Comida vegana em Montevidéu

Lá no comecinho do blog fiz um post sobre restaurantes vegetarianos em Montevidéu, o cenário naquela época era tímido com poucas ofertas e muitos mitos, afinal estamos falando de um país tradicionalmente carnívoro, um lugar onde tem mais vaca do que gente.

Acho maravilhoso ver como em apenas quatro anos tanta coisa mudou, sobretudo em relação a respeito e entendimento, as pessoas estão mais abertas a experimentar sem rotular, os projetos avançam e todo mundo ganha (e eu não sou vegana nem vegetariana). 

Comida vegana em Montevideu

A cidade hoje está mais engajada, é mais fácil encontrar pratos sem proteína animal - ou adaptá-los a pedido do cliente - na maioria dos restaurantes e vários lugares de comida vegetariana e vegana surgiram e o melhor, se mantiveram no mercado.

Resumindo a parada, ser turista e vegano em Montevidéu já não é uma missão hehe. E vou dividir com vocês alguns nomes para facilitar ainda mais essa comilança boa nas férias! <3

Supermercado no Uruguai: Custo

O último texto dessa categoria 'Vida no Uruguai' que publiquei no blog já tem mais de 2 anos, eu evito mesmo escrever sobre esses temas porque acho o retorno complicado.

Primeiro, é tudo muito relativo e pessoal, não é tão simples fazer um balanço crítico, honesto e fundamentado dessa experiência tão complexa que é viver em outro país. 

Segundo porque não tenho novidades para acrescentar no que já foi dito, minha percepção continua igual, os links para fazer as pesquisas básicas também ainda são os mesmos. 

E, apesar da boa intenção, no final sempre termina em treta hehe.

É aquele tipo de post que puxa um monte de gente nova que está buscando info, mas na real não quer ler nem avaliar nada hehe. O objetivo é sair do Brasil e qualquer palavra que não corroborar com o sonho dourado de mudança vai ser motivo de ataque.

E eu não estou aqui para convencer nem deixar de convencer ninguém a nada, juro.

Estou apenas trazendo ferramentas de pesquisa para quem tiver interesse de pesquisar. 

Mas, você pode estar pensando:

- Fia, se você não tem nada diferente para falar qual a graça desse post?

A graça é que eu fiz o trabalho que todo mundo deveria fazer e coloquei aqui mastigadinho o resultado para poupar seu tempo! Ó que pessoa querida, gente hehe! <3

Comparei o preço de produtos aleatórios - arroz, feijão, macarrão, cebola, banana, pasta de dente, etc - em quatro redes de supermercados da capital: Géant, Tienda InglesaDevoto e Ta-Ta.

Mercado no Uruguai

Montevidéu com crianças

Apesar de ter uma filha nunca foi um tema muito fácil de escrever e explico: quando viajamos essa pergunta 'o que fazer com criança' é o que menos nos preocupa. 

Veja bem, todo nosso roteiro de viagem é pensado no conforto da pequena, desde a escolha do horário e duração dos voos ao tipo de hospedagem, disposição dos dias, deslocamentos, equipagem e tal, mas a questão entretenimento a gente sabe que dá para se virar nos 30 numa boa em qualquer lugar. Qualquer lugar. Mesmo.


Conto mais dessa teoria desapegada. Primeiro, em todo destino há criança que nasce, cresce, vive,  brinca, eu sei que iremos achar uma pracinha com escorrega ou balanço, um parque, uma praia, etc. 

Segundo, porque é cada cilada, gente. De 10 textos sobre o que fazer com crianças seja em Nova York ou São Paulo, em pelo menos 7 encontramos as mesmas coisas: zoo, shopping e afins.

Acho deprimente real. Não precisamos passar o dia consumindo coisas nem ficar incomodando os bichinhos (eu sei que a gurizada ama ver, sei que é difícil recusar, mas dá para fazer um esforço e não associar toda diversão infantil a atrações que usam animais).

E finalmente, porque os guris podem acompanhar vários passeios vistos como 'de adultos' se buscarmos envolvê-los contando histórias, trazendo o lúdico. 

Roteiro no norte uruguaio: Salto

É bem verdade que os 500 km de distância da capital não facilitam a visita num primeiro contato com o país.

Mas é real também que Salto se apresenta como uma oportunidade incrível de conhecer o Uruguai raiz: aquele de campo, de gente simples e de rio.

O interior definitivamente tem outro sabor, outro movimento. 

Dicas de Salto no Uruguai

Salto fica lá no norte, não tem mar, mas não falta água. O rio Uruguai serpenteia a cidade e marca fronteiras, de um lado nosso paisito amado e do outro os hermanos argentinos.

Dessa união surgiu a represa de Salto Grande que carrega o título de primeira hidroelétrica binacional da América Latina e ainda hoje ilumina parte de ambos países.

E para ninguém duvidar do poder das águas salteñas, há fontes termais ricas e quentinhas que brotam em diferentes pontos do território e fazem a alegria dos moradores e visitantes. 

Uma terra de verões calorosos, de agricultura e pecuária. Foi onde plantaram as primeiras mudas da uva Tannat que deram origem à viticultura do país. Também vem de lá as laranjas mais gostosas que se tem notícia, de tanto laranjal eles ganharam o simpático apelido de naranjeros

O desenho de Salto é de interior com pracinha e igreja, embora seja a terceira cidade mais populosa do Uruguai com 100 mil habitantes e todos eles contam orgulhosos e com sorriso no rosto que são conterrâneos dos maiores craques da seleção de futebol da atualidade: Suárez e Cavani.

