Estudar no Uruguai: Universidades - Parte 3

Como combinado, nesse post irei contar um pouco sobre as universidades privadas no Uruguay, há um número razoável de opções se levarmos em conta o fácil acesso ao ensino público e o tamanho do país.


O ensino privado é caro em Montevideo, quando mudei estava decidida a fazer uma pós-graduação e desanimei um pouco quando vi que custava o dobro do que pagaria no Brasil.

Ainda assim deixei esse detalhe do preço de lado e fui em busca de mais informações, fiz entrevista na ORT e Católica para as especializações em Recursos Humanos, e na UM para o mestrado em Comercio Internacional e Integración.

Na ORT a coordenadora ficou surpresa quando viu minha cara jovem, aparentemente no Uruguay as pessoas terminam a faculdade um pouco mais tarde e com mais experiência profissional, e ela foi muito enfática apresentando as dificuldades do curso, talvez esperando que eu saísse correndo assustada. Não é comum ver um recém-formado numa sala de pós-graduação.

Na Católica minha pouca idade não pareceu ser um problema. Já na UM sai encantada com a estrutura do curso e a atenção que recebi (desde as trocas de e-mails já tinha uma imagem bastante positiva), me convidaram para assistir aulas e encontrei uma brasileira que estava concluindo o mestrado, foi ótimo para esclarecer várias dúvidas.

Mas vocês perceberam que Comércio Internacional e Recursos Humanos não tem muita conexão, né? Eu estava mesmo era em dúvida sobre qual área seguir estudando rs.

Achava também que deveria melhorar o domínio do idioma antes de ir defender uma tese e precisava adquirir mais conhecimentos sobre a nova área de interesse (no caso Recursos Humanos), então a opção de estudos que se encaixou melhor para atender essas necessidades iniciais foi o curso técnico.

Fiz a inscrição no curso de recursos humanos da Ude (não foi necessário revalidar nenhum documento, me matriculei com a identidade brasileira mesmo). 

Há muito curso técnico interessante disponível nas universidades. O custo, de novo, não é baixo. Paguei por um curso técnico o que na época (3 anos atrás) pagaria por uma especialização lá em Salvador: sete mil e quinhentos reais.

Muitos institutos oferecem cursos similares a preços acessíveis, mas sinceramente não sei se o mercado leva a sério esses títulos. Preferi investir num curso técnico que tivesse o respaldo de uma universidade.

Das faculdades privadas, talvez a Ude seja a menos conhecida em Montevideo, porém é uma das que mais participam de convênios e projetos de bolsas internacionais. 

Eu gostei bastante do curso, para uma pessoa que não tinha estudos na área (salvo nas matérias de Direito Trabalhista e Seguridade Social, claro), o curso foi abrangente, a qualidade dos professores no geral foi satisfatória, a turma era composta por pessoas com diferentes perfis (jovens e profissionais que passavam por uma reciclagem, o que enriquecia o conteúdo das aulas) e ao final me senti preparada para investir numa especialização e atuar no mercado, mas aí conta também meu interesse fora da sala, comprei livros, li artigos, fui a palestras, etc.

O ponto negativo mesmo era a organização administrativa, digo sem dó que era uma zona! Nos 12 meses de contrato com a Ude, tive problemas com mensalidades pagas sendo cobradas indevidamente, segunda chamada de prova marcada que não pude fazer porque não constava meu nome na lista, cadastro no banco para pagamento errado, etc. E solucionar esses pepinos era sempre tenso, cansei e não estudaria lá novamente. 

Terminei o curso, mas não consegui nenhum trabalho na área, pensava que o curso técnico somado a minha graduação iria abrir muitas portas, infelizmente não foi a realidade, coisas do Uruguay rs. 

No geral a qualidade de ensino no paisito é muito boa, recomendo o investimento e a experiência.

Em todas as faculdades que busquei informações para especialização e mestrado, era permitido iniciar o curso sem apresentar o diploma brasileiro reconhecido, mas antes de concluir e defender a tese é essencial apresentar toda a documentação requerida, claro. 

Abraço! ;)
16

Estudar no Uruguai: Universidades - Parte 2 (Medicina no Uruguai)

Dando continuidade ao tema "universidades no Uruguai", apresento outra pergunta que figura bastante nos comentários: como é o ingresso à universidade pública?

