Roteiro no norte uruguaio: Salto

É bem verdade que os 500 km de distância da capital não facilitam a visita num primeiro contato com o país.

Mas é real também que Salto se apresenta como uma oportunidade incrível de conhecer o Uruguai raiz: aquele de campo, de gente simples e de rio.

O interior definitivamente tem outro sabor, outro movimento. 

Dicas de Salto no Uruguai

Salto fica lá no norte, não tem mar, mas não falta água. O rio Uruguai serpenteia a cidade e marca fronteiras, de um lado nosso paisito amado e do outro os hermanos argentinos.

Dessa união surgiu a represa de Salto Grande que carrega o título de primeira hidroelétrica binacional da América Latina e ainda hoje ilumina parte de ambos países.

E para ninguém duvidar do poder das águas salteñas, há fontes termais ricas e quentinhas que brotam em diferentes pontos do território e fazem a alegria dos moradores e visitantes. 

Uma terra de verões calorosos, de agricultura e pecuária. Foi onde plantaram as primeiras mudas da uva Tannat que deram origem à viticultura do país. Também vem de lá as laranjas mais gostosas que se tem notícia, de tanto laranjal eles ganharam o simpático apelido de naranjeros

O desenho de Salto é de interior com pracinha e igreja, embora seja a terceira cidade mais populosa do Uruguai com 100 mil habitantes e todos eles contam orgulhosos e com sorriso no rosto que são conterrâneos dos maiores craques da seleção de futebol da atualidade: Suárez e Cavani.

Roteiro em Salto no Uruguai
Cavani nas paredes de Salto

Salto tem sotaque diferente da capital, manso e com poucos 's pronunciados no final das palavras. É aconchego de casa de vó e morada de infância. Não minhas, mas da familinha que construí por aqui. 

É com esse afeto - mais um punhado de fotos bonitas - que espero te convencer a conhecer esse outro Uruguai menos pop e cheio de surpresas.

Um destino ideal para gente sem frescura e que procura experiências autênticas, um lugar para quem deseja desconectar e descansar. Uma opção redondinha para quem viaja com crianças. 

Abaixo um resumão que promete facilitar seus dias nesse pedaço do interior.

Como chegar:

Saindo de Montevidéu as empresas Nuñez, Chadre e Agencia Central fazem o trajeto. Nesse post contei tudo sobre viajar de ônibus no Uruguai: como pesquisar horários, preços, reservar, etc.

A passagem custa 993 pesos uruguaios cada trecho, mais ou menos 125 reais só a ida.

É longe e não é barato chegar em Salto (o custo com alimentação tende a ser mais acessível do que na capital ou Punta del Este, no final as contas se equilibram, não se assuste nem desista agora do norte hehe), então não é viável fazer um bate e volta, reserve pelo menos 2 dias no seu roteiro para aproveitar como o destino convida: com calma e leveza.

Tem ônibus saindo todo dia e em horários variados pela manhã, tarde e noite, na escolha eu ficaria atenta em relação à quilometragem e tempo de viagem, ou seja, só compraria linhas que fizessem 500km em até 6h de duração.

O que fazer:

A melhor parte! As piscinas termais são as estrelas do turismo em Salto, é dentro da água quentinha e com propriedades curativas que você passará a maior parte do tempo.

São vários complexos termais com piscinas, vestuários e muita área verde para relaxar entre um mergulho e outro, uma hidromassagem aqui e acolá.

Turismo termal no Uruguai

Os principais centros termais da região são as Termas del Arapey e Termas del Daymán.

As termas de Arapey oferecem uma estrutura - pelo menos de hospedagem - mais moderna e ficam a 80km de Salto. Por conta do acesso mais restrito, geralmente o público é composto por turistas, há um toquezinho de exclusividade ou menos vuco vuco, como queiram definir.

As atividades se concentram mais nas propostas dos hotéis ao redor do complexo: passeio de barco, pesca, cavalgada, andar de bicicleta pelos pampas e tal.

