Programas televisivos uruguaios

Há pouco mais de 2 anos decidimos abandonar a televisão de casa, ainda temos o aparelho pendurado na sala, mas não temos antena e a imagem que aparece na tv aberta é tão chuviscada que nem com muita boa vontade dá para ver alguma coisa.

O título desse post pode soar contraditório, eu sei. Mas é que abri mão da tv de todo dia, daquela enxurrada de negatividade diária que os telejornais jogam em cima da gente. 

Queria poder dizer que com a tv desligada ganhei tempo extra e passei a ler mais ou até mesmo dormir mais, o que não seria nada mal para quem tem um bebê de 18 meses que ainda acorda a noite.

Continuo gastando tempo vendo notícias e bobagens, só que escolhendo as fontes e a hora.

Se fosse definir a tv aberta uruguaia em uma palavra seria sofrível, os programas matinais são de chorar, nunca tive paciência. Acho tudo uma mistura esquisita de Ana Maria Braga, Sônia Abrão e Eliana. Muita coisa exibida durante o dia inteiro é produção argentina e olha, não é legal haha. 

A estrutura dos jornais é parecida ao que via no Brasil, talvez a apresentação aqui seja um tiquinho mais leve no sentido das formalidades. Os comentaristas esportivos quando tratam de futebol acho bem exagerados e apaixonados, mas né? Uruguaio falando de futebol.

E novelas nunca acompanhei nenhuma em todos esses anos, praticamente não tem produção uruguaia, geralmente é novela colombiana ou argentina (me pergunto como os hermanos do outro lado do rio fazem filmes incríveis e novelas tão caidinhas em produção e elenco, nao vou nem entrar no mérito do enredo).

Tem um tempo está na moda novelas turcas e sempre passam as brasileiras, costumam fazer sucesso, apesar da dublagem e diferenças culturais.

E no meio dessa loucura toda há 3 programas que eu ainda paro para ver e eles mostram o Uruguai sob o olhar dos uruguaios. 

Dá para assistir online e além de conhecer o país com outras abordagens, é ótimo para treinar o espanhol.

Então pega a pipoca e vem ver! :)


1- Camara Testigo

Preciso confessar que tinha uma aflição com o olhar 43 do apresentador em todas as chamadas, mas foi só conhecer o trabalho dele para abrir mão da birra. Acho o programa muito interessante e com conteúdo rico.

Eles trazem várias problemáticas sociais onde os personagens das comunidades são protagonistas. Tinha tudo para ser sensacionalista e tendencioso, mas não é. Conta-se casos reais, fortes, outros curiosos e mais leves, sem a necessidade de apelar ou romantizar cada história. 

Uma amostra do programa com esse especial sobre o carnaval uruguaio que ficou lindo! Link para mais vídeos aqui



2- Súbete a mi moto

É um programa local que parece não ter um roteiro, as coisas parecem improvisadas e a graça está nisso. Ok que muitas vezes é bem bobo e rolam uns jabás péssimos, mas em outras mostram os uruguaios sendo uruguaios de um jeito bem honesto e fiel.

O apresentador é muito querido e onde chega as pessoas querem interagir, são muitas imagens que passam desde festivais no interiorzão do país com seus costumes, músicas e comidas típicas até as festas com o pessoal xovem na capital e praias badaladas nas férias de verão.


Link com mais vídeos aqui.


3- Tiranos Temblad

Esse na verdade é um canal no Youtube que tem tanta popularidade como um programa da tv aberta.

Já faz alguns anos o Tiranos Temblad apareceu causando o maior furor no Uruguai, todo mundo comentava, ria e compartilhava os vídeos. 

Eu demorei um pouco para entender o humor e a proposta, a princípio achava que o cara estava zoando geral: toda semana ele fazia vídeos com o que as pessoas compartilhavam sobre o país no Youtube, uma coletânea com tudo que fazia referência ao Uruguai, podia ser adolescentes gringos fazendo trabalhos de espanhol para a escola, turistas conhecendo Montevidéu, um churrasco de amigos, uma banda tocando, coisas comuns e banais do cotidiano.

Segundo o criador do canal, a ideia é justamente essa de mostrar o simples e corriqueiro, é ver as pequenas coisas que acontecem ao nosso redor e não têm lugar na tv. 