3 cafés para conhecer no inverno

Para encerrar nossa série com dicas especiais para o inverno - mas que funcionam o ano inteiro - trago 3 cafés bem gostosos e charmosos, cada um localizado num bairro diferente porque é para vocês circularem mesmo e conhecerem outras caras da cidade.

Cordón, Ciudad Vieja e Carrasco foram as escolhas de hoje. Já comentei em outras oportunidades sobre o bus número 104, mas vale repetir, o trajeto é tão lindo e barato que coloca o bus turistão de dois andares no chinelo (e assim você perde a chance de fazer parceria e ganhar dinheiro, fia - nota mental da blogueira hehe, ou seja, usem muito essa dica para valer a pena o post sincerão).

Dá para pegar o 104 ali na Plaza Independencia ou no prédio da Intendencia e descer pertinho do maravilhoso Hotel Carrasco. O bus vai faceiro por quase toda Avenida 18 de Julio, desce pelo Parque Rodó, cruza Pocitos, pega boa parte da rambla de Malvín, flerta com Punta Gorda e finalmente chega em Carrasco.

O passeio custa 36 pesos, menos de 5 reais, uma pechincha perto do bus turístico, táxi ou uber. Vai levar mais tempo, talvez vocês nem percebam enquanto miran pela janelinha do busão o cotidiano de várias ruas comuns e residenciais.

Vamos aos nomes?

  • Café Gourmand

Achei ousada a proposta do café assim que a Erica nos convidou para conhecer, como estrangeira reconheço que empreender em território alheio requer sempre uma dose extra de coragem.

A Erica é norte americana e o marido Grégoire é francês.  O espaço fica na área central da capital uruguaia. Um caldeirão de referências que em pouco tempo conquistou turistas e moradores: o café ostenta hoje nada mais, nada menos que o primeiro posto - entre centenas de opções - do TripAdvisor.

Nada é por acaso nem vem fácil, amigos. E se eu fosse vocês daria um jeito de ir lá conferir essa mistura boa, seja no café, almoço ou jantar.

Funcionam de quarta a sábado das 9h às 17h. E uma das coisas que acho mais legal da proposta é que oferecem brunch todos os dias e não apenas no sábado ou domingo como costuma ser nos demais cafés. Acho uma mão na roda para quem está de férias e todo dia tem cara de domingo, né?

Roteiro gastronomico em Montevideu

Alfajores uruguaios

A lista de alfajores disponíveis no mercado é enorme, são várias marcas e tipos de recheio - o campeão é o doce de leite, claro - e escolher apenas cinco não é lá uma tarefa muito fácil. Unanimidade passa longe, adianto desde já hehe.

A verdade é que cada pessoa tem sua lista de preferidos e os critérios podem ser infinitos: preço, textura, tamanho, cobertura, camadas de recheio, etc. 

Deixo aqui o desafio de ir num mercado, escolher pacotes aleatórios e descobrir qual docinho vai te conquistar. Criar a própria degustação vai deixar seu dia mais gostoso, sem dúvida.

Vou compartilhar minhas escolhas de sempre, mas devo confessar que ando numa fase meio natureba, lendo rótulos e achando tudo esquisito hehe, minha preferência hoje são os alfajores artesanais, aqueles de maisena das padarias que também são simples e fáceis de fazer em casa.

Apesar disso, tenho na conta anos comendo alfajor de mercado hehe e se pudesse recomendar cinco, seriam os seguintes:

  • Alfajores de las Sierras de Minas

3 mercadões para conhecer em Montevidéu

Seguindo a linha de passeios que funcionam lindamente no inverno, hoje vou apresentar os mercadões de Montevidéu.

Eu amo incluir esse tipo de passeio no roteiro quando estou viajando, acho uma ótima oportunidade para comer bem e conhecer um pouco mais do cotidiano da cidade.

São espaços cobertos e climatizados com muita variedade - coisas para ver, fazer, comer, comprar - que deixam o dia muito feliz independente do clima do lado de fora.

Encontramos na capital opções que se complementam e agradam a todos os gostos, olha só:

- O descolado

O Mercado Ferrando é a melhor novidade gastronômica dos últimos tempos, inaugurado no finalzinho de 2017, já é um sucesso consolidado em Montevidéu. 

É um mercado cool, gostoso, acessível.

Mercado Montevideu

Foto @luisazuffo

Fica a menos de 10 quadras do Parque Rodó e ocupa um galpão que já foi uma importante fábrica de sapatos, o prédio é tão maravilhoso que faz parte do patrimônio arquitetônico da cidade e a reforma nos seus 2 mil metros quadrados o transformaram num espaço acolhedor e charmoso para o público.

Encontramos nas lojinhas muitas possibilidades e delícias: de churros, frutas e verduras a cervejas artesanais, utensílios de cozinha, temperos, livros, vinhos, sucos naturais e mais. Imperdível!


- O tradicional

O Mercado del Puerto é um clássico onipresente em todos os guias que se dedicam a falar do Uruguai, mas a bloguerinha aqui não gosta, não.