5 alfajores uruguaios

A lista de alfajores disponíveis no mercado é enorme, são várias marcas e tipos de recheio - o campeão é o doce de leite, claro - e escolher apenas cinco não é lá uma tarefa muito fácil. Unanimidade passa longe, adianto desde já hehe.

A verdade é que cada pessoa tem sua lista de preferidos e os critérios podem ser infinitos: preço, textura, tamanho, cobertura, camadas de recheio, etc. 

Deixo aqui o desafio de ir num mercado, escolher pacotes aleatórios e descobrir qual docinho vai te conquistar. Criar a própria degustação vai deixar seu dia mais gostoso, sem dúvida.

Vou compartilhar minhas escolhas de sempre, mas devo confessar que ando numa fase meio natureba, lendo rótulos e achando tudo esquisito hehe, minha preferência hoje são os alfajores artesanais, aqueles de maisena das padarias que também são simples e fáceis de fazer em casa.

Apesar disso, tenho na conta anos comendo alfajor de mercado hehe e se pudesse recomendar cinco, seriam os seguintes:

  • Alfajores de las Sierras de Minas

Essa marca é bem tradicional no Uruguai, o alfajor com cobertura de merengue é o meu queridinho de todos os tempos. Tem uma camada fininha de açúcar por cima e recheio de doce de leite, o casamento é perfeito.

E aí aproveito para dizer que você pode amar ou odiar uma marca dependendo do primeiro contato que fizer, eu de-tes-to esse mesmo alfajor da Sierra de Minas na versão com cobertura de chocolate. Se fizesse uma degustação por conta e só pegasse essa opção, chamaria de doido o primeiro uruguaio que encontrasse recomendando o bendito.

Preço: entre 44 e 51 pesos.

  • Punta Ballena

Quase sempre é minha escolha de souvenir da terrinha de cá porque vende no freeshop, tem umas embalagens bonitinhas para levar de presente e facilita a vida (não ocupa espaço na mala, faz o tempo de espera no aeroporto passar mais rápido e tal). 

Fica a dica para o Bocadito - um mini cone de chocolate com abundante recheio de doce de leite - faz mais sucesso que o alfajor com minha família baiana.

Preço: a partir de 28 pesos os maiores.

  • Portezuelo

Das marcas mais comuns e baratas de encontrar, a linha é enorme e o alfajor que tira meus pesos do bolso é o Black Extra Dulce de Leche, os outros passo, obrigada hehe.

Preço: 18 pesos.

  • Agua Helada

O mais parecido aos alfajores de padaria, caseiros. Faz parte da memória afetiva dos mercadinhos de bairro, sempre tem uma caixa com os doces te olhando na hora de pagar as compras, só esperando as moedas do troco hehe.

  • Nativo 

Conquistou um lugar na lista por conta da camada generosa de doce de leite na versão premium, quem resiste?

Preço: entre 34 e 74 pesos, dependendo da linha escolhida.

  • Marley 

O alfajor da polêmica, impossível não falar dele hehe! Tudo remete a marihuana: o nome Marley que não tem nada uruguaio, a folha que estampa o pacote e o bordão pelo qual é conhecido, 'el alfajor bajonero', que em tradução livre seria o alfajor da larica.


Alfajor Uruguaio Marley
Fonte foto: Facebook Alfajores Marley


Preço: 44 pesos.

***

Gostaram? Terminei o post e tive que ir ali comer um doce haha. Tentação define! Dá para encontrar todos esses alfajores nas redes de supermercado espalhadas pela cidade (Tienda Inglesa, Ta-ta, Disco, Devoto).

Vou ficar devendo fotos para a próxima, experimentem e me contem depois qual alfajor uruguaio foi seu preferido! <3

Abraço!

3 mercadões para conhecer em Montevidéu

Seguindo a linha de passeios que funcionam lindamente no inverno, hoje vou apresentar os mercadões de Montevidéu.

Eu amo incluir esse tipo de passeio no roteiro quando estou viajando, acho uma ótima oportunidade para comer bem e conhecer um pouco mais do cotidiano da cidade.

São espaços cobertos e climatizados com muita variedade - coisas para ver, fazer, comer, comprar - que deixam o dia muito feliz independente do clima do lado de fora.

Encontramos na capital opções que se complementam e agradam a todos os gostos, olha só:

- O descolado

O Mercado Ferrando é a melhor novidade gastronômica dos últimos tempos, inaugurado no finalzinho de 2017, já é um sucesso consolidado em Montevidéu. 

É um mercado cool, gostoso, acessível.

