Ruffino Restaurante: pizza e comida italiana em Montevidéu

Finalmente uma dica boa de restaurante fora de Pocitos! :P

Em um país com grande número de descendentes de italianos não deve ser muito difícil encontrar um restaurante que honre as tradições de uma das culinárias mais apreciadas no mundo, né?

E o Ruffino Ristorante é um daqueles restaurantes italianos que te deixa com vontade de voltar para provar outros pratos. Um lugar sem luxos que tem cara de comida de verdade.

Fomos aí comer pizza, e vou contar que foi uma das melhores pizzas que provei aqui em Montevideo! Massa crocante, fininha, combinações de sabores no estilo gourmet e tradicional. 

O restaurante é  daqueles que preservam boa fama na qualidade da comida servida, a popular "propaganda boca a boca", o espaço é pequeno e isso quer dizer que a probabilidade de chegar e ter que esperar mesa é grande. 

Na hora do almoço em dia de semana eles servem o menu ejecutivo que costuma agradar quem trabalha por aí e gosta de comer bem.

Não tenho fotos, estava sem a câmera! E mesmo com a câmera ando meio tímida em bancar a turista tirando fotos das comidas e restaurantes, o ultimo restaurante que fomos e levei a máquina, tirei umas fotos meio escondida, super agente secreta, sabem? :P

Endereço:

San Jose, número 1166. 
Uma rua paralela a famosa Avenida 18 de Julio, próxima a Plaza Cagancha.

Telefone: 2908 - 3384
14

Viver no Uruguai - Parte 1: Morar em Montevidéu

Bem, já faz um tempinho estou devendo um post sobre as coisas práticas de morar no Uruguai sob o meu ponto de vista, queria deixar bem claro isso, não pretendo que o exposto seja tomado como verdade absoluta, pois são apenas impressões tiradas das experiências que eu tenho vivido no paisito.

Então vamos lá falar um pouco sobre o custo de vida, serviços, educação, aluguel, segurança, e o que mais vocês quiserem saber nos comentários! ;) 

P.S. post longo.

Acho que me adaptei relativamente rápido ao ritmo de vida daqui, uma das coisas que mais gosto é viajar, é ver coisas diferentes e aprender, foi fazendo isso que descobri que para uma mesma situação sempre há mil possibilidades de encarar a vida, e não cabe a mim julgar se é melhor ou pior que a outra. 

Pode parecer fácil deixar esse ser julgador de lado, mas não é. Ainda é um exercício diário deixar as comparações de lado, principalmente quando alguma coisa não dá certo ou complica mais que o normal, o primeiro pensamento que sai em tom enfurecido é "ahhh, mas no Brasil não é assim!".

Não estou no Brasil, não posso esperar que as coisas sejam como são lá, apesar da proximidade geográfica, são países distintos, com outro clima, cultura e tradições.

Digo isso porque acho péssimo quem sai do país e insiste em querer viver a vida como se ainda estivesse lá, sem se permitir absorver a cultura do lugar novo que está vivendo, não digo para esquecer as raízes, de jeito nenhum, eu sou brasileira, gosto de cores, do meu feijão e minha moqueca, escuto nossa música, tomo cerveja e caipirinha, mas também me permito e adoro conhecer mais sobre a história do meu novo lar.

Uma vez decidida a permanência no país, temos que ir a Dirección Nacional de Migración solicitar a cedula uruguaya, ou melhor, a residência no país. Obviamente existem também vários tipos de visto, cada um com seu respectivo procedimento: o visto de estudante, de trabalho, etc. 

Como somos brasileiros, é mais conveniente solicitar a Residência Mercosul, tem que ir lá pedir uma cita, aguardar pacientemente uns 2 meses e levar os documentos solicitados: RG ou passaporte, certidão de nascimento,  2 fotos 3x4 e o carnê de saúde que tira aqui. 