O sistema de ensino no Uruguai é um pouco diferente do que conhecemos no Brasil. 

Aqui o ensino médio tem certas particularidades que permitem ao aluno optar pela área de ensino que deseja seguir, por exemplo. E são poucos cursos universitários que têm o acesso mediante prova de conhecimentos.

estudar uruguai medicina

Os uruguaios antes de começarem a faculdade fazem o bachillerato (2º Ciclo), no segundo ano de estudos o aluno escolhe uma orientação dentre as seguintes áreas: Ciências Sociais e Humanidades, Biológica, Científica ou Arte e Expressão.

No último ano terá que escolher novamente entre as opções relacionadas à orientação feita anteriormente, por exemplo, se uma pessoa no segundo ano optou pela área Biológica, no ano seguinte terá que optar entre Ciências Biológicas ou Ciências Agrárias.

Terminado o bachillerato é só apresentar-se no período de inscrições e matricular-se na faculdade, até hoje fico com uma cara boba - acho sensacional a ideia de todo mundo poder estudar - quando penso na simplicidade do ato.

Há alguns cursos que tem número de vagas limitadas e é necessário realizar uma prova nos moldes do nosso vestibular. Como exemplo, medicina e Direito não precisa fazer a prova,  se inscrever.

Ok, mas e como funciona para os estrangeiros

Como minha intenção sempre foi revalidar o diploma e não encarar uma nova carreira universitária, não tinha muita noção do que era necessário até conversar com a Mariana, uma gaúcha que cursa medicina na Udelar e foi super querida me explicando o processo que fez para estudar no Uruguai.

A Mariana concluiu o ensino médio no Brasil e precisou apresentar o histórico escolar para revalida no CES (Consejo de Educación Secundaria), logo depois precisou fazer o cursillo, que vem a ser um curso sobre sociologia, historia e geografia uruguaia. As aulas aconteceram na modalidade virtual.

Esse cursillo pode ser feito apenas quatro vezes ao ano, em 2013 iniciaram esses cursos nos meses de abril, junho e agosto, o último está previsto para outubro.

Na época que a Mariana estudou, a avaliação era feita da seguinte forma: as professoras encaminhavam perguntas e ela tinha que enviar as respostas num documento de Word cumprindo determinado prazo, como um trabalho escolar de pesquisa. 

Após aprovar esse cursillo, a CES entrega a revalida para inscrição na universidade.

Estudando há 3 anos na universidade pública uruguaia, quis saber o que ela achava da estrutura do curso e ela contou que o inicio foi complicado, como não há um limite de vagas, milhares de pessoas se inscrevem todos os anos, então é comum as turmas terem 300 alunos, ela chegava 1 hora antes do inicio da aulas para conseguir lugar na sala. 

No semestre seguinte o número de alunos é consideravelmente menor, muita gente desiste ou perde matérias que impossibilitam seguir o curso até aprová-las, esse é um dos maiores problemas dos estudantes para concluir os estudos num tempo razoável.

A Mariana contou como funciona em Medicina: "por exemplo, se você perde o primeiro semestre, não pode fazer o segundo ; se você perde uma matéria do segundo semestre, não pode entrar no terceiro, tem que esperar até agosto para poder fazer de novo o segundo semestre. Depois, nos seguintes semestres não, se você perde, pode seguir adiante".

Perguntei também se ela sentia alguma diferença ou preconceito, e como brasileira da fronteira com o Uruguai, ela já dominava o espanhol como língua nativa, então muitas vezes as pessoas não a identificam como estrangeira, mas pelo que ela observa, no geral não há diferença de tratamento por parte dos professores, funcionários ou estudantes.

No site da CES vocês podem consultar informações mais detalhadas acerca dos trâmites.

As faculdades também costumam responder os e-mails de consultas, claro que devem ser redigidos em espanhol. 

Aliás, minha dica para quem pretende fazer graduação no paisito é investir no espanhol desde já, esqueçam esse mito que espanhol é fácil ou que 1 mês na cidade será suficiente para alcançar a fluência desejada. 


Na internet podemos encontrar vários cursos de espanhol grátis ou a preços acessíveis, vale a pena procurar (vou tentar colocar uns links de cursos aqui no blog, se alguém souber e quiser compartilhar nos comentários, será de grande ajuda).

