípio achava que o cara estava zoando geral: toda semana ele fazia vídeos com o que as pessoas compartilhavam sobre o país no Youtube, uma coletânea com tudo que fazia referência ao Uruguai, podia ser adolescentes gringos fazendo trabalhos de espanhol para a escola, turistas conhecendo Montevidéu, um churrasco de amigos, uma banda tocando, coisas comuns e banais do cotidiano.

Segundo o criador do canal, a ideia é justamente essa de mostrar o simples e corriqueiro, é ver as pequenas coisas que acontecem ao nosso redor e não têm lugar na tv. 

Dou boas risadas a cada episódio novo - que hoje é menos frequente - e sempre tem brasileiro aparecendo (as vezes até blogueiras famosas que acredito não fazem a menor ideia). 



***

Espero que se divirtam com os programas, os 3 tem formatos bem diferentes, mas dá para ver um pouco o Uruguai que passa na telinha das bandas de cá! :)

Abraço!

13

A Fortaleza del Cerro: Mirante e museu

Uma atração que fica um tanto isolada, meio fora de mão para combinar com outros passeios, mas que guarda muitas curiosidades sobre a época colonial do país e oferece uma vista da cidade que compensa cada minuto do deslocamento.

Dicas de Montevidéu
10

Morando em Montevidéu: 'Produtos brasileiros'

Um post dedicado aos brasileiros que vivem em Montevidéu e ainda não sabem onde encontrar os 'produtos brasileiros'. 

Coloco entre aspas porque na verdade são produtos que encontramos em qualquer supermercado da capital e estão obviamente com um nome ou apresentação tão diferentes que as vezes nos deixam em dúvida se são as mesmas coisas que consumíamos no Brasil.

Eu gostaria de ter lido isso há alguns anos atrás quando eu morria de saudade de tapioca e não tinha coragem de trazer um pó branco suspeito na mala rs! Depois que descobri que dava para fazer uma tapioca bem nordestina com a fecula de mandioca a saudade de casa ficou mais leve.

Porque não sei vocês, mas eu sou do tipo que encontra conforto na comida. Me adaptei muito bem a comida uruguaia, sou feliz comendo guiso de lentejas, revuelto de zapallito e pascualina, de verdade. 

Mas em dias de saudade doída sentir o cheiro de uma moqueca no fogo não tem preço, é um afago na alma, estreita a distância, arranca um sorriso bobo de lembranças.

Produtos brasileiros em Montevidéu

Na foto uma tarde baiana na cozinha da Lu, eu e minha mãe fomos lá cozinhar e tem a receita dessas delícias nesse link

Vou dividir algumas dicas, começando pelos nomes de alguns produtos:

Polvilho = Fecula de mandioca, dá para usar para fazer pão de queijo, crepioca ou tapioca. Para fazer tapioca é só hidratar e peneirar, vai ficar como a goma e aí vai direto para a frigideira.

Fubá = Harina de Maíz / Crema de Maíz

Mungunzá (milho branco ou amarelo para canjiquinha, acho que o pessoal de SP chama assim) = Mazamorra

Trigo para quibe = Trigo burgol

Tâmaras = Dátiles

Feijão = Poroto, o preto acho igualzinho, já o carioquinha o mais parecido daqui é o que chamam poroto frutilla.

Farinha para farofa = Harina de mandioca, ela crua é feia, é dura, é cara e assusta qualquer brasileiro que conhece farinha boa, mas refogadinha quebra um galho. Vende farofa pronta, mas me recuso hehe.

Certeza que estou esquecendo muita coisa e conto com ajuda nos comentários! :)

Todos esses itens - do polvilho ao feijão - encontramos nas grandes redes de supermercado, no Tienda Inglesa, Devoto, Disco, etc, mas é muito mais barato comprar nas feiras de bairro ou lojas de produtos naturais como o El Naranjo.

Falando em feiras de bairro, converse com os feirantes, o pessoal traz tudo da fronteira com o Brasil, conheço gente que já encomendou até quiabo (oi, Carine)! 