Pediam também o certificado de antecedentes penais emitidos pela Polícia Federal, não aceitavam o expedido pela internet. Tenho que ir lá semana que vem resolver exatamente essas coisas porque enrolei mil anos e tenho toda a documentação atrasada, daí atualizo a informação do post. 

A desvantagem da residência mercosul é que após um período, tem que renovar e fazer todo o tramite novamente.

Oh, demora para receber a cédula! Demora inclusive para os uruguaios, a identidade aqui tem prazo de validade, a cada tanto eles têm que fazer uma nova e se não pedem o procedimento urgente, leva como 2 meses para receber o documento. Tem gente aqui que não acredita quando eu digo que no Brasil tiramos no mesmo dia nosso RG e que não tem data de vencimento* como a carteira de motorista, por exemplo.

*Quando esse post foi escrito o projeto de lei que regulava a validade das carteiras de identidade no Brasil havia sido aprovado pela Câmara (a legislação anterior não previa prazo de validade), ficando pendente à sanção presidencial, portanto a informação do post estava de acordo à legislação vigente.

Com a cédula em mãos você pode ser cidadão, né? Trabalhar legalmente, pagar impostos, fazer conta em banco - se bem que isso eu consegui com o passaporte, etc.

Eu trabalhei sem cédula, me pagavam descontados os impostos que a empresa nunca repassou ao Estado, claro. Apesar de não achar bacana essa situação, tampouco me incomodava muito porque sabia que era algo provisório.

Você pode trabalhar legalmente sem a cédula se conseguir um trabalho em alguma zona franca do país, eu trabalho na Zonamerica e nesse caso me descontam 12% do salário ao invés dos quase 20% que os uruguaios pagam porque contribuo como estrangeira, porém contribuindo assim não tenho direito a benefícios da Previdência Social, como o tempo de trabalho para aposentadoria. E precisei pagar a um escrivão por um certificado de domicílio no país, assim que o melhor é tirar logo a cédula e pagar os impostos como os uruguaios.

E já que pintou o tema "trabalho", vamos seguir falando disso.

Foi minha maior dificuldade, porque conviver com a saudade da família e amigos uma hora a gente acaba se adaptando, os poucos momentos que pensei em voltar ao Brasil foram devidos a busca por trabalho

Se abrimos os sites de ofertas laborais ou de consultoras de recursos humanos, bem como os classificados dos jornais, vemos que há trabalho. E segundo as estatísticas do governo a taxa de desemprego no país é de 6%, ou seja, é baixa.

Minha realidade não foi essa, me cadastrei em quase todas consultoras do país, enviei acredito que mais de 100 currículos a distintos postos de trabalho, de secretaria, auxiliar, professora de português a supervisora, coordenadora, etc e fui chamada a 15 entrevistas apenas, das quais resultaram em 3 empregos de... call center!

O primeiro era fazendo pesquisa para um canal de tv a cabo, fiquei 1 semana. O segundo era atenção ao cliente de uma página de publicidade sobre casamento, aguentei 2 meses. O terceiro foi também uma pesquisa, dessa vez para uma operadora de celular, fiquei 2 semanas e o contrato era só por 3 semanas.

Aqui necessitam muita gente com português para empresas de call center, há muitas, todos os dias saem avisos de seleção. Algumas ferem a dignidade humana, no sentido que se você precisa ir ao banheiro tem que solicitar a coordenadora e coisas do gênero, outras são corretas e dignas, algumas pagam míseros 600 reais, outras podem pagar até 1.600, chegando aqui rapidamente você tem conhecimento das que prestam e não prestam.

Hoje vejo que essa rápida experiencia em call center me ajudou muito como crescimento pessoal e até profissional, vivi coisas que estando na minha zona de conforto no Brasil jamais viveria, quebrei paradigmas, estive em empresas com hierarquias bem definidas, e eu estava na base da pirâmide. 
Me surpreendi com o nível - humano e intelectual - dos meus companheiros, esses call centers prestam serviços para empresas do mundo inteiro, e os atendentes são bilíngues em inglês, português, alemão, italiano, francês e a maioria faz faculdade, uma das companheiras uruguaias de cubículo que eu tinha fazia psicologia e falava fluentemente inglês e português, entre uma ligação e outra gerundiando no "podemos estar enviando para o Sr." ela lia livros de Freud ou Jorge Amado.