Aproveito para agradecer a gentil colaboração da Mariana e desejar muita sorte aos futuros estudantes.

Abraço! 


P.S.: tenho recebido muitos e-mails solicitando o contato pessoal da Mariana e a verdade é que não posso comprometer outra pessoa a ter um trabalho que não assumiu. Uma coisa sou eu, blogueira, receber X consultas, faz parte do compromisso que assumi quando me propus a escrever publicamente, outra coisa é uma pessoa que tem sua rotina e atividades ter que parar para responder diariamente dúvidas de terceiros.

As informações que ela poderia ajudar já foram postas no texto, leiam com atenção (a maioria das pessoas seguem perguntando coisas que já foram esclarecidas, por exemplo) e persistindo as dúvidas, entrem em contato diretamente com as instituições responsáveis.

Esse post não visa detalhar todas as informações, e sim indicar um caminho, como sempre digo, a melhor fonte de informação é a instituição. 

Eu tentei ajudar e indiquei links para pesquisas e acho tão deselegante as pessoas apontarem o dedo julgando ou reclamando grosseiramente mais informações como se estivessem pagando por um serviço, faz favor, né?! 

Se você quer saber os requisitos de ingresso , período de residência que tem que comprovar no país, se é possível transferir curso do país X para o Uruguai, etc, é com a universidade que deve tratar, é no site deles que encontrará as normativas vigentes. 

Grata pela compreensão! :)

53

Estudar no Uruguai: Universidades - Parte 1 (Revalidar diploma)

Para falar das universidades, tenho que começar contando sobre como revalidar o diploma brasileiro no Uruguay, é uma dúvida que aparece quase diariamente aqui no blog e já venho enrolando esse post há mais de 1 ano, gente!

A melhor dica é ler a resolução da Universidad de la Republica a respeito das revalidas e reconhecimentos de títulos estrangeiros (segue o link).

Sim, o texto é grande, mas contém informações valiosas e necessárias para quem de fato deseja passar por esse processo.

Se após a leitura ainda restarem dúvidas, recomendo que entrem em contato diretamente com a secretaria - aqui chamada de bedelía - do curso correspondente. 

Esse processo de revalida demora meses e cada caso é um caso a ser avaliado. 

O plano de estudo da faculdade Y é diferente da faculdade X, que por sua vez pode ser diferente ao da Udelar. 

Dependendo do curso, pode ser necessário cursar algumas matérias para adequar-se ao programa da instituição que irá reconhecer o diploma.

Minha situação é complicada porque estudei Direito no Brasil, a quantidade de matérias que deveria cursar novamente me levaria de volta às salas de aula por tempo suficiente para me fazer desistir de todo esse processo.

Além de todos os trâmites, é preciso que toda a documentação esteja traduzida por um tradutor juramentado, e isso não é barato.

Agora, resumindo o caminho: você vai precisar do diploma e histórico escolar/plano de estudos da sua faculdade com as assinaturas reconhecidas em cartório - geralmente é a assinatura do reitor e coordenador, depois terá que legalizar esses documentos no consulado uruguaio da sua cidade (vão colocar um selo em cada documento e cobrarão por isso, claro). 

Logo, terá que encaminhar toda a papelada para um tradutor juramentado (que também cobrará por cada folha traduzida).
Depois você irá ao Ministério de Relações Exteriores em Montevideo para registrar - e pagar - esse documento traduzido. 
O passo seguinte já será com a universidade, você faz o requerimento para revalida do título e espera eles analisarem.  Se o que você estudou corresponde a pelo menos 70% do plano de estudos deles, voilà!  

Não sou experta no assunto, apenas coletei informações durante o tempo que vivi no país, e não cheguei a passar pela experiência de concluir esses tramites, então esse post é só para dar uma noção do que é necessário fazer e indicar a fonte mais confiável para esclarecimentos: a universidade pública.

Outra dúvida constante é se é possível trabalhar na área sem passar por todo esse protocolo, em regra "Los estudios cursados sin reválidas no permitirán obtener título o certificado universitario ni habilitación para el ejercicio profesional en el territorio de la República".