São nessas feiras que compramos leite condensado (leche condensada). De novo, vende no supermercado, mas você não vai querer pagar 146 pesos (aham, bons 17 reais uma latinha de leite condensado) quando o amigo da feira faz um esquema por 60 pesos. 

Em toda feirinha tem um posto com produtos de limpeza, grãos e enlatados, se o leite condensado não estiver por aí, pergunte, faça um pedido. O mesmo para azeite de dendê e leite de coco (o azeite nunca vi nos mercados, já o leite tem sempre, tem o coco seco natural também, ficando a opção de fazer o leite caseiro).

Deixe para comprar nas feiras também nossas frutas exóticas, no caso banana, abacaxi, manga. São caras em toda Montevidéu, mas nos supermercados são abusivas: a metade de um abacaxi custa bons 8 reais. 

A banana vendem a equatoriana e brasileira nas feiras, a brasileira sempre vale menos. Nos mercados costumam vender apenas a do Equador e o kg pode chegar a 80 pesos, basicamente cada banana dessa vai custar 2 reais (socorro!). 

Na feira o kg da banana brasileira oscila entre 35 e 45 pesos. No Mercado Agrícola ela tem preço de banana mesmo: 29 pesos o kg, não compro em outro lugar.

Em geral acho o Mercado Agrícola um tiquinho mais barato que a feira do bairro (do meu bairro, né? Não ando em todos os cantos pesquisando preço), é longe, mas continuo encarando como um passeio para a família toda.

É lá onde compro todas as farinhas e coisas a la Bela Gil, mais especificamente no El Naranjo que é amor, é vida rs! Anotem esse nome e economizem uns pesos (não é jabá, mas se quiserem me patrocinar, beijo, me liga). 

Lá compro o milho branco do mungunzá, polvilho, fubá, semente de chia, curcuma, farinha de arroz, farinha de linhaça e para não ficar só bancando a saudável, também garanto meu doce de leite maravilhoso da Narbona (não vende nos supermercados) e os melhores azeites de oliva com preços bem mais em conta.

Onde comprar produtos brasileiros em Montevidéu

E se você também tem filhos de fraldas, vai achar incrível os descontos da pañalera Natal (que assim como o El Naranjo tem em outros pontos da cidade, mas o MAM é tão lindo que reune tudo num lugar só para a economia ser completa).

Esses são os produtos que uso na cozinha aqui de casa, conseguimos equilibrar bem os sabores tupiniquins e charruas, se você chegou agora e está achando difícil acostumar com o ponto do sal e temperos, tenha paciência e não se feche apenas nas opções brasileiras.

Descobrir um novo país pela culinária é uma viagem riquíssima, experimente e tente cruzar a linha do churrasco e doce de leite, o inverno chega logo mais trazendo as cazuelas e guisos, vamos aproveitar! :) 

Abraço!

14

3 livrarias para conhecer em Montevidéu

Um post curtinho, mas com dicas preciosas para quem ama livros e ama descobrir novas livrarias.

Fiz uma lista com minhas três livrarias preferidas em Montevidéu, são lugares com estilos totalmente diferentes onde podemos passar horas fuçando as prateleiras e descobrindo vários tesouros.

O bacana é que dá para encaixar facilmente nos roteiros, as três são super bem localizadas, não tem desculpas para não visitá-las.

Vamos lá? :)

  • Librería Más Puro Verso  
Fica no comecinho da Peatonal Sarandí, todo turista passa em algum momento da viagem nessa simpática rua de pedestres da Ciudad Vieja, a maioria pode não saber que por trás da fachada bonita do edifício 675 está a livraria mais incrível da cidade.

Livrarias em Montevidéu

Livrarias em Montevidéu

É uma ótima opção de descanso após um dia intenso de passeios na região: no segundo andar da livraria tem um café aconchegante para recarregar as energias.

  • Babilonia Libros
Na meio da famosa feira Tristán Narvaja encontramos a livraria mais diferente que já conheci, tem plantas entre os livros, chão de pedra, exemplares únicos, verdadeiras raridades, um tanto de poeira e otras cositas más

A dica é: entre e se surpreenda também! 

Livrarias em Montevidéu

Na foto a querida Luísa - do Blog da Lu - garimpando uns livros na Babilonia.