Sou formada em Direito pela Universidade Católica, terminei um curso técnico em Recursos Humanos numa universidade privada aqui em Montevideo, falo português, espanhol e apesar de não me sentir comoda com meu nível de inglês, meus certificados atestam um nível intermediário, em tese teria boas chances, né? 

Pois, faz apenas 1 mês e meio que consegui um trabalho na área administrativa que está o mais próximo do que poderia me satisfazer: gosto da empresa, gosto muito dos companheiros, o trabalho em geral é bom, há perspectiva de crescimento, paga minhas contas e me deixa mais tranquila, mas levou mais de 1 ano ter essa oportunidade, e não foi falta de tentativa ou conhecimento.

Para quem trabalha com informática ou engenharia há muito campo, acredito que seja mais fácil e rápido conseguir boas oportunidades. 

Inglês é um requisito fundamental para um bom posto de trabalho, em muitos avisos - inclusive para cargos mais básicos - vocês vão ver  nível mínimo de inglês requerido "aprovado o exame first certificate da Cambridge", requisito que eu não tenho, e acredite muita gente aqui tem.

Sites úteis de busca laboral: CompuTrabajo, BuscoJobs ambos com atualizações diárias e o Gallito que sai edição nova todos os domingos.

Sobre educação, acho a qualidade de ensino muito boa, além do que me parece sensacional as pessoas terem garantido o direito de fazer um curso superior. Podem falar o que quiserem da faculdade pública, que as salas de aula tem 200 pessoas amontoadas, greves e coisas assim, mas garantir o acesso a educação a milhares de jovens é algo que acho realmente fantástico.

Eu noto uma grande diferença entre os jovens estudantes aqui e os jovens estudantes da minha realidade em Salvador. Não sei, cada vez ando mais convencida que nós temos as coisas muito fáceis, eu quando fiz 18 anos ganhei um carro, um carro popular, mas era um carro! E vivia de mesada, recebia uma grana boa para gastar com bobagens, e meus pais não são ricos, era um esforço que faziam para me dar além de muito amor e valores, o que eles entendiam que eu precisava, e assim como eu, várias das minhas amigas viviam da mesma forma, era uma realidade comum no nosso meio.

Aqui ganhar um carro aos 18 anos é coisa de gente muito rica! Fazia faculdade privada em Montevideo e na minha sala todo mundo andava de busão, e muitos eram de família como a minha no Brasil, mas não há essa realidade de tudo fácil e eu acho fantástico mais uma vez. Talvez por isso as pessoas sejam menos exibidas e mais conscientes com a grana.

Em termos gerais os jovens trabalham desde cedo, na faculdade no Brasil eu fazia estágio 4 horinhas do meu dia. Aqui o minimo que vejo são 6h, e muitos estudantes trabalham 8h e depois vão para a faculdade, é uma rotina perfeitamente normal. 

Os primeiros empregos deles? Caixa de supermercado, secretária, operadores de call center, as mocinhas bonitas promovendo marcas em eventos e toda sorte de "assistente". 
Poucas vezes vi anúncios para o que seria o que entendemos por estágio, estes geralmente são voluntários ou em instituições públicas, o comum mesmo é chamar estudantes universitários para serem assistentes ou auxiliares, e as responsabilidades são de gente grande, ninguém passa a mão pela cabeça.

Gosto do climão de cidade pequena e cidade grande daqui, é meio louco, mas a sensação que tenho é que o novo e o velho convivem em harmonia. Ainda é um lugar tranquilo, ameno para viver, apesar do crescente número de violência e criminalidade que preocupa a população e gerou uma serie de medidas do governo, inclusive a tão comentada legalização e controle do Estado sobre o consumo e produção da maconha.

