Uruguayeces: vocabulário e expressões locais

Acho o maior barato observar esses detalhes cheios de personalidade que compõem o ritmo e as trocas da vida de todo dia: a língua falada nas ruas é um universo autêntico e muito curioso.


Pouca coisa tem um sentido literal, não funciona traduzir ao pé da letra, a questão aqui não é sobre dominar o idioma, é mais sobre abrir-se, ouvir, interagir e isso é bonito.


Já são 11 anos ouvindo uruguayeces, o jeitinho coloquial de se comunicar por essas bandas.


Fiz um compilado com minhas expressões preferidas e outras tantas que escuto com frequência e/ou me chamam atenção.


Não esperem profundidade nesse texto, contém palavrões e várias aleatoriedades. Uma narrativa desconexa direto de las calles. Vem comigo, chiquilines



'El que fia salió a cobrar'


Macanudo - vou começar com essa que eu adoro. Macanudo quer dizer legal. Falar que alguém é re macanudo = pessoa muito muito bacana. O 're' é o superlativo clássico uruguasho hehe. 


Pila - já que citei o 're', trago o pila. Ao pé da letra é pilha, no dialeto local na maioria dos casos é muito. Talvez até mais usado que o mucho. Cabe até num te quiero e fica fofo. Te quiero pila.


Macana - enquanto macanudo é muito legal, o macana é dito com certo pesar. Quando algo não foi bom, não saiu como o esperado. Uh, que macana = que cagada.


 Se le fue la moto - quando o sujeito passa da raia, do limite.


Listo el pollo, pelada la gallina - para sinalizar o fim de uma tarefa, por exemplo. É comum abreviarem e usarem só a primeira parte: listo el pollo


Terminei de arrumar a mala = listo el pollo. Resolvi todas as pendências = listo el pollo. O que tem a ver? Nada, com esforço a gente no máximo faz uma analogia muito remota entre pronto/aprontar o frango (tradução livre/literal) e concluir algo diverso haha.


No es soplar y hacer botella - para dizer - normalmente quando questionado sobre a tarefa - que não está num processo fácil, simples, rápido. Um tá pensando que é moleza? Assoprar e fazer garrafa: até hoje fico bugada num limbo da literalidade, mas aceito haha.


Dar color a tal cosa - quando cê conta algo e exagera, tá fazendo parecer melhor do que é realmente.


Tenés tremendo culo - não tá falando necessariamente da sua bunda haha, é uma maneira de dizer que a pessoa é sortuda (expressão prima do nosso ‘cu pra lua’ eu acho).


Nomás - é muuuuuito típica, tanto na versão clássica do ‘Uruguay nomás’ que serve pra tudo na vida (é uma força, incentivo, afirmação), as vezes sem a 's' pronunciada - o uruguaio tem a tendência de comer a ’s’, aí junta com a baiana que come a ‘d’, não foi fácil para a cria da nossa casa haha - numa partida de futebol a gente escuta no mínimo umas 500 vezes. 


E também aparece diariamente o nomás sozinho: dale nomás, así nomás (isso mesmo/ assim mesmo, reforça a afirmação). 


No seas malo - é um toque que diz seja razoável e também um tom meio de cumplicidade, sabe quando o amigo solta um comentário ácido, a gente ri e diz ‘ai, no seas malo’.


Pah, que embole - um adendo para o pah/faaa que antecedem frases, são onipresentes - junto com o ta e também o che - na comunicação uruguasha. Embole quer dizer que ‘aburrido’, entediante.


Un cacho - Um pouco. Adoro. Aguantá un cacho = espere um pouco. 


Para quem estuda espanhol, é notória a diferença da conjugação verbal e uso do imperativo no eixo rio platense, uma benção eu diria haha, sobretudo depois dessa temporada española queimando os neurônios para fazer bonito - sem sucesso haha - na conjugação do vosotros, algo gentilmente abolido na linguagem do sul do sul, obrigada. 


Acho todo um charme - casei com um uruguasho, né haha - esse xoxoxo (como chamo esse ritmo deles falando y/ll), as palavras cortadas assim. Um tenés que ...e meio já me derreto e olha que odeio que me digam o que fazer. Mas, dito em uruguasho é bonito até hahaha. 


Me perco nas divagâncias, mas volto à lista:


Pavadas - bobagens, balela. Exemplo: No me venga con pavadas / Que pavada = Não me venha de conversinha fiada.


Estar en el horno - em bom nordestinês quer dizer que a pessoa tá lascada. Estar no forno ao pé da letra. Só não confunda o horno com horto, tá? Esse segundo é cu dito de um jeito ofensivo.


Ni a palo - o famoso nem a pau, Juvenal hehe. Muito usado.


Pesado - para descrever umas pessoa chata, inconveniente. ‘Ai, que pesado fulano!’.