Tendo que escolher só um centro termal, eu aposto em Daymán porque acho imbatível a vantagem de estar do ladinho de Salto.

Dicas das Termas Dayman no Uruguai

Dicas de Salto no Uruguai

Distante apenas 10km do centro da cidade, Daymán conta ainda com opções na minúscula vila que se forma ao redor das termas, como lojinhas de artesanato, restaurantes, hotéis, spa e parque aquático, ou seja, dá para fazer coisas caminhando, além de ser muito fácil chegar de ônibus vindo de Montevidéu (o bus faz duas paradas, uma no centrinho de Daymán e outra na rodoviária de Salto, não precisa alugar carro nem contratar transfer, o orçamento agradece hehe).

Acho mais negócio poder explorar e fazer passeios diversificados sem precisar encarar 160km de estrada - na conta ida e volta - toda vez que pintar vontade de sair do complexo (eu escolheria Arapey se a intenção fosse descansar nas piscinas 100% do tempo e tivesse um carro na mão por las dudas se mudasse de ideia hehe).

Salto tem cara de interior, as propostas são simples, sem muita firula, mas não é difícil encontrar paisagens belas e bucólicas, ou surpreender-se com a arquitetura dos museus, prédios públicos e o impressionante Teatro Larrañaga.

Conhecendo Salto no Uruguai

Visitar Salto no Uruguai

Dicas de Salto no Uruguai

E se engana quem pensa que a noite é pacata, a cidade conta com boliches - como chamam as baladas - que fazem festa até raiar o dia. As casas mudam de nome a cada ano hehe, mas se concentram na costanera, a famosa orla de rio que vira o local mais concorrido da cidade nos finais de semana também durante o dia.

As pessoas páram os carros, abrem cadeiras e passam a tarde proseando. Na costanera tem churrasqueiras públicas e os encontros acontecem regado a muito chimarrão e churrasco. Até hoje acho muito curioso hehe.

Os boliches funcionam a todo vapor no verão quando os estudantes retornam para férias - até o Cavani deixa Paris e corre bonito para Salto nas férias, gente! Eu já vi hehe! - e sim, as termas funcionam bem tanto no frio como no calor (há piscinas de água fria também).

Vou dividir os passeios em tópicos porque esse texto já está enorme e metade dos leitores desistiram ou estão esperando virar filme ou vlog, né?

Termas:

As piscinas de Daymán são levemente mais aquecidas em razão da profundidade da fonte extraída - 2.000 metros enquanto a de Arapey possui 1.300 metros - e a info é só a título de curiosidade mesmo, os poços termais começaram a ser descobertos na década de 40 enquanto buscava-se petróleo na região.

A entrada em Daymán custa 150 pesos (crianças até 5 anos não pagam e guris de 6 a 12 anos pagam a metade). Hóspedes de determinados hotéis têm desconto na entrada, de 150 passa para 100.

Turismo termal no Uruguai

Piscinas termais no Uruguai
Área verde e piscina termal coberta em Daymán

Você pode sair e entrar no centro termal quantas vezes quiser, eles colocam uma pulseirinha no braço e aí é só aproveitar até a hora que fecha a noite (varia de 21h a 23h dependendo da época do ano).

Caso não queira sair nem ficar carregando todos os pertences de um lado a outro, há armários para guardá-los.

Dicas de Salto no Uruguai

Roteiro alternativo no Uruguai


Muito se fala do poder terapêutico das águas termais, muita gente vai lá fazer hidromassagem e eu não posso garantir a eficácia dos tratamentos, mas que esses chorros - jatos de água bem fortes - são maravilhosos não resta dúvida, uns minutos embaixo dessas duchas e a pessoa (eu que tenho carinha e registro de trinta e uns, mas coluna de 80 hehe) sai renovada.

