Morando em Montevidéu: 'Produtos brasileiros'

Um post dedicado aos brasileiros que vivem em Montevidéu e ainda não sabem onde encontrar os 'produtos brasileiros'. 

Coloco entre aspas porque na verdade são produtos que encontramos em qualquer supermercado da capital e estão obviamente com um nome ou apresentação tão diferentes que as vezes nos deixam em dúvida se são as mesmas coisas que consumíamos no Brasil.

Eu gostaria de ter lido isso há alguns anos atrás quando eu morria de saudade de tapioca e não tinha coragem de trazer um pó branco suspeito na mala rs! Depois que descobri que dava para fazer uma tapioca bem nordestina com a fecula de mandioca a saudade de casa ficou mais leve.

Porque não sei vocês, mas eu sou do tipo que encontra conforto na comida. Me adaptei muito bem a comida uruguaia, sou feliz comendo guiso de lentejas, revuelto de zapallito e pascualina, de verdade. 

Mas em dias de saudade doída sentir o cheiro de uma moqueca no fogo não tem preço, é um afago na alma, estreita a distância, arranca um sorriso bobo de lembranças.

Produtos brasileiros em Montevidéu

Na foto uma tarde baiana na cozinha da Lu, eu e minha mãe fomos lá cozinhar e tem a receita dessas delícias nesse link

Vou dividir algumas dicas, começando pelos nomes de alguns produtos:

Polvilho = Fecula de mandioca, dá para usar para fazer pão de queijo, crepioca ou tapioca. Para fazer tapioca é só hidratar e peneirar, vai ficar como a goma e aí vai direto para a frigideira.

Fubá = Harina de Maíz / Crema de Maíz

Mungunzá (milho branco ou amarelo para canjiquinha, acho que o pessoal de SP chama assim) = Mazamorra

Trigo para quibe = Trigo burgol

Tâmaras = Dátiles

Feijão = Poroto, o preto acho igualzinho, já o carioquinha o mais parecido daqui é o que chamam poroto frutilla.

Farinha para farofa = Harina de mandioca, ela crua é feia, é dura, é cara e assusta qualquer brasileiro que conhece farinha boa, mas refogadinha quebra um galho. Vende farofa pronta, mas me recuso hehe.

Certeza que estou esquecendo muita coisa e conto com ajuda nos comentários! :)

Todos esses itens - do polvilho ao feijão - encontramos nas grandes redes de supermercado, no Tienda Inglesa, Devoto, Disco, etc, mas é muito mais barato comprar nas feiras de bairro ou lojas de produtos naturais como o El Naranjo.

Falando em feiras de bairro, converse com os feirantes, o pessoal traz tudo da fronteira com o Brasil, conheço gente que já encomendou até quiabo (oi, Carine)! 

São nessas feiras que compramos leite condensado (leche condensada). De novo, vende no supermercado, mas você não vai querer pagar 146 pesos (aham, bons 17 reais uma latinha de leite condensado) quando o amigo da feira faz um esquema por 60 pesos. 

Em toda feirinha tem um posto com produtos de limpeza, grãos e enlatados, se o leite condensado não estiver por aí, pergunte, faça um pedido. O mesmo para azeite de dendê e leite de coco (o azeite nunca vi nos mercados, já o leite tem sempre, tem o coco seco natural também, ficando a opção de fazer o leite caseiro).

Deixe para comprar nas feiras também nossas frutas exóticas, no caso banana, abacaxi, manga. São caras em toda Montevidéu, mas nos supermercados são abusivas: a metade de um abacaxi custa bons 8 reais. 

A banana vendem a equatoriana e brasileira nas feiras, a brasileira sempre vale menos. Nos mercados costumam vender apenas a do Equador e o kg pode chegar a 80 pesos, basicamente cada banana dessa vai custar 2 reais (socorro!). 

Na feira o kg da banana brasileira oscila entre 35 e 45 pesos. No Mercado Agrícola ela tem preço de banana mesmo: 29 pesos o kg, não compro em outro lugar.

Em geral acho o Mercado Agrícola um tiquinho mais barato que a feira do bairro (do meu bairro, né? Não ando em todos os cantos pesquisando preço), é longe, mas continuo encarando como um passeio para a família toda.

É lá onde compro todas as farinhas e coisas a la Bela Gil, mais especificamente no El Naranjo que é amor, é vida rs! Anotem esse nome e economizem uns pesos (não é jabá, mas se quiserem me patrocinar, beijo, me liga). 

Lá compro o milho branco do mungunzá, polvilho, fubá, semente de chia, curcuma, farinha de arroz, farinha de linhaça e para não ficar só bancando a saudável, também garanto meu doce de leite maravilhoso da Narbona (não vende nos supermercados) e os melhores azeites de oliva com preços bem mais em conta.