Acho as pessoas amáveis e receptivas, nunca senti preconceito por exemplo, ao contrário sempre sinto um interesse muito grande relacionado ao Brasil, mas ainda há muito conservadorismo e tradicionalismo na sociedade. 

Muitas vezes escuto expressões arcaicas que ao meu ver chegam a ser preconceituosas, mas ninguém parece perceber ou se importar, e poucas vezes escutei em tom efetivamente agressivo. Talvez seja só coisa da minha cabeça de 'revolucionária reprimida' mesmo rs.

E se engana muito quem pensa que o custo de vida aqui é baixo! Lembro quando fui com minha mãe ao mercado e ela ficava chocada com tudo rs. 

Acho comida e aluguel caríssimos em comparação ao salário médio que as pessoas recebem, mas curiosamente sair para comer num restaurante bacaninha pode sair mais barato que ir a um restaurante similar no Brasil. Já um restaurante "comum" geralmente cobra mais caro que um restaurante no estilo PF nosso. É, Montevideo tem dessas contradições! :P

Alugar um apartamento ou casa requer muita paciência, dinheiro para as garantias e algumas burocracias.

Eu gosto muito das zonas próximas as ramblas, são as mais caras, mas procurando bem dá para encontrar boas opções em relação ao preço.

Recomendaria os bairros de Pocitos, Punta Carretas, Villa Biarritz. Nesses bairros um apartamento quarto e sala custa em média entre R$1.100 e R$1.300. Há o que eles chamam de monoambiente que são mais baratos, porém são bemmm pequenos.


O condomínio aqui acho um pouco mais barato, seguramente o preço do condomínio do apartamento que vivemos aqui seria mais alto lá em Salvador. 

Os gastos comunes seria o que chamamos de condomínio e  acho interessante que muitos dos edifícios mais novos têm apartamentos com várias plantas diferentes, no mesmo andar há um monoambiente, 1/4 e sala, um apartamento de 2/4, etc, e o preço varia de acordo ao tamanho do apartamento, é justo. 

Nas áreas que citei acima os gastos comunes variam em média de R$100 a R$350 para um apartamento quarto e sala.

Em Malvin e Punta Gorda tem mais casas, são boas áreas também. E em Carrasco geralmente é onde estão as super casas da burguesia montevideana rs, gente que eu não conheço inclusive, o que me leva a crer que rola dessas coisas de grupinhos fechados ou eu que saio pouco e conheço pouca gente.

Pelo Centro há opções mais econômicas, recomendaria Cordon, Tres Cruces, La Blanqueada, Parque Batlle e Parque Rodo. 

Procuramos apartamento no site do Gallito, é o mais completo. Nosso ap que eu gosto muito, estava publicado sem foto, uma amiga também conseguiu um muito bom publicado nas mesmas condições, então vale a dica de visitar também o que parece interessante e não tem foto.

Pensando em mais gastos... água e telefone são similares ao Brasil, eletricidade também, salvo no inverno que eu sofro com a conta que triplica graças a calefação, que vamos combinar já que é para pagar caro, que pelo menos não passemos frio, deixo a casa sempre a 20 graus e todo mundo diz que é um pedaço da Bahia ou que um dia vou levar um choque térmico chegando da rua! :P

Assistência medica privada é algo que ainda não domino bem, não me agrada muito o sistema. Aqui é através de mutualista, pago 150 reais por mês e cada vez que tenho que ir ao médico - são hospitais determinados vinculados à mutualista, não há consultórios que aceitam vários "planos" - tenho que pagar uma taxa que varia entre 5 e 15 reais a depender da especialidade do médico, a mesma coisa para exames. 

Escrevi muito e já não tenho mais ideia do que dizer rs, para terminar só preciso compartilhar e registrar minha indignação com o kg do maracujá a 20 reais nesse país rs!

Brincadeira, não dá para terminar o post sem expressar palavras positivas! De verdade fico bem feliz com o interesse e curiosidade das pessoas pelo Uruguay, e aos que planejam viver aqui um dia desejo toda a sorte do mundo e que a mudança possa reservar tanta surpresa boa como acontece comigo.