Dicas de Salto no Uruguai

Roteiro em Salto no Uruguai

Toda essa estrutura disponível por menos de 20 reais! <3

Vinícolas:

Permitam-me contar outra curiosidade sobre o início da viticultura que comentei no comecinho do post.

Foi um imigrante vasco-francês que trouxe a cepa Tannat para o Uruguai no final do século XIX, ele buscava uma variedade que se adaptasse o suficiente para elaborar um vinho de qualidade no estilo dos vinhos de Burdeaux. 

Acertou em cheio com a danada da Tannat e plantou vinhedos em nada mais nada menos que 200 hectares. Como homenagem a uva ficou conhecida também pelo sobrenome do ousado imigrante: Harriague.

O vinho Tannat hoje é símbolo da viticultura uruguaia, um vinho de caráter, corpulento, com taninos pronunciados. É tão marcante que a relação para quem prova pela primeira vez é amar ou odiar hehe, não dá para passar pelo Uruguai e não experimentar, principalmente se no roteiro constar Salto que foi onde tudo começou. 

Recomendo a visita nas  vinícolas Salto Chico e Bertolini y Broglio. Mais info clicando nos links.

Azeite de Oliva:

O azeite de oliva uruguaio é incrível! Qualidade já reconhecida e premiada no mundo todo e o turismo de olivícolas desponta no país inteiro, lá em Salto dá para coordenar uma visita no Olivares Salteños e aprender mais sobre as técnicas e processos, além de degustar e levar umas garrafas para casa.

Parque Aquático:


O Acuamania fica na vila pequenina das termas de Daymán. Foi o primeiro parque aquático com aguas termais da América Latina, ou seja, você vai encontrar piscinas sempre morninhas com muitos tobogãs e brinquedos para se divertir. As crianças amam! E os adultos também, eu adoro aquela piscina que imita um rio de correnteza lenta que dá vontade de dormir na bóia de tão relaxante que é o passeio hehe.

A entrada custa 400 pesos, lá dentro vende lanche, tudo muito básico e pouco light hehe, mas pode entrar com comida numa boa (é bem comum a galera entrar com caixa térmica carregada e fazer piquenique na área verde). 

Não funciona o ano inteiro, consulte o site antes de programar (já abrem de novo agora em setembro).

Vejam fotos aqui.

O Parque Aquático de Salto Grande tem menos opções de brinquedos - mas tem piscina de ondas e muito espaço de hidromassagem, adoro! - e funciona o ano todo. 

Piscina termal no Uruguai

Tem várias 'camas' como essa para fazer hidromassagem! <3

Acho esse parque um pouco mais tranquilo (o Acuamania tem mais gente, a música é mais alta, tem mais cara de férias de criança hehe) e a vista para o rio uma coisa linda de viver.


A entrada custa 380 pesos (menores de 4 anos não pagam) e alguns hotéis oferecem entrada livre de custo no pacote.

Confiram mais fotos aqui.


Onde comer:

A oferta em Salto ainda não recebeu o raio gourmetizador da capital, lá abundam as delícias tradicionais: chivito, pizza, batata frita, milanesa e churrasco. A vantagem é que o preço se mantem mais simpático.

No miolinho da vila de Daymán recomendo os restaurantes El Rancho e La Puesta del Daymán.

No centro de Salto a recomendação seria La Trattoria, Trouville e um cadinho mais afastado a pizzaria La 2000.

Onde ficar:

A oferta no centro de Salto e Daymán é enorme comparada a Arapey.

Há opções para todos os gostos e bolsos, vai de camping a bungalow e hotel 5 estrelas.

Eu sempre fico na casa dos meus sogros, então não tenho nenhum hotel pontual para recomendar. Já fui a um casamento no Hotel Horácio Quiroga e achei o espaço maravilhoso, quem tiver o orçamento folgado vale a pena considerar (a diária hoje mais em conta para um casal custa 141 usd). 