No meu caso seria impossível advogar aqui sem essa condição, na área de saúde vejo como pouco provável também - alguém imagina um médico ou dentista atendendo em hospital ou clinica sem o devido registro profissional? 

Acredito que em outras áreas como IT, artes ou administração seja possível trabalhar sem apresentar o diploma revalidado dado a própria dinâmica do mercado, muitas vezes vale mais o que o candidato sabe fazer e pode agregar à empresa do que o título em si para o exercício da profissão. 

Nesse sentido, vemos casos de gerentes que não necessariamente são pessoas com formação universitária, por exemplo. 

Outras profissões ligadas à educação, requerem um domínio perfeito do idioma por razões lógicas, né? Eu não consigo pensar meus professores cometendo erros grosseiros de português, também não conseguiria imaginar meus filhos (se tivesse rs) na escola tendo aulas com uma pessoa que fala mais ou menos ou consegue entender quase tudo do idioma.

Demorei tanto a publicar esse texto, que acabou ficando enorme, aí dividi em 3 partes: esse primeiro da revalida, outro sobre ingresso à universidade para quem concluiu o ensino médio no Brasil e o último sobre minha experiência como estudante numa universidade privada em Montevideo.

Abraço! ;) 

Update: desde que o post foi escrito saíram algumas resoluções do Mercosul estabelecendo a revalida direta de determinadas profissões. É lindo, é digno, é maravilhoso, MAS essas coisas demoram e é tudo muito novo ainda. 
Não tenho como acompanhar o movimento de cada profissão, mas as que ainda não foram agraciadas o processo é esse citado no post. 
16

Como ir a Buenos Aires partindo do Uruguai

Muita gente que planeja uma viagem ao Uruguay, pensa em esticar o passeio na vizinha Argentina.

Frequentemente aparecem perguntas aqui no blog sobre a melhor forma de chegar a Buenos Aires costumo dizer que isso depende de quanto tempo e dinheiro cada um pretende gastar.

Independente da forma escolhida, é uma viagem bastante comum, rápida e com um precinho bem acessível para quem já está em terras uruguaias. 

Quem optar cruzar o Rio de la Plata de barco, encontrará uma boa quantidade de empresas vendendo esse serviço, a mais conhecida entre os turistas é a  Buquebus.

Os barcos saem dos portos de Montevideo, Colonia del Sacramento e Carmelo, então se você não estiver nesses lugares, a viagem começará com um ônibus até essas cidades e depois seguirá em barco. 

As empresas já oferecem o pacote bus + barco, o que facilita muito a vida de quem está viajando, pois em regra os horários dos ônibus são coordenados com os barcos, aí é só descer de um transporte e subir em outro, tudo combinadinho para o passageiro não perder muito tempo esperando.

A Seacat, Colonia Express e Cacciola disponibilizam embarcações menores que partem de Colonia del Sacramento ou Carmelo. 
Já a Buquebus opera em Montevideo e Colonia del Sacramento e oferece embarcações maiores, um pouco mais confortáveis.

Montevideu Colonia Buenos Aires Barco

Montevideu Colonia Buenos Aires
Essa vista linda do Rio de la Plata faz parte da travessia...

Há ainda a possibilidade de fazer a viagem toda em barco, que seria direto do porto de Montevideo ao porto de Buenos Aires, geralmente é a opção mais cara.

Encontramos também pacotes de viagens (hospedagem, transporte e passeios) com preços bem interessantes nessas empresas, a chave para conseguir aquele preço camarada é comprar com antecedência.

Colonia Buenos Aires Pacotes
Algumas ofertas da Colonia Express.

Os barcos têm free shop, não dá para esperar muita variedade nem grandes promoções, mas dá para comprar um creminho, perfume ou bebida rs.

Para quem enjoa, a melhor opção é o barco grande e mais lento da Buquebus, pois sentimos menos o balanço do rio, que em dias de chuva ou vento forte dá para pensar que estamos navegando em alto mar! #exagerada

Resumindo as 5 opções de viagem de barco pelo tempo:

  • Montevideo - Colonia -  Buenos Aires em 6 horas
O ônibus parte da rodoviária Tres Cruces e em aproximadamente 2 horas e meia chega a Colonia. Daí são mais 3h no barco grande e lento da Buquebus - que faz a travessia de carros também - até Buenos Aires (terminal de Puerto Madero). 