Endereço: Tristán Narvaja esquina Mercedes


  • Yenny Pocitos
A Yenny é uma dessas livrarias comerciais que encontramos nos shoppings de toda capital (inclusive está presente no Punta Carretas Shopping), seria mais uma opção comum se não fosse o charme da localização em frente a rambla de Pocitos e contar com um café Oro del Rhin funcionando lindamente lá dentro com mesinhas que dão para o calçadão.

Quem resiste ao combo livros + a torta alfajor mais maravilhosa dessa Montevidéu + vista para o apaixonante Río de la Plata? Eu não resisto e espero que você, caro leitor, também não! :)

Endereço: Rambla República del Peru esquina Bvar. España


***

Boa leitura, bons cafés e boas descobertas! :)


6

Comida portuguesa em Atlántida

Os dias de sol e calor chegaram e todos os caminhos nos levam as praias do leste.

Uma das vantagens de morar no paisito é a facilidade de viajar por seu território, as distâncias mais curtas e o bom estado das estradas são grandes incentivos para cair no mundo a cada novo fim de semana.

Saindo de Montevidéu em poucos minutos já encontramos boas opções para curtir dias de férias, muitos desses lugares passam batidos pelos turistas apressados no caminho a Punta del Este e pudera: são cidadezinhas menos óbvias, menos famosas, com nomes pouco chamativos.

Mas deixo aqui a dica de amiga para conhecer pelo menos Atlántida, meu balneário preferido na Costa de Oro. 

Distante apenas 45km da capital é um destino perfeito - e barato - para um bate e volta.

Além das atrações que já comentei nesse post, hoje vou dividir um dos achadinhos mais gostosos do balneário, a pousada e restaurante Santoral que tem a cozinha portuguesa como especialidade. 

O estabelecimento foi inaugurado há pouco mais de 1 ano e ocupa um casarão lindo de estilo inglês  numa esquina em frente a orla do Rio de la Plata.

Bate e volta desde Montevideu

Faço fácil o trajeto Montevidéu - Atlántida só para comer o bacalhau com natas no jardim da pousada que é aberto para o público em geral. 

O ambiente é uma delícia, tanto nos dias de verão como de inverno quando servem um chá da tarde, as comidas são simples e bem preparadas (pratos portugueses e outros que variam entre massas, peixes e carnes) e o português é entendido perfeitamente pelos donos que cozinham e recebem os visitantes, ainda que o sotaque seja o de Portugal. 

Onde comer Atlantida Uruguai


Santoral Atlantida Uruguai

Um destaque para a música que toca nos discos da vitrola (amo e ainda terei uma para chamar de minha hehe) e outro para os variados sucos naturais e geladinhos que tanto sinto falta nesse Uruguai amado. 

Agora na alta temporada funciona de terça-feira a domingo para almoço, merenda e jantar. Já na baixa temporada rola almoço apenas no sábado e domingo, jantar na sexta-feira e sábado e o chá da tarde na quinta e sexta-feira.

Quando terminar o almoço lá perto do fim da tarde - seja no Santoral ou em qualquer outro restaurante da cidade, estique as pernas caminhando pela orla até a escultura em homenagem ao Carlos Páez Vilaró, um sol que tem tudo a ver com o artista, o visual é incrível!

Escultura Atlantida Vilaro

Não tem como o dia não terminar bem, né? :)

Abraço!

* Endereço do Santoral: Rambla Mansa, esquina República Argentina. Menú com preços aqui.


4

5 dicas de Montevidéu

Recebi um convite do Filipe Morato, autor do Alma de Viajante, para participar da série de posts Viagens na Minha Terra respondendo à pergunta 'Se um amigo te visitar, onde o levarias?'.

O desafio era contar 5 dicas de Montevidéu que eu daria a um amigo muito querido que estivesse chegando para me visitar.

Amei a ideia, uma das maiores alegrias dessa vida de expatriada é receber visitas em casa, eu me empolgo fazendo a programação e depois exibindo cada cantinho maravilhoso da cidade que hoje chamo de meu lar, doce lar.

