Supermercado no Uruguai: Custo

O último texto dessa categoria 'Vida no Uruguai' que publiquei no blog já tem mais de 2 anos, eu evito mesmo escrever sobre esses temas porque acho o retorno complicado.

Primeiro, é tudo muito relativo e pessoal, não é tão simples fazer um balanço crítico, honesto e fundamentado dessa experiência tão complexa que é viver em outro país. 

Segundo porque não tenho novidades para acrescentar no que já foi dito, minha percepção continua igual, os links para fazer as pesquisas básicas também ainda são os mesmos. 

E, apesar da boa intenção, no final sempre termina em treta hehe.

É aquele tipo de post que puxa um monte de gente nova que está buscando info, mas na real não quer ler nem avaliar nada hehe. O objetivo é sair do Brasil e qualquer palavra que não corroborar com o sonho dourado de mudança vai ser motivo de ataque.

E eu não estou aqui para convencer nem deixar de convencer ninguém a nada, juro.

Estou apenas trazendo ferramentas de pesquisa para quem tiver interesse de pesquisar. 

Mas, você pode estar pensando:

- Fia, se você não tem nada diferente para falar qual a graça desse post?

A graça é que eu fiz o trabalho que todo mundo deveria fazer e coloquei aqui mastigadinho o resultado para poupar seu tempo! Ó que pessoa querida, gente hehe! <3

Comparei o preço de produtos aleatórios - arroz, feijão, macarrão, cebola, banana, pasta de dente, etc - em quatro redes de supermercados da capital: Géant, Tienda InglesaDevoto e Ta-Ta.

Mercado no Uruguai

Coloquei os valores numa planilha e usei um mercado brasileiro como referência (levando em conta produtos iguais ou similares). 

Não são os lugares mais baratos nem do Brasil nem do Uruguai.

Todo mundo sabe que comprar na feira ou em atacadões é mais econômico. Mas o título do post é supermercado. Supermercado, tá?

Não adianta chegar na brabeza nos comentários falando que o kilo do tomate custa x na feirinha da rua tal. 

A ideia hoje é trazer exemplos de valores em supermercados em Montevidéu. Ponto. Lugares que disponibilizam preços online para todo mundo que está longe consultar e ter uma base de valores dos produtos que mais consome (eu escolhi apenas 23 aleatoriamente). Uma base, ok?

Amo feiras, me sinto maravilhosa/total eco- friendly- cool- sustentável- apoiando os pequenos comerciantes, porém por mais que me programasse, infelizmente não era sempre que conseguia estar em plena terça-feira em horário comercial na feirinha do meu bairro.

E aí jogava para o fim de semana, olha lá o MAM aberto até às 22h, facinho. Ops, as vezes não rolava também e o supermercado era uma realidade frequente (então sim, esses valores super estavam presentes no meu cotidiano, era ok acabar o macarrão e passar no Devoto - o mercado mais próximo de casa - e pagar 6 reais num pacote de spaghetti de 500g da Adria).

Por fim, continuo batendo na tecla que o melhor caminho é dedicar tempo olhando os sites de serviços e produtos locais. 

Eu sei que a vida está corrida e ninguém tem tempo a perder, o ideal seria perguntar quanto vou gastar de mercado ou quanto vou pagar num apartamento bom em Montevidéu e ouvir um número, mas não é assim que funciona.

Não é dessa forma que você vai chegar a valores que correspondem ao que imagina, nesse exemplo do apê há um mundo de coisas que interferem no preço: bairro, tamanho, estado e comodidades do imóvel (um prédio com garagem, elevador, calefação, vista, mobiliado?).

E tem aquela história do que é adequado para fulano não ser necessariamente adequado para ciclano, só você vai poder definir o que é bom, o que atende as suas expectativas. 

Seja razoável também nos resultados, ver um anúncio de apartamento bacaninha por 18mil e outros tantos que apontam 25 mil quer dizer que a média de valor é pra cima e não pra baixo. 

Não conte com a exceção, não espere chegar e achar algo por menos, você pode até conseguir, mas é arriscado. A ideia da pesquisa é justamente minimizar os riscos e frustrações, tornando a experiência mais leve e fácil.

Mas, vamos voltar aos supermercados. Escolhi itens básicos de alimentação, duas frutas para exemplificar, algumas verduras e antes que alguém venha reclamar do feijão na lista falando que é caro porque não é típico e blábláblá tem que se adaptar, estou levando em conta uma alimentação balanceada que inclui leguminosas.