Ah, o Uruguay é bacana, coisa e tal, mas não disse o real motivo de ter vindo parar no paisito, né? Pois bem, provavelmente não estaria aqui se não fosse ele!  


Morar no Uruguai

Abraços! ;)

Obs.: Como esse papo rendeu, fiz a continuação desse post nesse link aqui.

Obs.2: O post foi escrito em 2012, dados como procedimentos para a cedula e preços estão desatualizados. Fazendo click nos links oficiais vocês encontram a documentação requerida e preços corrigidos.

Obs.3: Peço que os comentários sejam direcionados a Parte 2 ou Parte 3, já passamos de 300 comentários aqui e está complicado carregar toda a página para responder, acaba travando e demorando bastante.


335

Rio de la Plata

Tenho especial fascinação pelo Rio de la Plata!

Uma das coisas que mais gosto aqui é ter as ramblas como opção de lazer, ainda que seja ir lá e não fazer nada, só sentar, curtir o dia, ver o movimento, o por do sol e tomar um mate ou cerveja, parece que todo mundo aqui faz isso, em especial nos domingos de sol ou temperaturas agradáveis! 

Adoro esse climão família que invade as ramblas, me faz bem, as famílias levam suas cadeirinhas, mate e fazem da orla da cidade a varanda de casa. 



Nesse clima "vamos a la rambla oh oh oh" vejo muita gente curtindo o rio velejando, pegando uma prainha no verão (os montevideanos se referem ao rio como praia) e pescando, sempre tem alguém fazendo isso com o inseparável mate do lado, já vi pescador sentadinho na rambla até de madrugada! 

Só nunca presenciei ninguém pegando um peixe de verdade rs, no máximo umas piabinhas minusculas depois de muitas tentativas. 



 A cor do rio depende do dia, se você tiver sorte vai ver o rio igualzinho ao mar, azul lindão, dando o toque final a paisagem da orla da cidade. 

Outros dias eles está lá com cor de chocolate caramelado que não me agrada muito! Costumo pensar que o rio tem personalidade própria e essa variação de cor é pura alteração de humor do danado rs! :P




                A única foto dele chocolate que achei, dá pra ver só esse pedacinho do rio aqui de casa.

E se hoje o Rio de la Plata é sinônimo de lazer, no passado foi sumamente importante no processo de exploração, expedições, disputas e desenvolvimento dessa região da America do Sul, um dia quem sabe ainda me animo a comentar algo da historia tão rica que pouco a pouco vou descobrindo desse continente que nosso Brasil - que curiosamente também faz parte dele -  insiste em não difundir como deveria. #desabafo!

Bom finalzinho de domingo, gente! :)

4

Inverno e Cafés em Montevidéu

O clima continua frio mimimi, coisa e tal! Daí a gente precisa focar em coisas positivas para não ficar nessa chatice reclamando do tempo, né? 

Comecei a fazer uma listinha mental das 10 coisas legais do inverno, confesso que ainda não cheguei na metade, e logo lembrei do meu fascínio por lareiras e flocos de neve, devo ter visto muitos filmes de natal quando era criança rs.

Cresci com essa imagem mágica e distante dos dias frios, mas na minha realidade ver neve caindo em Salvador só considerando aquela chuva de isopor da decoração natalina dos shoppings rs, e ter uma lareira em casa era uma ideia um tanto esquizofrênica. 

Aqui em Montevidéu apesar da gente virar picolé nas ruas, não chega a nevar, já sabia disso, então minha surpresa foi encontrar lareiras nas casas, é comum  inclusive nas casas de pessoas menos abastadas, não é um acessório rico, é funcional e talvez por isso ninguém dá muita bola.