Listei 5 lugares que considero imperdíveis e que funcionam bem no roteiro de qualquer viajante em Montevidéu:

- Ver a cidade do alto no Mirante da Prefeitura

- Passear no Mercado Agrícola

- Visitar o incrível Museu dos Andes

- Assistir uma peça no Teatro Solís

- Se despedir do sol na Plaza Virgilio 

O que fazer em Montevideu

Confira os detalhes dessas dicas nesse link do Alma de Viajante.

Para ver outras dicas e sugestões de roteiros para 5 dias completos na capital uruguaia, adquira nosso Guia de Montevidéu por apenas R$25 e descubra a cidade de um jeito único e divertido.

No guia você encontrará todas as dicas para não passar perrengue nas férias, desvendamos nossos melhores segredos da cidade e indicamos lugares testados e aprovados para você comer bem, sair a noite, entender a história e cultura local. 

Um investimento que vai mudar a cara da sua viagem. Mais info aqui.
Roteiro em Montevideu

Abraço! :)

12

Um dia em Cabo Polonio

Não canso de dizer que Cabo Polonio é um dos lugares mais mágicos desse país, uma beleza em estado bruto, um lugar autêntico e único.

Bate e volta em Cabo Polonio no Uruguai

Sempre que passamos o réveillon em La Paloma aproveitamos para esticar as férias em Cabo Polonio, mas no último verão estavamos com Gabi tão piquitica que achamos melhor não encarar o saculejo do caminhão para chegar na praia.

Esse ano sentimos que ela estava preparada para fazer a viagem e aí fomos em família reencontrar o paraíso! :)

Para chegar na vila há toda uma aventura: tudo já começa a mudar de cara quando chegamos na altura do km 264 da Ruta 10. 

Cabo Polonio faz parte de um parque nacional e por proteção apenas veículos autorizados podem circular lá dentro. Quem chega de carro precisa parar no estacionamento e seguir em caminhões como esse da foto.

Como chegar em Cabo Polonio

Supostamente agora em janeiro os caminhões saíam a cada 1h, nós chegamos em cima da hora e não conseguimos lugar livre, mas em menos de 15 minutos apareceu outro caminhão vazio e pudemos seguir viagem sem muita espera. 

São 7km balançando entre dunas e bosques num percurso que dura quase meia hora. No caminho as paisagens são arrebatadoras e revelam os segredos de um dos destinos mais pitorescos que conheci na vida: tudo é muito simples e rústico, meio improvisado, despretensioso, natural.

Cabo Polonio tem uma energia diferente, é difícil explicar o que torna tão especial. Não tem luz elétrica nem água corrente, as ruas são todas de areia, o ritmo é lento e de paz.

Hospedagem em Cabo Polonio
Hospedagem em Cabo Polonio

A passagem do caminhão ida e volta custa 200 pesos (aproximadamente 25 reais). A volta não precisa marcar um horário, é só chegar no ponto e esperar na fila. 

Nós fomos só passar o dia, chegamos de manhã e voltamos no meio da tarde para La Paloma. Deu para aproveitar bastante, ficamos um tempo na praia La Calavera e por volta do meio dia quando o sol ficou mais forte nos refugiamos no restaurante Lo de Dani que tem uma sombra boa para almoçar com tranquilidade.

Não achei os preços caros, nada muito diferente do que pagamos em Montevidéu. Pedi de entrada uma porção de buñuelos de algas, os bolinhos fritos de alga marinha típicos da região, que custou 170 pesos e meu prato principal foi peixe com batatas fritas e molho de queijo por 380 pesos.

Onde comer em Cabo Polonio

Depois fomos passear no farol, a subida custa só 25 pesos e a vista é sensacional. Gabi fez a soneca do dia na base do farol curtindo a sombra, o barulhinho do mar e dos lobos marinhos fazendo a festa.

Dicas Cabo Polonio Uruguai
O que fazer em Cabo Polonio no Uruguai

Daí voltamos para o centrinho e pegamos o caminhão de volta. Os amigos que nos acompanhavam foram curtir a praia Sur que estava divina bem verdinha e gelada.

A água do mar é sempre fria, mas o banho é uma delícia, vale a pena encarar os primeiros segundos congelantes rs. 