Mercado Montevideu

Foto @luisazuffo

Fica a menos de 10 quadras do Parque Rodó e ocupa um galpão que já foi uma importante fábrica de sapatos, o prédio é tão maravilhoso que faz parte do patrimônio arquitetônico da cidade e a reforma nos seus 2 mil metros quadrados o transformaram num espaço acolhedor e charmoso para o público.

Encontramos nas lojinhas muitas possibilidades e delícias: de churros, frutas e verduras a cervejas artesanais, utensílios de cozinha, temperos, livros, vinhos, sucos naturais e mais. Imperdível!


- O tradicional

O Mercado del Puerto é um clássico onipresente em todos os guias que se dedicam a falar do Uruguai, mas a bloguerinha aqui não gosta, não. 

Copa do Mundo no Uruguai

Quase no finalzinho da jornada um post sobre a copa. 

O dia hoje é de festa aqui em casa, talvez o último dia com ânimos festivos frente aos jogos hehe, seja pela possibilidade de eliminação ou confronto que nos dividirá.  

Estamos do outro lado do mundo agora, mas tem bandeirinhas do Brasil e Uruguai na nossa lareira, tem guri cantando o hino no café da manhã, tem camisas das seleções penduradas prontas para serem usadas.

Você pode achar tudo isso uma grande besteira, mas com paixões não se brinca. 

3 museus incríveis para visitar em Montevidéu

Mais um post da nossa série de inverno que está ficando linda e do jeito que a gente ama: muitas dicas fora do basicão para armar um roteiro redondo e rico em experiências.

O tema de hoje é museu e trago 3 opções incríveis para visitar em Montevidéu.

É um passeio maravilhoso qualquer que seja a estação, mas no inverno quando as atividades ao ar livre podem ficar comprometidas por conta do tempo, é fundamental incluir essas paradas no roteiro.

Vale sair com uma seleção de lugares interessantes e quentinhos para se proteger do frio ou da chuva, e de quebra aprender, se emocionar, ampliar as ideias.

Porque se a viagem não servir para refletir ou questionar pelo menos um aspecto das nossas vidas, aquela foto bonita no ponto turístico com mil likes no Instagram não vai fazer o menor sentido.

Viajar nos dá essa chave mágica para abrir outro mundo, outras possibilidades, outras formas de viver.

E os museus são poderosos nesse processo, juro que não se trata apenas de ficar fazendo cara de entendido olhando um quadro na parede hehe, dê uma chance e escolha um lugar para visitar, em Montevidéu quando a entrada não é gratuita, o preço é sempre razoável.

Agora voltando à lista, prometi que a série teria textos curtos, né? Temos vários posts sobre museus aqui no blog, na capital os meus preferidos são o Museu Blanes e o Museu dos Andes, mas hoje quis trazer 3 lugares curiosos, diferentes para convencer até quem diz não gostar de museu. Desafio hehe.

Dicas Montevideu

Vamos ver?

1- EAC

Não poderia começar falando de outro lugar. O Espacio de Arte Contemporáneo é uma das melhores opções culturais que surgiu nos últimos tempos em Montevidéu, prova viva que a arte transforma.

Funciona na antiga penitenciária de Miguelete, a estética do espaço - que ainda mantém pavilhões não restaurados - por si só já comove.

A noite de São João em Montevidéu

Como boa nordestina que sou, vivo o mês de junho sempre com um toque de nostalgia. 

Lembro com carinho das nossas festas juninas, da alegria da música e dos encontros,  da mesa farta com quitutes a base de milho e amendoim,  quentão e licor caseiro.

Curti a saudade um tempo até descobrir que o dia de São João era comemorado também do lado de cá. Uma festa diferente, obviamente. Mas, suficiente para alegrar o corazón.

É bacana ver como a celebração vem ganhando força na capital, a Noche de San Juan é uma festa valenciana e catalã, na qual se comemora o solstício de verão no hemisfério norte. 

Cheia de elementos cristãos e pagãos,  a estrela da noite é uma grande fogueira que brilha e esquenta lindamente a noite fria de junho aqui do hemisfério sul.

A Casal Catalán foi responsável por resgatar os festejos em Montevidéu, há mais de 15 anos celebram a noite na Praça Varela em Pocitos. 

É a festa mais tradicional da cidade, sempre acompanhada de música, performances e comidas, doces e bebidas típicas da Catalunha. 