Dou boas risadas a cada episódio novo - que hoje é menos frequente - e sempre tem brasileiro aparecendo (as vezes até blogueiras famosas que acredito não fazem a menor ideia). 



***

Espero que se divirtam com os programas, os 3 tem formatos bem diferentes, mas dá para ver um pouco o Uruguai que passa na telinha das bandas de cá! :)

Abraço!

15

A Fortaleza del Cerro: Mirante e museu

Uma atração que fica um tanto isolada, meio fora de mão para combinar com outros passeios, mas que guarda muitas curiosidades sobre a época colonial do país e oferece uma vista da cidade que compensa cada minuto do deslocamento.

Dicas de Montevidéu
10

Morando em Montevidéu: 'Produtos brasileiros'

Um post dedicado aos brasileiros que vivem em Montevidéu e ainda não sabem onde encontrar os 'produtos brasileiros'. 

Coloco entre aspas porque na verdade são produtos que encontramos em qualquer supermercado da capital e estão obviamente com um nome ou apresentação tão diferentes que as vezes nos deixam em dúvida se são as mesmas coisas que consumíamos no Brasil.

Eu gostaria de ter lido isso há alguns anos atrás quando eu morria de saudade de tapioca e não tinha coragem de trazer um pó branco suspeito na mala rs! Depois que descobri que dava para fazer uma tapioca bem nordestina com a fecula de mandioca a saudade de casa ficou mais leve.

Porque não sei vocês, mas eu sou do tipo que encontra conforto na comida. Me adaptei muito bem a comida uruguaia, sou feliz comendo guiso de lentejas, revuelto de zapallito e pascualina, de verdade. 

Mas em dias de saudade doída sentir o cheiro de uma moqueca no fogo não tem preço, é um afago na alma, estreita a distância, arranca um sorriso bobo de lembranças.

Produtos brasileiros em Montevidéu

Na foto uma tarde baiana na cozinha da Lu, eu e minha mãe fomos lá cozinhar e tem a receita dessas delícias nesse link

Vou dividir algumas dicas, começando pelos nomes de alguns produtos:

Polvilho = Fecula de mandioca, dá para usar para fazer pão de queijo, crepioca ou tapioca. Para fazer tapioca é só hidratar e peneirar, vai ficar como a goma e aí vai direto para a frigideira.

Fubá = Harina de Maíz / Crema de Maíz

Mungunzá (milho branco ou amarelo para canjiquinha, acho que o pessoal de SP chama assim) = Mazamorra

Trigo para quibe = Trigo burgol

Tâmaras = Dátiles

Feijão = Poroto, o preto acho igualzinho, já o carioquinha o mais parecido daqui é o que chamam poroto frutilla.

Farinha para farofa = Harina de mandioca, ela crua é feia, é dura, é cara e assusta qualquer brasileiro que conhece farinha boa, mas refogadinha quebra um galho. Vende farofa pronta, mas me recuso hehe.

Certeza que estou esquecendo muita coisa e conto com ajuda nos comentários! :)

Todos esses itens - do polvilho ao feijão - encontramos nas grandes redes de supermercado, no Tienda Inglesa, Devoto, Disco, etc, mas é muito mais barato comprar nas feiras de bairro ou lojas de produtos naturais como o El Naranjo.

Falando em feiras de bairro, converse com os feirantes, o pessoal traz tudo da fronteira com o Brasil, conheço gente que já encomendou até quiabo (oi, Carine)! 

São nessas feiras que compramos leite condensado (leche condensada). De novo, vende no supermercado, mas você não vai querer pagar 146 pesos (aham, bons 17 reais uma latinha de leite condensado) quando o amigo da feira faz um esquema por 60 pesos. 

Em toda feirinha tem um posto com produtos de limpeza, grãos e enlatados, se o leite condensado não estiver por aí, pergunte, faça um pedido. O mesmo para azeite de dendê e leite de coco (o azeite nunca vi nos mercados, já o leite tem sempre, tem o coco seco natural também, ficando a opção de fazer o leite caseiro).

Deixe para comprar nas feiras também nossas frutas exóticas, no caso banana, abacaxi, manga. São caras em toda Montevidéu, mas nos supermercados são abusivas: a metade de um abacaxi custa bons 8 reais. 