Morri de pena de voltar, o dia estava incrível, mas não quis passar o dia inteirinho com a pequena na praia. Levamos um guarda-sol e garantimos nossa sombra o tempo todo (não tem árvores nas praias, não rola sombra natural).


Cabo Polonio funciona bem para um bate e volta só para quem faz base nas cidades próximas, como Águas Dulces ou La Pedrera, jamais para quem está em Montevidéu, desde a capital são boas 5h de viagem e um bate e volta de 10h de viagem é loucura total.

Mas acho que para a experiência ser completa e ainda mais especial tem que passar uma noite e ver o céu todo estrelado curtindo o movimento dos bares com viajantes do mundo todo.

Na saída pagamos o estacionamento (190 pesos a diária) e eu já fazia planos para voltar.

Quem mais está contando as horas para viver a magia de Cabo Polonio? :)

13

Carnaval em Montevidéu

E foi dada a largada para o carnaval uruguaio! 

O Desfile Inaugural acabou de começar na Avenida 18 de Julio e eu estou em casa assistindo pela tv e escrevendo esse post com cara de pamonha sem entender nada porque Natal foi ontem! Ainda não estava preparada para esse ziriguidum todo rs!

Mas as pessoas já estão colocando seus blocos nas ruas, coisa linda! :)

Se você também está meio perdido sem entender porque a festa já começou, explico que o carnaval uruguaio é o mais longo do mundo, o negócio aqui começa cedo e termina tarde.

Em Montevidéu o desfile inaugural marca o início da folia momesca, são dois dias de desfiles na principal avenida da cidade.

O desfile é uma pequena amostra dos ritmos que compõem a festa no Uruguai: murgas, candombe, revistas, lubolo, parodistas e humoristas no primeiro dia, e no segundo dia um especial com escolas de samba (sim, tem samba e samba bom). 

O trajeto vai desde a Plaza Independencia até a área da prefeitura. Cada grupo deve apresentar-se no tempo máximo de 54 minutos. Estima-se que 75 mil pessoas acompanham tudo ao vivo. 

O outro evento do calendário que toma as ruas é o desfile de llamadas que acontece no Barrio Sur e Palermo. Acho o mais animado e emocionante, se apresentam as comparsas de candombe, o ritmo percussivo de origem africana. 

As pessoas se preparam o ano inteiro, em vários bairros há grupos de candombe e até no inverno tem ensaios abertos, geralmente nas praças dos bairros. Mostrei no Instagram (@viveruruguay) esses dias o ensaio da comparsa de Malvín, sempre escuto de longe o toque dos tambores aos domingos.

Carnaval no Uruguai


O Desfile de Llamadas esse ano ocorrerá nos dias 4 e 5 de fevereiro.

O resto dos dias os eventos acontecem em arenas montadas especialmente para o carnaval e no Teatro Verano que fica ali pertinho do Parque Rodó. Vale muito a pena assistir os concursos de murgas.

Nesse link encontramos a programação dos concursos em diferentes pontos. E nesse outro link a programação da primeira rodada do concurso no Teatro Verano que acontecerá do dia 25/01 a 07/02. 

A festa não pára a cidade com multidões nas ruas, é um carnaval diferente e gostoso. Quem estiver chegando nessa época terá a chance de divertir-se com muita música e dança! :)

12

Montevidéu em janeiro e o verão no Uruguai

Farol de La Paloma


Voltei das férias em La Paloma e região na última segunda-feira. Como de costume em todo início de janeiro, encontrei uma Montevidéu mais tranquila, com muitas luzes apagadas e portas fechadas.

Antes do ano virar tinha feito uma lista com dez restaurantes e cafés novos para conhecer (aguardem posts) e achei que já era hora de começar as aventuras gastronômicas por aí. 

Chamei Luísa, carreguei a bebê e lá fomos nós animadas em busca das novidades: passamos pela rua onde deveria estar o café e zero movimento. Paramos o carro e checamos o endereço nos celulares e GPS por las dudas. Era ali mesmo. Manobrei e olhei mais atenta, achei a casa. Estava fechada numa sexta-feira às 17h e pouquinho.
20