  • Montevideo - Colonia -  Buenos Aires em 4 horas
Mesmo esquema do trajeto anterior, a diferença aqui é que o barco menor faz a travessia  apenas de passageiros e em apenas 1h. 
A Seacat (leva ao terminal de Puerto Madero) e Colonia Express (leva ao terminal de La Boca) fazem esse trajeto.

  • Montevideo - Buenos Aires em 3 horas
É a viagem desde o porto da Ciudad Vieja em Montevideo ao terminal de Puerto Madero em Buenos Aires. A Buquebus oferece essa opção.

  • Montevideo - Buenos Aires em 2 horas
Há um barco novo que faz o trajeto de Montevideo a Buenos aires em apenas 2 horas. É o buque Francisco. A passagem é carinha, custa praticamente o mesmo que o ticket aéreo.

Ainda assim acho que vale mais a pena ir nesse barco do que ir de avião, simplesmente por cortar o tempo de ida ao aeroporto e já desembarcar no centro da cidade portenha. Esse serviço também é oferecido pela Buquebus.

  • Montevideo - Carmelo - Tigre - Buenos Aires
É a alternativa mais barata para chegar ao país hermano. É também o caminho mais demorado, a espera entre um transporte e outro é maior e a viagem acaba levando umas 8 horas! 
Começa com um ônibus de Montevideo a Carmelo, depois um barco até Tigre e finalmente outro ônibus até o centro da capital portenha.


Agora que detalhei tudo, deixo minha opinião: prefiro o serviço da Seacat. Acho mais comodo chegar em Puerto Madero e os horários das viagens deles me agradam mais. 

Quem quiser e puder gastar, há várias companhias aéreas que encurtam a viagem a 40 minutos (no final acaba demorando um pouquinho mais porque há o deslocamento ao aeroporto, antecedência para fazer o check in, etc). 

A própria Buquebus tem uma companhia - BQB Lineas Aereas - que promete vender esse trajeto com os melhores preços, vale a pena pesquisar.

Para conferir as opções de ônibus, no site da rodoviária de Montevideo é possível consultar todos os horários, empresas e tarifas. A viagem é feita em 8h e a passagem - apenas ida - custa 80 reais.

O post ficou gigante, mas espero que esclareça algumas dúvidas rs.

Aproveitando, no blog do Gus - um brasileiro que viveu 2 anos em Buenos Aires - vocês podem encontrar ótimas dicas da cidade! ;)

Abraço!

72

Curiosidades do cotidiano 3...

Faz tempo que não escrevia sobre as pequenas diferenças do cotidiano, me divirto observando e compartilhando esses detalhes que costumam chamar minha atenção. 

Mas acho que já ando perdendo aquele olhar aguçado do novo e deve ser o processo natural de adaptação, né?

Vamos lá para mais uma listinha de 3 curiosidades:

1- Comemoração dos recém-formados

Cada vez que um amigo termina a faculdade me assusto com as fotos que aparecem no facebook: todo mundo posando feliz e orgulhoso com muita sujeira no corpo rs! 

Lembro quando eu era criança e as pessoas costumavam dar ovada no aniversariante, nem sei se ainda existe isso no Brasil. 

Aqui quando alguém se forma, a comemoração é pior do que a tal da ovada, qualquer coisa pode ser jogada no formando: ovo, molho de tomate, farinha, azeite, café, tinta, etc.

É como um ritual de transição que a maioria gosta de participar, eu acho bem estranho rs.

Quando digo que no Brasil não há essa tradição ao final do curso, as pessoas ficam surpresas. 

Aí comento que festejamos o ingresso à universidade raspando a cabeça dos rapazes e nas primeiras semanas do curso havia o trote com os calouros e as pessoas ficam bem confusas com essa informação (no meu tempo meus amigos ficavam carequinhas e tinha trote... é, estou ficando velha, entrei na faculdade há 10 anos atrás).

Sempre me perguntam qual a graça de comemorar que entrou na faculdade, qual a grande conquista do ato e tenho que explicar que o ensino superior no Brasil não é lá tão universal e essa conversa provoca boas reflexões a respeito dos dois países, mas isso já é outra história rs.