A banana vendem a equatoriana e brasileira nas feiras, a brasileira sempre vale menos. Nos mercados costumam vender apenas a do Equador e o kg pode chegar a 80 pesos, basicamente cada banana dessa vai custar 2 reais (socorro!). 

Na feira o kg da banana brasileira oscila entre 35 e 45 pesos. No Mercado Agrícola ela tem preço de banana mesmo: 29 pesos o kg, não compro em outro lugar.

Em geral acho o Mercado Agrícola um tiquinho mais barato que a feira do bairro (do meu bairro, né? Não ando em todos os cantos pesquisando preço), é longe, mas continuo encarando como um passeio para a família toda.

É lá onde compro todas as farinhas e coisas a la Bela Gil, mais especificamente no El Naranjo que é amor, é vida rs! Anotem esse nome e economizem uns pesos (não é jabá, mas se quiserem me patrocinar, beijo, me liga). 

Lá compro o milho branco do mungunzá, polvilho, fubá, semente de chia, curcuma, farinha de arroz, farinha de linhaça e para não ficar só bancando a saudável, também garanto meu doce de leite maravilhoso da Narbona (não vende nos supermercados) e os melhores azeites de oliva com preços bem mais em conta.

Onde comprar produtos brasileiros em Montevidéu

E se você também tem filhos de fraldas, vai achar incrível os descontos da pañalera Natal (que assim como o El Naranjo tem em outros pontos da cidade, mas o MAM é tão lindo que reune tudo num lugar só para a economia ser completa).

Esses são os produtos que uso na cozinha aqui de casa, conseguimos equilibrar bem os sabores tupiniquins e charruas, se você chegou agora e está achando difícil acostumar com o ponto do sal e temperos, tenha paciência e não se feche apenas nas opções brasileiras.

Descobrir um novo país pela culinária é uma viagem riquíssima, experimente e tente cruzar a linha do churrasco e doce de leite, o inverno chega logo mais trazendo as cazuelas e guisos, vamos aproveitar! :) 

Abraço!

14

3 livrarias para conhecer em Montevidéu

Um post curtinho, mas com dicas preciosas para quem ama livros e ama descobrir novas livrarias.

Fiz uma lista com minhas três livrarias preferidas em Montevidéu, são lugares com estilos totalmente diferentes onde podemos passar horas fuçando as prateleiras e descobrindo vários tesouros.

O bacana é que dá para encaixar facilmente nos roteiros, as três são super bem localizadas, não tem desculpas para não visitá-las.

Vamos lá? :)

  • Librería Más Puro Verso  
Fica no comecinho da Peatonal Sarandí, todo turista passa em algum momento da viagem nessa simpática rua de pedestres da Ciudad Vieja, a maioria pode não saber que por trás da fachada bonita do edifício 675 está a livraria mais incrível da cidade.

Livrarias em Montevidéu

Livrarias em Montevidéu

É uma ótima opção de descanso após um dia intenso de passeios na região: no segundo andar da livraria tem um café aconchegante para recarregar as energias.

  • Babilonia Libros
Na meio da famosa feira Tristán Narvaja encontramos a livraria mais diferente que já conheci, tem plantas entre os livros, chão de pedra, exemplares únicos, verdadeiras raridades, um tanto de poeira e otras cositas más

A dica é: entre e se surpreenda também! 

Livrarias em Montevidéu

Na foto a querida Luísa - do Blog da Lu - garimpando uns livros na Babilonia.

Endereço: Tristán Narvaja esquina Mercedes


  • Yenny Pocitos
A Yenny é uma dessas livrarias comerciais que encontramos nos shoppings de toda capital (inclusive está presente no Punta Carretas Shopping), seria mais uma opção comum se não fosse o charme da localização em frente a rambla de Pocitos e contar com um café Oro del Rhin funcionando lindamente lá dentro com mesinhas que dão para o calçadão.

Quem resiste ao combo livros + a torta alfajor mais maravilhosa dessa Montevidéu + vista para o apaixonante Río de la Plata? Eu não resisto e espero que você, caro leitor, também não! :)

Endereço: Rambla República del Peru esquina Bvar. España


***

Boa leitura, bons cafés e boas descobertas! :)


6