Trilha no Cerro Pan de Azúcar

Venho de uma cidade cheia de contrastes e ritmos, que sobe e que desce ao som da maré e também de ladeiras, levei um tempo para acostumar o olhar à paisagem plana e em certa medida mais homogênea de Montevidéu, um tal de pegar reto toda vida, um balanço mais suave.

Avistar o Cerro Pan de Azúcar sempre trouxe um quentinho bom no corazón, do nome que remete diretamente ao Brasil, da paisagem mais curvilínea, irregular. A urbe que fica para trás, o verde que se faz mais presente, o mar que a gente sabe que tá logo ali dobrando a esquina. Cara de férias ou escapaditas no leste, gosto.

Terceiro pico mais alto do país com 389m. Faz parte também de um território místico. Mundo de alquimistas e maçônicos. Parada de viajantes aventureiros: é possível fazer uma trilha com vistas belíssimas e chegar até a cruz que fica no topo do morro.
Olhando da estrada a cruz parece pequenina, mas são 35m de altura e aproximadamente 100 degraus numa escada em forma de caracol que leva ao mirante naquela parte horizontal lá no alto, ou seja, temos dois desafios: subir a colina e depois a cruz. A vista é de tirar o fôlego. 


A trilha tem dificuldade moderada em alguns trechos, basicamente você vai precisar de calçado e roupas confortáveis, disposição e água (recomendo também protetor solar, chapéu e lanches leves na mochila). 

O acesso está bem sinalizado (basta seguir as setas amarelas) e dá para ir por conta sem guia. 

É um circuito recomendado para maiores de 7 anos (nesse dia das fotos meu marido subiu com os sobrinhos de 12 anos e os meninos talvez tenham aguentado melhor que ele haha). Fizeram o trajeto da subida entre 1h30 e 2h.


A trilha começa na Reserva de Fauna del Cerro Pan de Azúcar pela ruta 39 (uns 10 minutinhos de carro desde o centro de Piriápolis). A subida mais leve e recomendada é pela ladeira sul. 

Para começar tem que passar pelo centro de controle, lá oferecem informações básicas, normalmente checam a quantidade de água de cada pessoa para a trilha (pedem 2 litros) e cada aventureiro precisa assinar um termo de responsabilidade.

A entrada é gratuita, mas convidam a fazer doações, contribui quem quiser/puder. 

O funcionamento depende das condições climáticas do dia. A trilha é fechada em dias de muita chuva, por exemplo.

Por ali fica ainda a Estación de Cria, um projeto que fui conhecer bem entusiasmada e não me convenceu totalmente. Trata-se de um plano de recuperação e reprodução em cativeiro da fauna nativa, visa a proteção de animais em risco de extinção.

Em poucas palavras, algumas partes (que comprometem o todo) me pareceu mais um zoológico que uma reserva natural.

Algumas especies realmente estão em espaços enormes bem de boinhas longe do público que observa distante, outras como as aves e felinos estão em jaulas apertadinhas do lado da passagem dos humanos que se aglomeram e fazem selfies importunando o sossego dos bichos.

Não creio que voltaria a estação, ainda que minha filha tenha achado sensacional ver bichos que nunca tinha visto (eu sou a adulta e posso fazer o juízo de valor que ela aos 4 não compreendia completamente, né?). 

Voltaria a reserva para fazer a trilha e com as crianças pequenas iria sempre para a zona de parque infantil e piquenique que é uma delícia para passar o dia. 

Nos primórdios desse blog (risos) eu falei que Piriápolis foi meu primeiro romance, onde me via com mais idade tranquila cuidando das plantas. Oito anos depois acho que estou cada vez mais nessa coisa de uma casa no campo - pero também vizinha ao mar - onde eu possa compor muitos rocks rurais.

A cidade tem um potencial incrível, um ambiente familiar gostoso de viver (para quem vai no verão com niños fica a dica da praia Punta Colorada, ótima para banho com os pequenos), mas ainda é pouco explorada pelos turistas estrangeiros. Tem interessância que rende muito mais que uma paradinha a caminho de Punta de Este.

Vocês já conheciam essa trilha? Já subiram? Preferem olhar do chão, obrigada? Me conta! :)

Abraço e até nosso próximo encontro, voltei animada hehe! <3


*Nota: devido a crise covid a trilha ficou inabilitada, aos poucos o turismo está se restabelecendo no país. É altamente recomendável checar o funcionamento antes de ir. 

Nenhum comentário