Onde comprar produtos brasileiros em Montevidéu

E se você também tem filhos de fraldas, vai achar incrível os descontos da pañalera Natal (que assim como o El Naranjo tem em outros pontos da cidade, mas o MAM é tão lindo que reune tudo num lugar só para a economia ser completa).

Esses são os produtos que uso na cozinha aqui de casa, conseguimos equilibrar bem os sabores tupiniquins e charruas, se você chegou agora e está achando difícil acostumar com o ponto do sal e temperos, tenha paciência e não se feche apenas nas opções brasileiras.

Descobrir um novo país pela culinária é uma viagem riquíssima, experimente e tente cruzar a linha do churrasco e doce de leite, o inverno chega logo mais trazendo as cazuelas e guisos, vamos aproveitar! :) 

Abraço!

14 comentários

  1. O País é maravilhoso, não pague 60 pesos o leite condensado no jeitinho brasileiro, se não estraga...
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, não há dúvidas que o país é maravilhoso!

      E quanto ao 'jeitinho brasileiro' você precisa morar aqui para entender como as coisas realmente funcionam, a imagem de turista e das reportagens com rankings de qualidade de vida na América Latina abarcam apenas a realidade de uma parte da vida no país.

      Os uruguaios usam expressões similares as nossas que iriam te surpreender ('como buen uruguayo dejando todo para lo último' é uma delas para justificar a cultura do improviso) e um país que sofreu tanto com crises econômicas tem um povo expert em economizar, ainda que a diferença fosse 2 pesos, o esquema da feira seria um negócio.

      E não sei se você já foi em feiras - no Brasil mesmo - mas os preços são mais baixos, as feiras fazem parte do cotidiano de Montevideo, funcionam - com o aval da prefeitura e população - de domingo a domingo em bairros de todas as classes sociais, da mesma forma que chegam produtos brasileiros, chega, por exemplo, o abacate chileno e a própria banana equatoriana que comentei no post, seguindo a lógica eu deveria pagar 80 pesos no supermercado e não os 55 da feira para não perpetuar o jeitinho brasileiro nessa terra imaculada e olha, não é assim.

      Se a gente usasse essa venda generosa para olhar também a nossa própria grama, as coisas poderiam ser mais leves e melhores! :)

      Excluir
  2. Olá Mile!
    Depois de muita (muita e muita) pesquisa (aliás, muito obrigado!!!!!!) e planos eu, minha companheira e nossos dois gatinhos estamos morando em Montevidéu fazem duas semanas na nada turística e tradicionalmente uruguaya Paso de la Arena.
    Como somos veganos temos ido a muitas feiras para procurar vegetais para nossas refeições e temos conseguido comprar 2 kg de bananas bem maduras por 40 pesos, vegetais básicos também maduros entre 15 e 30 o kg, aquela coisa da conversa com o feirante "o que tá mais barato?" porque os preços são realmente assustadores!!
    Fiquei admirado com a diversidade de vegetais e frutas, mas fico triste por não encontrar couve ou chuchu :(
    O mercado agrícola será nossa próxima visita! Atualmente estamos num projeto de experimentar todos os tipos de zapallos que encontramos rs
    Grande abraço para ti! Sempre uma imensa inspiração!
    Quem sabe um dia juntamos os casais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Willian!

      Muito obrigada pela gentileza e sejam bem-vindos a Montevidéu, que vocês tenham muitas alegrias nessa jornada.

      Eu já achei chuchu no MAM! A couve já vi um monte de gente falando que plantou e deu certo (se encontrar algum dia, aproveita para plantar).
      Muitas coisas aqui são de época, o que é uma delícia, a melancia, por exemplo, não tem o ano inteiro, é só no verão! E os preços variam muito, a abobrinha uns meses atrás custava 120 pesos o kg e agora está 40, é surreal a diferença. Até as folhas você vai ver que tem época que 3 atados de espinafre sai 50 e outra que só 1 custa 40.
      Fazer feira tem várias manhas aqui e o melhor é isso mesmo, conversar com o pessoal de lá!:)
      Já provou o boniato zanahoria (a batata doce laranja, amooo)? E o zapallito (uma redondinha verde escuro, o gosto lembra a abobrinha, é muito comum aqui, eles fazem tortas e revuelto que é um prato com as verduras salteadas com ovos, vcs podem tentar sem os ovos). Vou parar por aqui, me empolgo e já quero trocar receitas hehe.

      Só marcar!