Substitua o feijão por lentilha ou grão de bico se preferir (oi, Bela Gil hehe). O preço não é lá muito diferente: o pacote de meio kilo do primeiro custa 59 e 66 pesos (marca Río de la Plata e La Abundancia, respectivamente) e do segundo 56 e 63 pesos.

Sem mais delongas, aqui vai a tabela (fiz com carinho e levou tempo, viu?):

Mercado no Uruguai
Mercado no Uruguai


Os espaços que estão em branco nos mercados uruguaios foi porque não encontrei a informação nos sites (mesma marca, peso ou tipo).

No Brasil busquei produtos equivalentes quando não encontrei a mesma marca do mercado uruguaio, exemplo: o feijão e arroz.

E deixei em branco as carnes porque não entendo nada de carnes, desculpa! Compro carne moída pelo percentual de gordura e não pelo corte, não sei qual seria o equivalente no Brasil e o peito de frango só vi congelado, a referência no Uruguai é fresco, então não consegui chegar num valor real para comparar. 

Para encontrar o preço em reais tomei como base o cambio a 7,50 (arredondando a média da cotação de hoje). Na planilha uma coluna tem o custo dos produtos no Carrefour em reais e outra coluna apresenta esse valor convertido a pesos uruguaios.

Para quem estava curioso e sem saber por onde começar a pesquisar, espero que esse texto ajude.

Quem quiser pode pesquisar também no Macro Mercado, Disco e Bocata que são outros mercados de Montevidéu.

E quem quiser descobrir a feirinha de rua mais próxima - recomendo fortemente se habituar a consumir nas feiras - é só pesquisar aqui. Está dividido por regiões, o município B, por exemplo, inclui os bairros Centro, Cordón, Ciudad Vieja, Trés Cruces, Parque Rodó.

Abraço e bom planejamento! :)


**

Nosso blog é um projeto independente, todo o conteúdo é preparado com muito carinho e honestidade. As experiências aqui compartilhadas são bancadas majoritariamente do nosso bolso.
Participamos do programa de afiliados do Booking.com, isso quer dizer que reservando a hospedagem através desse link - para qualquer hotel no mundo - você ajuda o blog a ganhar uma comissão sem pagar nada a mais na sua diária.
Se você gosta do nosso trabalho, dá uma forcinha! Do lado de cá, prometemos continuar trazendo as melhores e mais originais dicas do paisito para tornar sua viagem mais incrível! Gracias!  <3

12 comentários

  1. Excelente! Meu Marido recebeu uma proposta pra trabalhar no Uruguai e seu blog está me ajudando muito... precisamo de informações reais mesmo pra saber se vale a pena. Uma abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostei das comparações, pretendo viajar para o Uruguai final do ano e realmente as coisas são mais caras, vou levar algumas coisas básicas de casa para não depender tanto dos mercados de lá, parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! :)
      Eu acho uma boa ideia levar coisas que vai precisar, principalmente pasta de dente que custa quase um canal haha! Abraço e boa viagem!

      Excluir
  3. Impressão minha ou os mercadores uruguaios metem a faca nos produtos básicos?

    No mais, parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles metem a faca em todos os produtos, mesmo. Visitei Montevidéu em duas ocasiões distintas, e em ambas gastei mais de R$ 300 em supermercado para quatro/cinco dias - claro que fazendo compras de "turista", com produtos prontos (congelados, achocolatado estilo Toddynho, chocolates, salgadinhos, refrigerantes, etc). Não é a realidade do uruguaio, mas é caro do mesmo jeito. E o mesmo vale para comer fora, não importa se for no McDonald's ou no restaurante da esquina do hotel, um casal vai gastar no mínimo R$ 60 numa refeição decente.

      Excluir
    2. Muito obrigada, Hugo!

      Infelizmente, o custo de maioria das coisas é muito alto no Uruguai: mercado, aluguel, gasolina, etc.

      Excluir
    3. Eu acho isso muito louco, Christian! Comer qualquer coisa na rua, tipo um dogão de carrinho, é caro. Já comer bem, beeeem mesmo em restaurantes bacaninhas, ainda acho que tem mais opções acessíveis em Montevideo do que no Brasil, voltei da Bahia tem 1 semana e estou bem assustada com os preços dos lugares da modinha hehe...

      Abraço!

      Excluir