Fico toda feliz na esperança de ter uma lareira elegante e quentinha na minha sala algum dia! ;)

Da janela de casa sempre vejo nuvens de fumaça saindo das chaminés, que junto com os dias mais cinzas e as árvores já sem folhas ou com folhas ainda amareladas do outono compõem um cenário bucólico de inverno, que vamos combinar guarda também a sua beleza.

Em seguida lembrei dos cafés, tem coisa melhor do que sair para tomar um café ou chá com uma torta bem apetitosa nos dias frios? 


São ambientes agradáveis, familiares, acolhedores e... quentinhos, um requisito fundamental no inverno.

Ideais para colocar o papo em dia com as pessoas queridas, passar o tempo lendo um livro ou até mesmo navegando na internet, já que a maioria das cafeterias têm wi-fi free.

Aqui em Montevidéu temos ótimas opções, a maioria se concentra no bairro de Punta Carretas, ficam todas próximas uma das outras, difícil mesmo é escolher em qual entrar!

Na rua 21 de Setiembre encontramos a Amaretto e a Freddo que na verdade é uma sorveteria, mas também serve um bom café.




Subindo pela 21 de Setiembre encontramos a rua Jose Ellauri e seguindo por esta no sentido do Shopping Punta Carretas, chegamos ao Havanna CafeCafe Martinez, ambas redes argentinas.

Mais uns passos e está a Porto Vanila , gosto muito das tortas de lá!



Dentro do shopping do bairro tem a Bonafide e outra Porto Vanila, e ainda a Oro del Rhin, mas prefiro os cafés que ficam nas ruas, acho mais aconchegantes, shopping geralmente tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo.

Na região de Pocitos temos o Cake's Cafe que acho um charme, super com cara de chá das 5 das velhinhas fofas.

Tem também o Café Doña Ines que é beeem pequenino, e eu cismei que tem cara de coisa feita pela avó, com gosto mais caseiro, mas na real acho que é a decoração com cara de casinha de boneca que me faz divagar assim, porque a guria que faz as tortas não passa dos 35 anos rs.

Em Pocitos encontramos ainda a ML Calentitas que é uma ótima opção para o café da manhã, as medialunas de lá são super famosas.


Não são os cafés mais econômicos, porém a qualidade é destacada e recomendo todos esses.

Algumas redes vendem também o café em grão ou em pó para quem quiser levar e provar em casa.

Endereços:

Amaretto: 21 de Setiembre, nº 2998, esquina Roque Graseras.

MLCalentitas: 26 de marzo, nº 1161, esquina Martí. Tem outra também na 21 de Setiembre, mas curto mais essa de Pocitos.

Cake´s: Ellauri, nº 1067, entre Cavia e Av. Brasil.
Doña Ines: Barreiro, nº 3293, esquina Chucarro.

Havanna e Cafe Martinez: Ellauri, esquina Montero.

Porto Vanila: Ellauri, nº 351, esquina H. Miranda. Tem outras na Ciudad Vieja, Punta Gorda e Carrasco.

Aproveitem! ;)

7

Plantão meteorológico - O clima em Montevidéu

Já que sempre me perguntam sobre o clima, aí vai um plantão meteorológico.

Tá frio, gente! Frio pra cacete eu diria! :P

                                 Foto do site El Observador.


Ontem ligamos a calefação do apartamento, é um dia emblemático na minha vida rs, e de pouco humor, porque é quando chego no limite de suportar o frio de forma comoda. 


Tento postergar esse dia o máximo que dá porque com a calefação (losa radiante) a conta de luz triplica, mas não aguento muito, não entra em minha cabeça andar de meia, pantufa, casaco, toda montada em casa, ainda guardo essa coisa "eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim Gabrieeelaaa" e sofro não poder ficar descalça, por exemplo.

Por sorte não está ventando muito nem chovendo tanto, quando chove é rapidinho, e o céu ainda aparece celeste para nossa alegria.