Em Montevideo toda essa sujeirinha acontece nas ruas, na porta das faculdades ou lá no Mercado do Porto que é uma área bem turística, então não estranhe se estiver curtindo uma boa parrillada e avistar pessoas com comida no corpo, é um novo profissional celebrando uma vitória! ;)

Nesse vídeo vocês conseguem ter uma ideia de como é esse momento:



2- Dia de chuva

Um dia de chuva no Uruguay quer dizer dia de comer torta frita, seria como nosso bolinho de chuva.

Sempre que chove, escuto alguém falando "que lindo dia para comer torta frita". 

Não sei quem inventa essas coisas, mas elas pegam nas pessoas rs! 

E claro, já comi a bendita em dia de chuva também... e não é que agora faço coro aos que afirmam que a chuva dá um gostinho especial?

                                      Fila na barraquinha de torta frita num dia frio rs!


3- Do interior

Tenho muitos amigos que nasceram e cresceram no interior do país, geralmente eles vêm a Montevideo fazer faculdade e vejo que a maioria carrega um orgulho enorme da sua terra de origem.

As vezes sinto até que fazem questão de diferenciar-se dos montevideanos, seja com um vocabulário de gírias próprias ou sotaque do interior que permanece mesmo após viver anos e anos na capital. 

Eu como estrangeira quase nunca percebia essas diferenças, aos meus ouvidos todo mundo falava igual, mas hoje em dia já consigo notar alguns detalhes e de tanto andar com o pessoal do interior, acabo incorporando certas expressões e eles se divertem me escutando falar como caipira.


Abraço! ;)

6

Destino: Villa Serrana

Um destino especial cercado de verde e paz, considero um 'achado' aqui no paisito e uma dica boa para curtir esse friozinho do inverno! ;)

Villa Serrana Uruguay




A Villa Serrana fica no departamento de Lavalleja, são aproximadamente 2 horas de viagem desde a capital Montevidéu.

O vilarejo surgiu da ideia de um grupo de investidores que na década de 40 enxergou o potencial dessa região cheia de campos, rios, paisagens exuberantes e encomendou um projeto de uma vila recreativa ao estilo europeu.

Ainda hoje Villa Serrana mantém esse estilo e é sinônimo de natureza e calmaria, faz parte de uma rota de turismo místico aqui no Uruguai. 

Eu acho uma delícia fugir da correria da cidade grande e ir descansar num lugar assim, mas devo dizer que conheci pessoas que voltaram pouco entusiasmadas pela suposta falta do que fazer e problemas com o sinal do wifi, detalhes dos tempos modernos, né?

Se você também consegue ver a beleza nessa vida mais devagar e natural, recomendo uma escapadinha lá na Villa Serrana.

E quando digo que a dica é boa agora no inverno é porque as cabaninhas de madeira disponíveis para aluguel, ficam ainda mais interessantes com a possibilidade de usar a lareira... quer coisa mais charmosa e romântica que uma lareira quentinha no meio da sala? Se tiver uma garrafa de vinho é quase uma lua de mel rs!

Vocês podem pesquisar cabanas para alugar e outros tipos de hospedagem no Portal da Villa Serrana.


Villa Serrana Uruguay


Como opções de lazer há cavalgadas, passeios aos vales, visita ao observatório astronômico e trekkings.

Pertinho da Villa Serrana está o Parque Salto del Penitente - são apenas 25 km de distância - que oferece muito turismo de aventura.

Dá para fazer rappel, escaladas e tirolesa, atividades ideais para os mais destemidos.


                                       Fotos do site www.saltodelpenitente.com

O parque tem mirantes, rios, restaurante, então até para os menos aventureiros a visita pode valer a pena.

E vocês topam fazer uns passeios mais radicais ou ficam com a tranquilidade das paisagens mesmo? ;)

Abraço!


6

Estudar Espanhol em Montevidéu (Intercambio no Uruguai)

Sempre quis fazer intercambio, lembro que na escola a maioria das minhas colegas sonhavam com uma viagem à Disney, enquanto eu ficava imaginando como seria legal morar no tal dos EUA - que era o destino mais comum na minha adolescência, ver um monte de coisa diferente, escutar todo dia o idioma que minhas boy bands preferidas cantavam. 