      Abraço! :)

      Excluir
  3. Oi Mile! Tudo bem?
    Amei essas dicas, pois sempre vejo brasileiros perguntando sobre produtinhos que são a cara do Brasil e não encontram aqui.

    Acho o máximo ir na feira sábado de manhã (vou na da calle Salto), ver a movimentação de todo tipo de gente com seus carrinhos de rodinhas e cachorros ao lado. Morar na capital e ter acesso a isso é realmente um privilégio. Mas o que quero comentar é justamente minha surpresa com o MAM.

    Depois que li um post seu resolvi ir além da Mastra e "coisas a la Bela Gil" (também piro lá!), e decidi dar uma pesquisada nos preços de verduras/frutas/legumes, que sempre passavam batido por puro preconceito meu (coisas do tipo "ah, deve ser mais caro"). E olha, me surpreendi pois algumas opções são realmente mais baratas que na feira, além de terem melhor qualidade. Afinal, na feira é bom ir cedo para não ficar com as sobras, e não é todo sábado que isso acontece, né rsrs. Agradeço a dica !

    Aproveitando quero te parabenizar pelo blog. Te conto rapidamente que quando a ideia de sair do Brasil começou a amadurecer na minha cabecinha o viveruruguay foi muito importante para a minha escolha. Lendo TODOS os seus posts (maratona!) eu via que o paisito seria uma boa pra mim. Pois é, vim morar no Uruguay sem nunca ter visitado, mas já me sentia próxima daqui por conta das suas palavras. Obrigada por sua dedicação! Que seus novos projetos te dêem muita alegria! Besote!

    ResponderExcluir
  4. Renda extra com produtos web incríveis

    Venha fazer parte de uma empresa que é campeã no segmento de tecnologia e tem criado tendências. É sua grande oportunidade de gerar renda extra com marketing multinível de produtos web incríveis: sites, lojas virtuais, sites para imobiliárias, sites para venda de veículos, entre outros.

    Conheça nosso site;http://www.gorilapro.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Renda extra com produtos web incríveis

    Venha fazer parte de uma empresa que é campeã no segmento de tecnologia e tem criado tendências. É sua grande oportunidade de gerar renda extra com marketing multinível de produtos web incríveis: sites, lojas virtuais, sites para imobiliárias, sites para venda de veículos, entre outros.

    Conheça nosso site;http://www.gorilapro.com.br/

    ResponderExcluir
  6. tbm moro aqui no Uruguay e dia desses gastei quase 400 pesos em três latinhas de leche condensada no Geánt. Fiquei assustada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii, meu nome é Rosangela, estou morando no Uruguay a quase 3 anos... sei como é estar fora de nosso país.
      Se vc quiser leite condensando mais barato posso te vender 60 pesos.
      Abraços

      Excluir
    2. Pode ser! Quando eu precise como posso entrar em contato com voce?

      Excluir
  7. vish, creme de açai tem?! mandioca?

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post! Nós (eu e meu namorado) estamos morando em Montevideo desde junho. Ir ao mercado é realmente uma facada atrás da outra... amanhã vou correr no MAM dar uma olhada! É longe, mas, pelos preços parece compensar.
    Será que encontro carnes salgadas para feijoada em algum lugar? Não achei em nenhum mercado até agora.

    ResponderExcluir
  9. Queria tanto morar ai..Queria saber como faço...Meu marido é brasileiro estamos iniciando nossa vida de casado.. e queriamos muito ir embora do brasil por conta da violência? será que seria muiitoo complicado isso?

    ResponderExcluir
  10. Oi Mile! Meu no me é Ramón, um uruguaio que curte a cultura brasileira. Sou casado com uma cidadã de Rio Branco (fronteira com Jaguarao RS). Como temos antena parabólica, nas manhãs vemos as receitas de Ana Maria Beaga. Seu post me ajudou a reconhecer alguns ingredientes em nossa língua, como o "almidon de mandioca" (polvilho).
    Em relação ao preço das bananas, eu lhe digo que depende da época. De qualquer forma, eu nunca vi 80 pesos (talvez houve alguma escassez que não me lembro). Hoje em feiras o preço é inferior a 40 pesos. Nós vivemos em Las Piedras. Aqui, a maior feira é dias domingo. Ocupa 12 quarteirões, um posto ao lado de outro.
    Quanto ao azeite de dendê, certamente você encontrar em Santerias e "velerías", já que ele é usado por aqueles que praticam cultos afros, para fazer comidas para oferendas.
    Aqui você também pode comprar tapioca en bolinhas. Eles estão disponíveis na maioria dos supermercados.
    Bom, eu quero dizer que gostei do seu post, e enviar-lhe um grande abraço. Seja bem-vinda ao "Paisito"
    Ramón.

    ResponderExcluir