A la miércoles - um jeito quase fofo de mandar a merda hehe.


Quedar pegado / regalado - passar mico, vergonha. Quem nunca, né?


Bajá un cambio - Adoro hehe. É dizer se acalme, se tranquilize (ou segure a onda aí, véi - saudades do baianês).


A llorar al cuartito - se tiver num barraco bem infantil ou bagaceira e não souber mais o que dizer, diga isso, a pessoa quando ouve fica meio louca da ragatanga. Nem sei traduzir direito, é meio um engula e chora aí bem pianinho, porém de um jeito mais irritante.


Vichar - amo quando dizem vichar ao invés de mirar. Quer dizer olhar de um jeito tipicamente charrua hehe.


Bronca - Raiva, ranço. 


Chorro - se fala no contexto de pessoa é ladrão. Chorro literal é jato de água, esguicho.


Me chupa un huevo - significa não me importa de um jeito grosseiro (de um jeito mais simpático seria me importa un pepino, para quem não quer dizer un carajo, uma substituição assim muy Bela Gil), se tiver muito puto da vida aumenta a quantidade de ovos na frase haha. 


É outra que nunca pude entender também, sempre me perco imaginando alguém chupando um ovo (cozido, de galinha, tá gente, pelamor das santas!), qual o nexo? Antes que pudesse entender, já havia incorporado.


A la concha de la lora - talvez seja a expressão mais grosseira e vulgar da lista e não sei se deveria trazer essas coisas, pero bueno...para fins didáticos, talvez?


Relajo - bagunça, desordem.


La gran siete - se usa como um pqp sem ser tão agressivo.


Championes - possivelmente a coisa mais nada a ver do vocabulário uruguasho haha, quer dizer tênis. Uruguaio raiz vai na loja comprar un par de championes, nomás


E champignon de comer eles chamam hongos (que em português seria fungos e eu morria de nojo de dizer que queria uma pizza de fungos ou uma massa com molho de fungos, mas já superei, obrigada).


Salado - seguido dos championes, tem o salado que não faz o menor sentido. Obviamente se usa também para falar de algo salgado. Mas, coloquialmente, é quase nosso ‘porra’ na Bahia que tem 458 significados dependendo da entonação e situação. Pode ser bom ou ruim. 


Qué salado! pode ser uma grande surpresa por algo difícil ou muito fantástico que aconteceu, como um que massa, que foda.


Tarado - a primeira vez que ouvi foi no trabalho e fiquei chocada, uma colega falou ‘que tarado’ para um rapaz e eu fiquei tensa, ninguém percebeu, tava todo mundo rindo e eu wtf? Pensei que ele tinha feito algo inapropriado, que tinha tentado ou dito algo com teor sexual e não, ele tinha dito só uma pavada e essa é uma maneira de chamar de idiota/bobalhão num tom amistoso. 


Que no ni no - adoro haha. Pode ser como festejo, um vamo' pra cima apesar das circunstâncias! E também um não me venha com chorumelas, com pepepe nem popopo.


Que lo tiró - Quando rola um efeito surpresa, passa algo inesperado. 


Vender humo - o camarada que conta vantagem, é cheio da lábia, ostenta coisas que a gente se liga que não são reais. 


No modo operandis uruguasho, ser vendedor de humo talvez seja um dos piores defeitos de tolerar, ninguém quer essa mala sem alça por perto hehe. 


Mala leche - é um pesado level hard hehe, não apenas inconveniente, mas também mal intencionado.


E para terminar, trago essa sequência que até hoje me confunde: Al pedo / En pedo / El pelo (literalmente pedo é pum e pelo é cabelo, ou seja, ao pé da letra não diz bulhufas).


Empedo’ é uma maneira de dizer que está borracho, bêbado. Fulano está empedo = tá bebum.


Já o ni en pedo quer dizer de nenhuma maneira. No voy ni en pedo = não vou de jeito nenhum.


Al pedo - o que foi feito não serviu pra nada. Fuimos al pedo = fomos à toa, para nada. 


Estoy al pedo/ Todo el dia al pedo = tô a toa, o dia todo coçando no sofá.


Tomarte el pelo - Tirar com sua cara. Me estás tomando el pelo? = Tá me tirando?


Ficou mais extenso do que queria, mas super me empolgo com o tema e tenho certeza que ainda esqueci várias (a grávida pisciana, né? Tá sempre esquecida hehe). Me conta quais suas preferidas também?


Abraço e até a próxima (que seja breve e dê certo essa tentativa de retorno, sonhando com uma sequência gostosinha e consistente de posts novos por aqui).

Um comentário

  1. Ah que delícia! Adoro conhecer essas expressões também. A do tener el culo, aqui na minha cidade, se o cara é sortudo a gente diz que ele é rabudo, talvez tenha um pouco de conexão também..hehehe

    ResponderExcluir