O hotel faz parte do grupo do Parque Aquático de Salto Grande, ou seja, os hóspedes têm entrada livre no parque.

Selecionei alguns lugares para facilitar a procura e deixar de sugestão, mas recomendo entrar no site da Booking.com e ver todas as opções para encontrar o que se encaixa melhor nos planos da sua viagem. 

Aproveito para pedir a colaboração na hora de reservar a hospedagem. Nosso blog participa do programa de afiliados da Booking.com, isso quer dizer que fazendo a reserva usando esse link (ou os outros do post), nós ganhamos uma pequena comissão e você não paga nada a mais no valor final.

Se as dicas te ajudaram e você gostou do conteúdo, dá uma forcinha! :)

Olhando hoje, o hotel que reservaria em Arapey seria o Oasis Termal pelo custo x benefício (85 usd a diária), achei outros mais lindos, porém com a diária acima do que eu gostaria de pagar hehe.

Em Daymán algumas sugestões começando pelas mais econômicas tendo um casal como referência - valores em dolares - na data de hoje: Village Termas de Daymán (42 usd), Bungalows Archi (50 usd),  Hotel Termal Daymán (63 usd), Solanas Termas de Daymán (65 usd), Los Naranjos (91 usd), La Posta del Daymán (97 usd).

E um conselho para não se decepcionar com os hotéis: não esperem muito do café da manhã! A maior queixa dos brasileiros nos comentários é sobre o desayuno com pouca variedade/pouca fruta. 

Comemos diferente, os uruguaios são infinitamente mais básicos na primeira refeição do dia e frutas que são comuns e baratas pra gente, no Uruguai podem custar dois rins, uma manga na feira vale facilmente 10 reais, é sério. Tem hotel que capricha, mas a regra é não esperar banquete na mesa do café.

**

Espero ter conseguido despertar um interesse para o norte do paisito, foi com alegria que acompanhei o resultado da enquete no nosso Instagram para o tema do primeiro post de Agosto: Salto brilhou na preferência e aqui está meu textão cheio de afeto e dicas para organizar a viagem! <3

Abraço, boas descobertas e até a próxima! :)

6 comentários

  1. Elisa Machado Gomes da Silva16 de agosto de 2018 15:38

    Oii! Começo a minha aventura de moto no sábado! Saindo do Rio de Janeiro, descendo pelo litoral, e subindo pela fronteira com a Argentina, com direito a 3 dias em Salto para curtir as águas termais. adorei o post! Não tem muita informação para brasileiros sobre essa parte do Uruguai! Vou ficar no Thermas Arapey Golf Resort. Te conto minhas impressões mando fotos! Obrigada pela excelente informação do seu Blog. Foi de muita utilidade no meu planejamento!Bjs, Elisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisa! Que maravilha! Vou adorar saber sua experiência!
      Abraço e uma linda viagem! :)

      Excluir
  2. Muito bom!! Ótimas informações. Deu mais vontade de conhecer Salto. Encontrar o Cavani.. ♥♥♥♥ que sonho!! kkk bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Karoline! Hahaha menina, é o sonho de muitas! :)

      Excluir
  3. Oi, Jamile! Parabéns pelo seu blog incrível! Estou lendo direto! :) Devo me mudar para o Uruguai mas não encontro informações de colégios/creches para pequenos(Minha filha tem 1 ano e 6 meses). Vi que existem colégios públicos(gratuitos). Seus filhos estudam em qual? Você recomenda algum específico? Abraço e Obrigado por escrever este blog sensacional!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodrigo! Tudo bem?
      Muito obrigada pela gentileza!
      Não tenho nenhum para recomendar, infelizmente. Minha filha tem apenas 3 anos, não chegou a estudar no Uruguai. Mas, eu não colocaria no sistema público na capital, há escolas boas no ensino público, mas não chegam a ser a maioria (no meu ponto de vista, claro).
      Abraço e boa sorte na mudança!

      Excluir