Mas na época da escola não rolou - nem Disney nem intercambio rs - e só quando terminei a faculdade que consegui fazer minha primeira viagem com estudos: preparei a mochila, fechei um curso de espanhol e fui sozinha passar 2 meses na Argentina.  

Essa viagem marcou tanto minha vida que basta dizer que foi por causa dela que tudo que planejava para o meu futuro virou de ponta cabeça e um ano depois lá estava eu morando no Uruguay (foi durante esse intercambio que num final de semana resolvi dar uma voltinha em Montevideo e acabei conhecendo um certo uruguaio, coisas do destino rs).

Acho mesmo que todo mundo deveria fazer algo assim em algum momento da vida, é uma experiência única.

E não, não digo isso pela love story que vivi. Costumo dizer que o aprendizado vai além do 'aprender um novo idioma' que a principio é o motivo de uma viagem de intercâmbio. 

Sair da nossa zona de conforto implica aprender a dividir - nem que seja o espaço ou a comida rs - e a ser mais tolerante com as diferenças. 

Claro que tem gente que viaja e não abre a cabeça, não se joga na aventura de descobrir uma cultura nova, o que é um desperdício, mas ainda acho que a maioria amadurece bastante.

Pois, fiz uma introdução enorme - não resisti, esse tema mexe comigo rs! - para dizer que fico muito feliz quando vejo pessoas interessadas em viver essa experiência no paisito querido, tenho recebido e-mails/mensagens/comentários com perguntas sobre intercâmbio em Montevideo.


Estudar Espanhol Montevideo

Como a informação está solta nos comentários, vou deixar aqui algumas opções de escolas de espanhol na cidade:








Outra opção é fazer esses cursos nas universidades. A UM e ORT por exemplo, tem cursos de espanhol disponíveis. A desvantagem é que nesses casos as turmas têm data fixa de inicio, enquanto nas escolas de idiomas a cada segunda-feira é possível começar um curso novo.

A UCAM também oferece cursos especiais de espanhol em Montevidéu, conheça mais sobre as propostas nesse post.

Vocês também podem pesquisar aulas particulares no classificados (clica onde tem 'Idiomas'), o custo geralmente é mais acessível que uma escola de línguas, só tenham precaução quando marcarem as aulas.

Estive buscando professores de francês no classificados, todos davam aulas na própria residência, coincidência ou não, das 3 pessoas que entrei em contato, as 3 eram senhoras aposentadas que complementavam a renda dando aulas em casa, o que me deixou um pouco mais tranquila com a ideia de ir a uma casa estranha

Ainda assim acho importante conhecer o lugar antes, de preferência ir acompanhado, e esclarecer todas as dúvidas. 

Vi que algumas das escolas que citei oferecem a homestay, que é a hospedagem na casa de famílias uruguaias que estão cadastradas em algum programa de intercâmbio, em regra o custo não é baixo. 

A opção mais econômica costuma ser hostel ou república estudantil. Alugar apartamento por temporada também não é barato em Montevideo, mas muita gente - em especial os estudantes - divide apartamento e dá para encontrar anúncios de vagas nos murais das faculdades ou pesquisando no Google mesmo.

O visto de turista permite ficar por 3 meses em território uruguaio, esse prazo pode ser estendido (mas paga-se uma taxa). Se a ideia não é trabalhar e o curso tem duração inferior a 3 meses, não vejo necessidade de solicitar outro visto ou residência. 

Caso a ideia seja ficar mais tempo, estudar e buscar um trabalho, já é aquele papo de posts passados do Viver no Uruguay e aí cabe uma visita a Dirección de Migración para avaliar qual visto funciona melhor com seus objetivos.

P.S.: nunca estudei em nenhuma dessas escolas, logo não tenho como recomendar nenhuma em especial. 
Meu namorado estudou português na Casa do Brasil e ficou satisfeito com a organização/aulas, arriscaria dizer que essa escola é a mais conhecida para ensino do português, o que quer dizer que estudando lá - o curso de espanhol para estrangeiros, claro - vocês terão a chance de conhecer muita gente da terra disposta a conversar. 

É comum os estudantes trocarem ajuda, aquela coisa do te ajudo com o português e você me ajuda com o espanhol, vale a pena tentar.

 Boas aulas, boas descobertas! ;)

28