Eu sou baiana, e isso afeta diretamente na minha percepção de frio, é claro. Na verdade sofro igual com 10 graus ou - 10. Passei um inverno na Europa e caminho para o segundo inverno aqui, uso praticamente a mesma quantidade de roupa que usava lá, e acho que pareço mais um saco de batatas amarrado que uma pessoa elegante, porque rola essa lenda que as pessoas ficam mais elegantes no frio, né? #balela 

Então quem está vindo nos próximos dias ou meses, recomendo trazer roupas quentinhas,  algo de lã, sapato fechado, cachecol, etc. 

Agora de noite por exemplo o termômetro da esquina marcava 6 graus e de manhã quando saí para trabalhar marcava 8 graus.


Link da matéria do jornal El Observador: alerta laranja para esse fim de semana, previsão de onda de frio, temperatura minima em Montevideo 0ºC e máxima de 15ºC, tremo - literalmente rs - quando escuto esses avisos de "ola de frío, ola polar"


Abraço! ;)

22

Nakarato: Parrilla em Pocitos

P.S.: O restaurante fechou em 2014. No lugar agora funciona algo de sushi, bem que falei que tinha nome de coisa japonesa rs. 

Fica o post para arquivo do que já passou por aqui...


Já que a carne é o prato mais amado aqui, vamos a uma dica de um restaurante fiel ao estilo carnívoro de ser: Nakarato Parrilla! ;)


O lugar com nome de restaurante japonês fica pertinho de casa pra variar, até queria dar dicas de restaurantes em outras zonas da cidade, mas a praticidade fala mais alto, principalmente no domingão! Daí entre pegar o carro/bus/táxi e ir explorar outros cantos, preferimos caminhar 2, 3, 4 ou 10 quadras e encontrar um lugarzinho bacaninha por Pocitos mesmo.

Fazia tempo que queria conhecer o Nakarato, sempre ouvia comentários positivos do restaurante, que o ambiente era agradável, o atendimento era ótimo, a comida uma delicia e o preço convidativo, o que mais podemos pedir de um restaurante, hein?

Então fui toda serelepe cheia de expectativa, o ambiente é de fato agradável, o espaço é pequeno e o atendimento é ágil, algumas falhas na questão do serviço, como o garçom um tanto atrapalhado que servia o vinho completando a taça toda, mas nada tão grave a ponto de incomodar de verdade.

Passamos a comida, eu pedi um corte de baby beef com batata frita que custou 330 pesos (mais ou menos R$33) e meu namorado pediu os ravioles da casa que segundo vimos no site SalirAComer, tinha mais estrelinhas que o céu. 

A carne estava realmente muito boa, macia, suculenta, no ponto ideal. Aproveito para ressaltar mais uma vez a questão da escala "mal passada, ao ponto e bem cozida" na versão uruguaia, JAMAIS peçam uma carne jugosa aqui porque ela não virá como descrevi acima, não sei porque mas o conceito de mal passada ou suculenta na cabeça dos uruguaios é a vaca mugindo no prato. Depois de algumas experiencias desastrosas, não arrisco mais e sou feliz pedindo a carne al punto!



Já os ravioles estavam bons, mas talvez pela super expectativa a reação com o prato não foi a mais feliz no momento. O prato é enorme, acho difícil uma pessoa comer tudo sozinha. Custou se não me engano uns 240 pesos (mais ou menos R$24 - realmente bom preço). 



Para acompanhar pedimos um vinho da bodega uruguaia Pisano, um Merlot-Tannat ano 2009. Não conseguimos pedir sobremesa, o que é recorrente aqui, pois é comum os pratos serem tão bem servidos, que ao terminá-lo eu já não posso com mais nada, só com o chazinho digestivo quando chego em casa! :S

Endereço:

Fco. Berro 1231, esquina Pereira. Pocitos. 
Tel.: 2706 6305

Aberto de segunda a sexta a partir das 20h; sábado de 12h às 14h e a partir das 20h; e domingo das 12h às 16h. Aceita cartão de crédito.


Abraços! ;)

                                                        Interior do Nakarato Parrilla:

             "Muitas pessoas perdem as pequenas alegrias esperando a grande felicidade"
6