O evento é aberto e gratuito (paga o que consome nas barraquinhas) e acontece no dia 23 de junho. Mais info aqui

Sao Joao no Uruguai

Como vestir crianças e bebês no inverno

Tenho recebido muitas mensagens de pais e mães com dúvidas sobre como vestir crianças e bebês no inverno uruguaio.

Mostrei no Instagram as peças que usamos com a nossa filha e achei que valia a pena deixar algumas dicas (que servem para adultos também) registradas aqui no blog.

O inverno no Uruguai é moderado, as temperaturas oscilam entre 6°C e 16°C, números que seriam mais fáceis de lidar se não houvesse o fator vento mucho loco dando pinta nas cidades, principalmente nas que beiram o rio ou o mar.

Os meses mais frios costumam ser julho e agosto, a notícia boa é que usando as roupas adequadas, dá para enfrentar o frio e o vento típico da estação sem passar perrengue.

O que funciona é vestir-se em camadas e não exagerar empacotando os pequenos, tenha em mente que bebês com 34567 camadas de roupa tendem a transpirar e o corpinho úmido com o vento frio é uma combinação desastrosa.

O ideal para dias de baixa temperatura seria vestir-se em 3 camadas: a primeira mais justa ao corpo, a segunda que usamos habitualmente e a terceira complementar que seria o casaco e acessórios, como cachecol ou gorro.

Não é regra usar as 3 camadas na parte inferior e superior do corpo, depende da percepção de frio de cada pessoa.

Eu, por exemplo, nesse tipo de inverno moderado não consigo usar meia calça ou legging por baixo da calça jeans, me incomoda mais do que ajuda e aí você só vai saber vivendo, ou seja, na dúvida traga tudo bonitinho na mala hehe.

Como vestir criança no inverno no Uruguai
Gabi brincando no frio <3

3 pratos clássicos de inverno

Começando nossa série de inverno falando sobre costumes e comida: 3 pratos típicos da gastronomia uruguaia que casam perfeitamente com os dias mais frios.

Eu quando cheguei no Uruguai para morar - lá no ano de 2011 - achei muito estranho descobrir que popularmente havia uma seleção de comidas que eles só faziam no inverno.

Na cabeça da maioria dos uruguaios não faz o menor sentido comer ensopados ou qualquer outro prato de caldo quente quando o tempo não está frio. 

Era muito curiosa a reação das pessoas quando me viam comendo feijão fora da estação (na marmita que levava e abria na cozinha coletiva do trabalho, por exemplo), aquela coisa de confirmar clichês: 'vocês comem feijão o ano inteiro MESMO'.

Sim, pra gente uma feijoada cai bem sempre. Faça chuva ou faça sol. E é bonito ver como comida é cultura, aqui em casa as diferenças ficaram muito presentes depois que a nossa filha nasceu. 

Papinha de feijão para guri antes do primeiro ano de vida: como assim, não faz mal? Abacate amassadinho com banana: mas cê tá louca colocando banana no guacamole? Não foram poucas as vezes que precisei dizer que o danado era fruta e para chocar geral complementava informando que comemos inclusive batido com leite e açúcar.  Caras de nojo infinitas hehe.

Aprendi a achar razoável encontrar alguns dos meus pratos preferidos apenas em determinados meses do ano e até concordo que tem lógica deixar essas comidas contundentes para os dias frios: aquece a alma e dá uma levantada no corpo, apesar de continuar seguindo o coração cozinhando tudo o ano inteiro hehe. 

Se a sua viagem vai acontecer entre os meses de maio e agosto, considere-se sortudo! Você terá a oportunidade de provar essas comidas de estação em muitos restaurantes. 

No post de hoje trago três opções ricas em sabor e história. O Uruguai tradicionalmente é um país de imigrantes, muitos dos pratos típicos são adaptações de outras culturas utilizando ingredientes locais, misturando referências.

Um erro comum é achar que a culinária típica se limita ao churrasco. Muita gente viaja e volta - muitas vezes até vive aqui - repetindo esse mito. A comida caseira uruguaia é rica, variada e gostosa.

Os temperos são diferentes, sim. Mais suaves, o uso do sal é bem menor, mas existem boas possibilidades além das carnes na parrilla e essa época é uma boa oportunidade para conhecer um outro lado da gastronomia local.

Agora vamos com aos 3 pratos selecionados: 

Guiso de Lentejas: 

Meu preferido de sempre. Um ensopado de lentilha com linguiça muito saboroso (dá para fazer uma versão vegana que fica igualmente deliciosa). Confort food total. Bem fácil de fazer em casa, a Lu já ensinou a receita clássica nesse post

Dica inverno no Uruguai
Foto @_alvin_ph